Leaguiar85

Membro
  • Total de itens

    137
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Leaguiar85

  • Rank
    Categoria Junior
  • Data de Nascimento 26-04-1985

Profile Information

  • Gênero
    Male
  • Localização
    São Paulo
  1. "Eles têm de entender que são profissionais e servem ao clube, jogando ou não. Por isso que estamos buscando jogador com senso coletivo, que sejam bons de grupo, não só quando estão jogando." Será que isso pode indicar mais um porquê da liberação do Robinho e do Lucas?
  2. Em contrato que você não pode beber DENTRO da empresa (igual o outro xarope que comprou coca e levou pra empresa)...aí tem que ferrar mesmo, passa a ser uma questão de respeito, não só de contrato. Agora, não poder tomar nada da Coca nem na rua, na hora do almoço, num lugar público (em uma padaria, por exemplo)? Aí já é sacanagem...
  3. Já prestei serviços para Ambev (participei de um projeto de implementação SAP da Ambev Brasil). Era horrível....se no almoço, mesmo fora da empresa, vissem você tomando a macaca (apelido deles para a Coca), pediam para retirar o consultor do projeto. Só Pepsi, Guaraná e Soda Antártica era permitido...Minha gerente odiava Pepsi. Ás vezes, com a correria do projeto, ela comprava 2 garrafas. Uma de coca e outra de Pepsi e jogava o conteúdo da Pepsi fora pra colocar a Coca na garrafa...rs Um cara terceirizado não acreditou nisso e comprou uma coca pra tomar no projeto (xarope tb...)...1 semana depois estava fora... Dinheiro e poder eles tem viu...com certeza estão com alguma base jurídica confiável pra entrar nessa briga.....
  4. Caramba, to vendo os vídeos no trabalho....to demorando uma eternidade, pois toda hora tenho que parar o vídeo pra não chorar aqui.... Emocionante demais! Não tinha como não ser campeão....
  5. Eu, por mandinga..hahahaahaha usei a mesma camisa azul de 2008 e assisti na Band(que foi quando assisti a final da CdB de 2012). Vou te falar que estava meio assim de assistir por causa do Neto. Mas até achei que ele foi bem sensato e não ficou vomitando tanto. Toda hora no jogo falava da superioridade do Palmeiras...desacreditei....rsrs O importante é que somos campeões, contra tudo e contra todos!
  6. Pode ser tb! Ou no shopping Bourbon ao lado do Allianz Parque
  7. Bom galera, semana passada encontrei um amigo que agora trabalha na parte de marketing de lojas da Adidas (ele vai de loja e loja e define o que deve expor de produtos Adidas....originals, times, etc). Enfim, ele não me falou muita coisa, até porque nem é ele que faz parte da negociação.... Mas disse o seguinte: - As duas partes estão querendo renovar. Há essa vontade. Adidas não quer sair e Palmeiras quer continuar. Modelos de novas camisas já estão sendo estudas, mas só no papel (pq não sabem se vão continuar). Ele disse que o Paulo Nobre e um outro cara que trabalha no Marketing estão fazendo umas exigências que não fazem muito sentido, que nenhuma outra marca faz. Por exemplo, o Palmeiras quer cobrar da Adidas uma valor para que sua marca apareça naquele fundo onde os jogadores dão entrevistas...ele disse que nenhum outro clube exige isso.... Enfim, falei pra ele que o Palmeiras hoje é a marca mais forte do Brasil e que a Adidas deve pagar o que o Palmeiras vale....que com certeza estão desmerecendo o poder da marca...e que é pra ele e a Adidas ir pros quintos..huahuahuhuaauhaahua
  8. Enquanto isso, no mundo encantado da Cinderela....(mesmo assim essa merd*a de imprensa tenta passar o pano... "SP vê público cair pela metade, mas obtém renda igual à do Brasileirão 201423 Diego Salgado Do UOL, em São Paulo 07/07/201506h00 Ouvir texto 0:00 Imprimir Comunicar erro Ernesto Rodrigues/Fplhapress São paulo registrou contra o Fluminense o seu pior público no Brasileirão 2015 São paulo registrou contra o Fluminense o seu pior público no Brasileirão 2015 BRASILEIRÃO Classificação e jogos Quem assiste às partidas do São Paulo como mandante no Campeonato Brasileiro tem notado a falta de público nas arquibancadas e cadeiras do Morumbi. A baixa presença de torcedores, inclusive, já foi citada pelo técnico Juan Carlos Osorio. Após seis jogos da competição, o clube viu a média de público cair pela metade em relação à registrada no mesmo período da edição 2014. A renda bruta acumulada, por sua vez, é praticamente a mesma. O fato está ligado à postura da diretoria são-paulina em relação aos preços do ingressos. Nos primeiros seis confrontos do Brasileirão do ano passado, o valor médio da entrada era de R$ 16,95. Hoje, o preço médio cobrado pelo São Paulo é de R$ 32,58. Após os jogos como mandante no Brasileirão 2015, o clube paulista arrecadou R$ 2,89 milhões, contra R$ 2,76 milhões registrado nos seis jogos iniciais da campanha de 2014. O número total de torcedores, entretanto, desabou, de 162,9 mil para 88,9 mil, queda de 45,4%. A média de público passou de 27,1 mil para 14,8 mil. Nesse cenário, o São Paulo poderia ter quase o dobro de torcedores no Morumbi caso cobrasse o mesmo valor dos ingressos, obtendo a mesma renda. Procurado pela reportagem, a diretoria de marketing disse que o preço atual será mantido. "Não há expectativa de baixar. Nós já baixamos o preço este ano. No Brasileiro a gente pôs o preço que a torcida pediu. Entendemos o recado. Estipulamos um preço para o Brasileiro e estamos vendendo um pouco baixo. Não tem sentido a R$ 20", disse Douglas Schwartzmann, vice-presidente de marketing do São Paulo. Ao término do Brasileirão 2014, o São Paulo arrecadou R$ 14,4 milhões, com média de público de 28,5 mil torcedores por jogo. A equipe ainda jogou na Arena Barueri contra o Corinthians (público de 14 mil) e no Pacaembu diante do Coritiba, com 31,9 mil no estádio. A média de renda, que era de R$ 460,4 mil nos primeiros seis confrontos, fechou em R$ 760,5 mil depois de 19 confrontos em casa. Ou seja, para igualar a marca, o São Paulo precisa arrecadar R$ 11,51 milhões em 13 partidas (média de R$ 885,4 mil por jogo -- hoje ela é de R$ 482,7 mil) Segundo Schwartzmann, existe um incômodo em relação ao cenário. No último domingo, apenas 10.539 torcedores compareceram a Morumbi para a partida contra o Fluminense, no pior público do time no campeonato. "Sempre preocupa, ninguém gosta de casa vazia, todo mundo quer casa cheia. Eu acho que a torcida do São Paulo tem essa coisa de prestigiar em um momento bom. Tem tudo a ver com as vitórias. O time vinha de duas derrotas", disse. No ano passado, no entanto, o São Paulo não chegou à liderança após seis jogos em casa. Nesta temporada, o fato se deu na 8ª rodada, contra o Avaí -- mais de 20 mil assistiram ao empate por 1 a 1, no melhor público do time no Brasileirão. Em 2014, a maior concentração de público ocorreu diante da Chapecoense, na 11ª rodada, quando o time ocupava a terceira posição (quase 43 mil pessoas foram ao Morumbi). Protesto e promoção Os torcedores do São Paulo fizeram críticas à diretoria após os preços cobrados no primeiro jogo como mandante na Libertadores, em fevereiro deste ano. Na ocasião, o valor mais barato da entrada inteira chegou a R$ 120. Dessa forma, o São Paulo registrou o pior público na Libertadores desde 1992: 16.689 espectadores. Nas oitavas de final, diante do Cruzeiro, a diretoria baixou o preço para R$ 60. E viu mais de 66 mil espectadores lotarem o Morumbi, no maior público da temporada. Na oportunidade, a renda chegou a R$ 3,67 milhões. Mesmo com o exemplo, a tendência é que a diretoria são-paulina não promova mais ações desse tipo em 2015. "Estamos estudando, vamos ver mais pra frente, Se houver, serão pontuais. Podemos fazer uma promoção para um determinado jogo, mas baixar o preço dessa forma, não vamos baixar. Não tem sentido", explicou Schwartzmann. Confira os números dos primeiros seis jogos de 2014 e 2015 2014 Melhor púbico: 42.979 (Chapecoense) Pior público: 14.000 (Corinthians) Média de público: 27.155 Total de público: 162.932 Média de renda: R$ 460.386,17 Total de renda: R$ 2.762.317,00 2015 Melhor púbico: 21.288 (Avaí) Pior público: 10.539 (Fluminense) Média de público: 14.816 Total de público: 88.896 Média de renda: R$ 482.723,33 Total de renda: R$ 2.896.340,00" Que nojo dessa imprensa maldita....se fosse com o Palmeiras, o título seria ""Palmeiras vê público cair pela metade"...e só....
  9. FDP cantando atirei o pau no gato...futebo brasileiro, uma piada.... Cantando de novo...."Cowboy fora da lei"....hahaahaha
  10. O Palmeiras tem que ser forte nos bastidores. F#¨&-se gambás, o Palmeiras tem que tentar voltar a ser forte nos bastidores. Se não junto a RGT (como os gambás e mulambos), que seja nos bastidores da federação...
  11. Olha o que esse fdp falou... RGT Esporte há menos de um minuto Mario Gobbi: "Eu tinha o Paulo Nobre como amigo leal. Tive na minha mão o Alan Kardec. Não o fiz por lealdade a ele. Assim como ele fez comigo no caso envolvendo o Dudu. Mas armar isso aqui, por um prejuízo de 12 mil cadeiras..."
  12. Será que virá uma resposta do Paulo Nobre logo após a essa entrevista? Olha o que a RGT colocou: "RGT Esporte RGT Esporte há menos de um minuto Diretoria do Palmeiras está assistindo à coletiva de Gobbi, debatendo como irá responder ao presidente do Corinthians"
  13. Pelo que entendi, a justiça AUTORIZOU a FPF a vender os ingressos. Isso não significa que ela VAI vender. Vejam este trecho "... Ela só acatou o pedido do Corinthians no que diz respeito ao Ministério Público. Segundo a juíza, o órgão não tem o poder de prever sanções a quem não cumprir suas recomendações. Rosas ainda observou que a orientação foi dada na véspera, sem a concordância das partes, o que tira o peso da medida. Na prática, a decisão jogou o caso de volta para as mãos da FPF, com a diferença de que agora a federação poderia avaliar sem a pressão do MP. Nada disso, no entanto, deve mudar a visão da entidade. Em contato com a reportagem, o coronel Marcos Marinho, diretor da FPF, foi taxativo. "A gente mantém a decisão", disse o cartola, confirmando que o clássico contra o Palmeiras ocorrerá somente para torcedores alviverdes no Allianz Parque. " http://esporte.uol.com.br/futebol/campeona...maos-da-fpf.htm
  14. Sim, o que vc falou faz sentido. Pena que somente eles não perceberam... :angry:
  15. Pra mim, o Oswaldo teve uma boa conversa com o Gabriel. Acho que não vai inscrevê-lo no Paulistão, mas vai deixar ele treinar no principal para estreiá-lo no Brasileirão.