Palestra1999

Membro
  • Total de itens

    427
  • Registro em

  • Última visita

1 Seguidor

Sobre Palestra1999

  • Rank
    Categoria Profissional

Profile Information

  • Gênero
    Masculino
  • Localização
    Curitiba

Últimos Visitantes

721 visualizações
  1. Com menos de 2 meses de temporada tinham descartado o cara. Que hilario
  2. É bom, mas é um jogador sem sangue. Por isso não deu certo nos gambás. Já nos bambis, deu certo porque lá aceitam tal tipo de jogador. Aqui seria a mesma coisa que nos gambás
  3. Concordo plenamente. Ainda acrescento que não sabemos se o jogador de fato vingara (caso ocorra, ainda teremos 15%+ porcentagem de formador). Questiono um pouco o valor, acho que pelo menos uns 12 milhões de euros já seria bom. Agora, é impressionante o ranço que pegaram do Carlos Eduardo. Colocam o cara como culpado de tudo. Se perder e não jogar, vai levar culpa. Se o Luan Cândido é vendido por esse valor, a culpa é dele. Ele paga pelo valor que foi comprado. Detalhe: o cara tem 2 meses de clube. Santa paciência.
  4. O Borja está numa fase complicada, mas ainda assim apoio o jogador, porque apesar de tudo, se esforça, esta incomodado com a má fase, e tem raça. Não está confortável com a situação. O que dificulta seu jogo, além das suas limitações, é a forma como o time joga. Ele no Medellin não era um jogador brigador, cabeceador. Sempre fez gols com bolas enfiadas, sendo ou não em diagonais, sendo caracterizado como jogador definidor, poucos toques na bola. Hoje, perdeu um golcontra o Mirassol, mas arrumou o pênalti. As duas jogadas foram bolas enfiadas pelo Lucas Lima, estilo as que recebia no Atlético.
  5. A avaliação do Scolari tem que ser pautada por análise do desenvolvimento coletivo do time. Defensivamente vamos bem. É difícil vermos reclamações dos jogadores de trás de uma forma geral. Isso é um ponto forte do bigode e merece ser exaltado. Porém, a maior parte das críticas são pros caras da frente. Aí mostra a grande falha do Felipão. O ataque. Vários desses jogadores jogavam bem em outros lugares e seriam titulares em boa parte dos clubes do Brasil. É função dele que ta ali pra ver como cada jogador se encaixa no esquema e quais jogadores se somam e não se anulam. Pra ter dinâmica. Alguns dizem que a entrada do Veiga não surtiu efeito. Óbvio. Ele joga na mesma faixa de campo do Lucas Lima. Outro exemplo: As críticas ao Borja em partes são justificadas. Mas o cara não tem como característica ser jogador brigador e cabeceador. Seu auge no Nacional foi de bolas no chão, enfiadas ou não em diagonais e caixa. Perdeu 1 gol hoje mas sofreu o pênalti. 2 jogadas originadas nesse tipo e com passes do Lucas Lima Também acredito que qualidades podem e devem ser aperfeiçoadas. Se todo mundo vê que o Carlos Eduardo finaliza mal, faz o cara treinar, ensina a chutar. Isso também é papel de treinador. Serve pra outros jogadores.
  6. Hoje nem culpo o tal Carlos Eduardo (errou menos que outras vezes). Creio que ele funciona melhor vindo do banco e que deva entrar aos poucos. Sobre os demais, quando muitos jogadores vão mal, significa que o coletivo não vai bem, e isso é dedo de treinador. Agora o Felipe Pires e o Diogo Barboza... fracos. Jogadores sem sal, alma e tesão. O primeiro tem recursos técnicos lamentáveis. O segundo ataca mal e defende pior ainda. Pontos pro Lucas Lima e Ze Raphael. Os 2 responderam bem Mayke de reserva é justificável Dracena, obrigado por tudo. Borja eu não sei como, mas tenho paciência e torço por esse rapaz. Pode ter suas limitações mas é esforçado e se entrega. E parece se incomodar com a fase. Creio que quando isso passar, vai meter seus gols. Sigo apoiando Felipão...ah, Big Phil
  7. Antes do Carlos Eduardo, é esse Felipe Pires. Pelo amor... E o Mayke de reserva é justificável. Voltou mal.
  8. Perfeito. Querer coisas novas e mais bola no chão não significa que teremos mais chances de conquistar vitórias. Mas a probabilidade é maior em fases agudas de Libertadores. Até pq contra o Boca e o Cruzeiro ano passado faltou isso. Só o fechar a casinha e balão pra frente foi insuficiente. 2017 foi a mesma coisa. Aquele aspecto de virilidade, gladiadores e etc é componente da competição, mas sucumbiu ao futebol sem medo, que ataca e defende e propõe jogo. Muitos desses times da libertadores são ruins. Pôr bola no chão e jogar, colocar a superioridade técnica em campo nos aproxima e muito da vitória.
  9. Tua analogia é ótima. Cada um tem a maneira de ver futebol. Respeito todas. As que eu queria, é que meu filho usasse toda a infraestrutura e oportunidade dada para ser melhor a cada dia e não se acomodar no 6. Pode ser insuficiente para passar num bom curso de vestibular. No caso do Felipão, estratégias diferentes e mais bola no chão para poder aspirar coisas ainda maiores ao meu ver. Mas, são gostos. Porém, 20 minutos bons e 70 pavorosos ontem. Se for pra jogar dessa forma, não precisamos gastar o que gastamos e podemos vender alguns jogadores.
  10. Já falei la em cima que não ganhou nenhuma. Falei de Grêmio e River que ganharam jogando bola. Ainda assim, fomos eliminados sem oferecer sequer resistência ao Boca...
  11. Ele desconsiderou que a superliga argentina atual ficou em boa parte sobreposta pelo mata mata da libertadores passada. River e Boca não tem 1/10 do foco pra ganhar nacional. Eles querem copas. Por isso pouparam um monte de rodadas diversos jogadores. Passada a competição, é só ver que estão subindo vertiginosamente na tabela e só não brigam com o Racing porque a campanha é excelente e o futebol também é com vasto repertório (por sinal, o racing conseguiu dar mais dificuldades com seus reservas aos gambás do que a gente). O Grêmio esteve muito mais perto de ir pra final da libertadores do que o Palmeiras (e olha que seu leque de opções de jogadores é menor). Fez 1x0 no monumental de nuñez, abriu 1x0 em porto alegre, cebolinha perdeu o 2 gol e ainda teve muita polêmica de arbitragem). Repito: pra ganhar no Brasil e de times fracos na américa é suficiente, pra bater em cachorro grande é MUITO POUCO.
  12. Você está misturando às bolas. Eu digo que o futebol jogado pelo Palmeiras é insuficiente pra ganhar a Libertadores. Brasileiro ganhamos porque o elenco sobra, os times em boa parte são ruins e fomos competentes (e é provável que seja assim novamente esse ano). Mas pra libertadores, é IMPROVÁVEL que essa forma de jogar baste. Agora, sobre resultados dos times que mencionei, pergunte a gremistas e torcedores do river se eles trocariam um titulo de libertadores por título de campeão nacional. Eu não trocaria.Acho que eles também não. O brasileiro é um campeonato importantíssimo, mas uma prateleira um pouco abaixo.
  13. o futebol que jogaram quando ganharam e os resultados que obtiveram, falam por si só. Qual a mentira disso?
  14. Tenho mais prazer em assistir o futebol jogado pelo penúltimo campeão da libertadores (e último brasileiro-por sinal, o melhor futebol do Brasil), o último campeão da libertadores e o time que nos eliminou. Esses, colocam a bola no chão e fazem coisas diferentes ao invés de ficar dando balão e retrancados. Se impõe em campo pela melhor qualidade técnica de seus jogadores. Talvez por isso chegaram a semifinal e final de libertadores e ganharam (exceção ao boca). Repito: é o jeito do bigode de ver futebol. Mas funcionava pra mata mata há 20 anos atrás. Hoje a pegada é outra. Os últimos campeões da América tem ganhado jogando futebol. Atlético Nacional 2016, Grêmio 17 e River 18. Com esse futebol, podemos até ganhar. Mas as chances são menores. Contra times fracos pode ser o suficiente. Mas na hora de separar os homens dos meninos, provavelmente não será. Será preciso mais que retranca e ligações diretas pra chegar a gloria.
  15. Grêmio, River e Boca