Leivinha 4ever

Membro
  • Total de itens

    266
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Leivinha 4ever

  • Rank
    Categoria Profissional

Últimos Visitantes

3.207 visualizações
  1. FPF

    Você tá respeitando minha pessoa (legal, é o que mais importa), mas para respeitar minha opinião, precisaria lê-la até o final..... rsrs E você pegou leve, com uma ponta de saudável ironia. Eu mesmo já usei esse "parei de ler no..." algumas vezes hahaha Em todo caso, eu tava esperando um massacre maior à minha opinião e, se até agora não teve, de duas, uma: a) poucos leram o textão (mais provável...rs); b) muitos acham, como eu, que o lance entra muito mais na categoria "discutível, segue o jogo" do que na "olha a roubaria aí gente!"
  2. FPF

    Serei escorraçado, linchado e esbugalhado....rsrs, mas para mim a arbitragem ACERTOU. 1. A imagem divulgada pela FPF é nítida (mesmo se com baixa resolução), a bola bate na barriga e segue SEM tocar no braço. Até porque, se tocasse no braço, teria um segundo desvio, o que não se verifica. 2. A outra imagem que o povo aqui tá replicando direto - e que é a que o Gaciba, na análise ao vivo, usou para dizer que bateu na mão - tem um ângulo de visão que NÃO permite dizer que bate na mão (nem que não bate). Essa imagem - não a outra - é inconclusiva. mas considerando as duas, fica bem indefensável dizer que a bola tocou no braço. 3. Quem diz que o movimento do braço não é natural (que o natural seria deslocar pra cima), nunca cozinhou na vida (já tentou fugir de espirro de azeite quente? kkkk). 4. Quem usa a opinião do Gaciba a seu favor, talvez não tenha visto que ele já voltou atrás, admitindo que se tivesse visto a imagem que a FPF divulgou, não teria anulado o gol. Notem que não estou dizendo que o Gaciba é dono da verdade, somente dizendo que ele mesmo já não pensa como no momento do jogo, então não pode ser usado como reforço desse argumento. Moral da história. Na minha modesta (e provavelmente controversa) opinião, acho que o mínimo que podemos concluir é: não há elementos para acusar a arbitragem (ou a FPF) de erro ou má intenção (ATENÇÃO: estou dizendo isso NESTE EPISÓDIO específico, tá - não estou defendendo a FPF de modo geral, não tenho nem vontade nem razões para isso, só estou comentando o lance do "jogo" de hoje). Dito isto, se ainda sobrevivi ao linchamento, quero levantar outra questão relacionada a esse episódio que me incomodou muito (mesmo sabendo que ao fazê-lo, os que não quiseram me linchar antes vão querer fazê-lo agora ): a reação da SEP. Não tem nada que bater boca, ficar passando recadinho por redes sociais e outras "adolescências" desse tipo. Respeitosamente, que me desculpe o Galiotti, mas chamar o campeonato de paulistinha, pra depois ficar de birra quando se sente prejudicado, é ridículo (bom, eu pelo menos fico com vergonha do presidente do meu clube se comportar como criança mimada). Deveriam ter uma postura madura, profissional. E isso significa, na minha opinião: 1. Avaliem (de preferência no dia seguinte ao jogo, com a cabeça fria) o lance, objetivamente, com todas as informações disponíveis. 2. Caso identifiquem um erro irrefutável de arbitragem (o que, como argumentei acima, me parece impossível nesse caso), avaliem se há elementos para apontar alguma intencionalidade no (suposto) erro. 3. Caso concluam que houve erro e houve intenção (mesmo sem poder apontar os "mandantes"), encaminhem para o jurídico do clube, para que tome as ações cabíveis. 4. Caso não identifiquem o erro ou entendam que houve um erro sem intenção, ignorem. Bola pra frente, isso faz parte. Acontece para uns, acontece para outros. Entendam meu ponto, o que me incomoda é que esse comportamento da diretoria (que tem meu apoio em 99% das posições que assume) só denigre a imagem do clube, passe recibo de chorão e mal perdedor. E, se não for por princípio, que seja por pragmatismo: não se deve gastar cartuchos com polêmicas que não irão trazer ganhos para o clube, ao contrário. Agora a imprensa tem mais um elemento para esvaziar ainda mais o enfrentamento do Palmeiras na final do ano passado. Nossa, escrevi muito. Espero não apanhar proporcionalmente ao tamanho do texto .
  3. Como comentei tempos atrás, dentre as poucas certezas que tenho (por pura convicção, não tenho nenhuma informação dos bastidores) esta a seguinte: a estratégia de negociação do Palmeiras (incluindo aí todos os parâmetros e cenários para fechar ou negar um acordo) foi construída em conjunto com a Crefisa, em total sintonia. Não tem como encarar uma briga desse porte sem ter total apoio de seu patrocinador. Seria impossível.
  4. Eu devo ser um dos últimos que defende o Borja. Ou melhor, defendia.... Hoje perdi as esperanças. Além do futebol fraco que mostrou (não só na técnica, como na tática), aquela tapa na cara do Antony (acho que foi nesse, não tenho certeza) mostrou que ele perdeu a cabeça, a paciência e a confiança (e deveria ter sido expulso, só não foi pq o árbitro desde o primeiro minuto só queria que o jogo acabasse sem fazer grandes merdas). A única vantagem nesse lance, é que fez o Mattos ligar na hora para o Pato hahaha.
  5. Eu não tenho nenhum contato nas Alamedas, então não tenho como acreditar nem duvidar dessa afirmação. Mas vou fazer um exercício de reflexão, assumindo que seja verdadeira. Tudo o que segue é, portanto, hipotético. Em primeiro lugar, uma situação como essa seria um ótimo exemplo de como aparece o conflito de interesses entre patrocínio e administração do clube, quando representados pela mesma pessoa (a Leila, no caso - mas a análise independe de quem é a pessoa especificamente). Parece que há alguns foristas que não dão muita importância para esse aspecto, acreditando que a confiança na pessoa seja suficiente para garantir a lisura nas decisões e a priorização dos interesses do Palmeiras. Não, não é. Uma relação profissional não pode depender do caráter dos envolvidos (não entendam errado: é claro que o caráter é importante em todas as questões da vida; estou dizendo que os contratos e as relações profissionais devem buscar minimizar a dependência desse fator e um dos modos de obter isso é justamente evitar ao máximo a possibilidade de conflito de interesses). Por isso que, mesmo não tendo nada contra a pessoa da Leila (nem contra, nem a favor, já que não a conheço), sou e sempre serei contra a promiscuidade dessa relação dela com a SEP. Torço, como todos, que não dê m.erda, mas esse caminho, cedo ou tarde, dá m.erda mesmo. Além disso, se de fato há quem queira boicotar esse acordo (até este momento também hipotético) ou, coerentemente, um eventual acordo ainda melhor, somente para viabilizar a eleição da Leila em 2021, acho que além de pilantra, esse alguém é meio burro. E isso por dois motivos: 1. Se essa negociação se concluir favoravelmente ao Palmeiras, só um desavisado não reconheceria o papel central de nossa patrocinadora ao dar um enorme cacife para a SEP bancar a RGT. Não fosse um patrocínio desse porte, fora da realidade brasileira, o Palmeiras seria obrigado a colocar o rabo entre as pernas e aceitar os ditames da RGT. 2. Mesmo na hipótese de recebermos da RGT o mesmo que Cheiro e Fedor, uma eventual ameaça da Leila retirar seu patrocínio caso não seja eleita (me viram as tripas só de imaginar essa situação, mas esse é o teor da afirmação do Vecchia) continua a ter peso. É um p.uta patrocínio, perdê-lo seria sentido mesmo recebendo bem e justo da RGT. Em conclusão, não duvido nada do que disse o Vecchio, pois tem gente que insiste em pensar a política na miudeza de seus interesses imediatos, mas quero acreditar que o Palmeiras tenha em sua administração profissionais um pouco mais iluminados e com um horizonte mais amplo. A nós, infelizmente, cabe aguardar e ver. E torcer, claro.
  6. Claro que essa afirmação é plausível, não sou ingênuo. Mas você tem provas para fazê-la? Acho temerárias "informações" como essas, ainda mais numa época dominada por fake news e, pior, por uma multidão ávida por acreditar nessas fake news. Se você tiver convicção disso, afirme sua convicção, não o suposto fato. Note que meu tom é tranquilo, estou propondo uma reflexão, não fazendo uma depreciação da sua postagem.
  7. Alguém aqui do fórum que entenda do assunto, tem como estimar o quanto essas transmissões podem gerar de caixa pro clube?
  8. Certamente tá todo mundo aqui querendo saber das coisas, eu também to dando nó nos cabelos de curiosidade. Mas esse não é o momento da diretoria nos contar nada, bem no clímax de uma negociação pra lá de difícil. Eles têm que ficar quietinhos mesmo, não dar sopa pro azar. Pode ficar tranquilo, quando terminar tudo isso, seremos informados direitinho de como as coisas funcionarão.
  9. Quanta bobagem. Seria só ridículo, não fosse o estrago que pretendem fazer em nossas escolas por conta dessa asneira. Ah, viva o futebol feminino! E não vai demorar muito para termos a Academia das mina!
  10. A análise é interessante, mas ela olha só para o agora. Tanto a RGT quanto a SEP estão projetando perdas e ganhos para os próximos anos também. Não creio que o que freia a RGT sejam valores atuais, isso é merreca. É principalmente o efeito cascata e o inevitável (ou pelo menos muito provável) esgotamento desse modelo de domínio absoluto deles que se seguiriam a um acordo favorável à SEP. O que me deixa esperançoso em um resultado bom para o Palmeiras (não necessariamente imediato) é que tenho a impressão (não é informação, é só impressão, em função da postura que a diretoria vem adotando) de que temos efetivamente cacife para uma negociação desse porte. Veremos, estou realmente curioso para o desfecho disso.
  11. wtf? kkkk Tenta pausar a caça às bruxas, vai ver que vai se sentir melhor....
  12. Mano, uma cuspida dessa na minha conta ia resolver muito problema.....
  13. Viajei cara, tava tão irritado vendo a defesa assistindo a jogada que troquei o Borja pelo TS. Já corrigi lá.