Daniel Reis

Membro
  • Total de itens

    1.565
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Daniel Reis

  • Rank
    PalestraDCoração
  • Data de Nascimento 25-08-1988

Contact Methods

  • Website URL
    http://

Profile Information

  • Gênero
    Male
  • Localização
    Lisboa, Portugal
  1. link imagem Era uma versão disfarçada, apenas texto, sem assinaturas e fotos de utilizador nos posts, puro texto. Muito bom para o trabalho :D
  2. Estou com essa dúvida também.
  3. Hoje isso é dito pq o Egídio foi pego pra Cristo. Eu sou mais o Egídio do que o VL, o forte do VL é só a parte defensiva, porém o Egídio chega muito melhor a frente. Alias sempre avisei que MB na lateral não era a solução e que o Egídio era muito melhor ali, nos ultimos 2 jogos do MB na lateral vi falhas grotescas do mesmo ali. Mas como o Egídio é o culpado de tudo agora, não tem como falar nada.
  4. Encerrou o ciclo por conta de 2 ou 3 jogos que julgam falha? É essa mensagem que queremos passar aos jogadores? Entre numa fase ruim, que esquecemos tudo que fez e não damos chance de recuperação, simplesmente não renovamos. Um goleiro que estava no seu auge ano passado, chamado a seleção, e depois de 6 meses não serve mais? ok, pra mim não justifica.
  5. É muito triste ler esse tratamento aqui. Melhor nem renovar mesmo, pq a perseguição já começou. Alias torcedor Palmeirense ta especialista nisso, tudo tem um culpado, o culpado não presta e blablabla, as vezes penso que to no fórum rival. Prass jogou e joga muito, tem muito crédito, mas agora o que tem de gnt achando que todo gol que toma é defensável ta impressionante, porque não vai lá pegar no gol? para meu, na televisão é tudo fácil. Começo a achar que não merecíamos mesmo o Prass, muito menos aquela copa do brasil. E deixo claro que isso não é colocar jogador a frente da instituição, mas é triste ver toda essa ingratidão e impaciência.
  6. Normalmente só vou lendo os tópicos e raramente comento. Mas não podia deixar de vir elogiar nosso profeta divisor de águas, voltou jogando muito bem pra quem estava lesionado, vai dar um #*&! toque de qualidade no time, teve uns passes rápidos ali na saída de bola que me deixou com sorriso de orelha a orelha. Fez muita falta esse ano.
  7. Opa Palmeiras Lisboa tb está representado!!! 01:45 aqui tb Abraço.
  8. Certo, mas é a sua opinião que o Felipe Melo tem q ser titular, eu pra esse jogo já pensava diferente e acho que se formos comparar cada torcedor tem seu time ideal na cabeça. Aí me vai um babaca de um conselheiro querendo aparecer e chamar atenção dizendo que tem q escalar esse ou aquele, e dizem que esse seria o diretor de futebol se o Pescatapa vencesse a eleição, assusta muito. Ali não era área de torcedor, se é conselheiro e teve acesso até ali que se comporte como tal. Minha torcida é que esse "conselheiro" tenha fortes repreensões no clube sobre suas funções. E concordo, Presidente (?) omisso da nisso.
  9. Amigo, acho que se confundiu ou eu percebi mal. Os mandatos atualmente tem 2 anos, o Banana ficou em 2011 e 2012, não ouve 3º / 4º ano de mandato. Se assim fosse tinha sido um caos. O Nobre, ficou 4 anos, porque se reelegeu no final do segundo ano na presidência. 3 anos é o ideal para um presidente implantar suas ideias, mas é assustador pensar que um Tirone da vida pode voltar ao poder, bate na madeira.
  10. Já imaginou o Allianz Parque inteiro com aquelas faixas que usávamos no Palestra? Vai ficar foda demais.
  11. Não se será esta escalação, mas não entendo pq na ausência do Guerra o Cuca não escala o Dudu no meio e o Keno na esquerda (edit: tinhas escrito errado).
  12. Tecnicamente falando, foi um dos melhores jogadores da ultima década no Palmeiras. Eu não entendo tanta birra com o cara, pq um jogador despertou tanto ódio assim? Quando vencia muitos vinham dizer que era por conta dele, e quando perdia também era por conta dele (ou porque estava lesionado). FUTEBOL NÃO É TÊNIS! Ninguém perde ou ganha sozinho. E esse foi o grande problema do Valdívia no Palmeiras além das lesões, tudo era por culpa dele. E a fase ruim do time ajudou a associarem os problemas a ele, com muita ajuda da imprensa é verdade. Se me perguntarem se eu gostava de ter o Valdívia jogando pelo Palmeiras, eu respondo que sim, mas sem que o time dependa somente dele. Com o elenco de hoje, isso era possível. Mas com essa rejeição toda que existe, não sei se seria saudável. Uma pena, porque é craque na minha opinião.
  13. Certo, mas o problema é que já disseram que não vão contratar laterais, eu sinceramente não sei qual a melhor opção ali na LE, mas minha dúvida fica entre Egídio e MB. Certo, só comentei pq é a minha ultima impressão dele na LE. Por outro lado, dizem que chegou na seleção jogando ali, sinceramente, não sei se na fase atual (da carreira) ele da conta ali.
  14. Quando falam que o MB é a solução da LE, eu lembro do terceiro gol do Cruzeiro e aquele carrinho no meio do nada quando o cara adversário avança em velocidade pela nossa LE.
  15. Resumo do lance: 11:49 Mattos: "Pedi para nossa assessoria deixar o Cuca cuidar do campo para vir exatamente falar sobre ele, porque de quarta depois do jogo até hoje começaram a fazer aquele processo que a gente conhece no Brasil. Perde um jogo, todo amor, toda convicção, todo respeito pelo profissional se acaba. Se não mudar isso, não vamos entender o 7 a 1 nunca. O Cuca é hoje o melhor treinador do futebol brasileiro, que não mudou nada o seu jeito de ser. Escutei muito de invenções, mas o Cuca não inventou, ele é criativo, e isso faz dele o melhor treinador. Falar que ele inventou porque o Mina foi para centroavante e o Guedes para a lateral é não refletir o que é o Cuca em mais de 20 anos de carreira. O Cuca colocou o Jorge Henrique como ala no Botafogo, o Atlético-MG foi campeão com Leonardo Silva de centroavante, em Porto Alegre ele teve a criatividade de colocar o Mina como centroavante. O Cuca tem nosso respeito. Como todos os seres humanos, ele erra também, mas o índice de acerto dele é impressionante. Para mim é o melhor em atividade e tem a nossa confiança. Não tem nenhum problema de relacionamento, zero. O Cuca é exigente, temos 32 jogadores no momento, e é óbvio que o dia a dia, ainda mais perdendo, fica com um clima diferente. Eu posso afirmar ao torcedor que temos convicções, sabemos onde queremos chegar. Ninguém do Palmeiras disse em algum momento que iria ganhar tudo, isso não partiu do Palmeiras. Partiu do projeto sério, dos investimentos que o Palmeiras está fazendo porque tem condição de fazer, não está antecipando receita, fazendo loucura. A partir do momento que se pode fazer, o Palmeiras faz. A partir do momento que se cria essa expectativa, vem a cobrança de que tem que ganhar tudo. Mas dificilmente um clube do mundo ganha tudo, é muito difícil. É hora da gente passar ao torcedor a seriedade do projeto". 11:53 Mattos: "É só voltar dois anos atrás e lembrar qual era o sofrimento. O Palmeiras está evoluindo, pensando no futuro. Estamos juntos com o Cuca na caminhada de ajuste. Não adianta vir aqui falar que não tem tempo para treinar, vocês todos sabem, mas desde que ele chegou não houve um treinamento da maneira que ele entende ser ideal. Zero. O Cuca não treinou o time do Palmeiras em nenhum momento desde sua chegada. Na terça, vim aqui ver o treino dele, eram cones espalhados mostrando como o Jô joga, como o Rodriguinho joga. É assim para todo mundo no Brasil, mas quem está despontando? Quem foi eliminado de alguma coisa. Enquanto jogávamos em Guayaquil, o Cruzeiro e o Corinthians estavam treinando. Na minha opinião o Palmeiras não jogou mal, principalmente em Minas, mas faz diferença. O Cuca é criativo e sempre foi na vida dele, não é novidade. Quando fecha o portão, é quando ele pega o Róger Guedes e treina alguma situação para surpreender. Se tivesse feito dois gols, ele seria novamente aquele gênio. Não dá para ficar massacrando o Cuca, falando que está desequilibrado, perdido. É o mesmo Cuca campeão brasileiro, que foi unanimidade em seu retorno. Por favor, queria passar nossa confiança. O Cuca tem contrato conosco até o fim do ano que vem e vamos fazer todo o possível, e se precisar mais do que o possível, para que as coisas aconteçam". 11:58 Mattos: "Decepção viria se não tivesse compromisso, se não estivessem correndo, se dedicando, se estivessem na noite, faltando a treino. Aí era comigo, e eles me conhecem, sou parceiro, mas cobro bastante também. Não tem decepção. Todos têm altos e baixos na vida. O mais difícil é se manter no topo o tempo inteiro, ninguém consegue isso no mundo. Vocês falaram que esse elenco seria o melhor, mas de novo, eu não considero, considero um dos melhores. Tem bons jogadores, alguns estão adaptando, e o que vai prevalecer sempre é o coletivo. Se aqui fosse tênis, talvez nossa equipe de tênis fosse a melhor da América do Sul, mas aqui é futebol. O individual só vai aparecer quando o coletivo funcionar. E são vários problemas desde lá de trás, quando o Cuca decidiu não ficar por problemas pessoais. Não temos outro treinador com a mesma característica, no mundo, talvez o Bielsa. Tivemos que trazer um treinador com ideias novas, houve uma quebra de ideias, e essa quebra não andou da maneira esperada. Tivemos que resgatar o Cuca sem tempo para treinar, com jogadores diferentes, saíram dois ou três, tivemos a lesão do Moisés, outros jogadores vieram e estão se adaptando ao estilo Palmeiras de ser. Eu sei que o que vale para a crítica é ganhar. Ano passado não estava tudo certo, mas fomos campeões, fomos elogiados e o Cuca era o melhor, os jogadores eram os melhoras. Mas não estava tudo certo. Quantos jogos ganhamos e não merecíamos? " 11:58 Mattos: "O Palmeiras está fundamentado num projeto em que acredita desde 2015. A responsabilidade do departamento de futebol foi me passada em 5 de janeiro de 2015, então todo mundo que está aqui é da minha responsabilidade. Eu assumo a responsabilidade, e todos os erros eu assumo individualmente. As glórias, não só de títulos, mas de tabus também, um clube com um número excessivo de tabus, que nunca vi igual, o resgate da dignidade do palmeirense... Essas foram minhas satisfações e minha vitória pessoal. A chegada do Dudu acharam que era trote. Hoje, se um jogador não vem, a gente é cobrado porque não veio. Isso em dois anos e meio, é muito pouco. O Palmeiras ressurgiu muito forte e muito rápido, e claro que quando você radicaliza existem erros". 12:01 Mattos: "Para mim era muito simples pensar no agora, como 99% dos clubes brasileiros. O Palmeiras está pensando no agora e no futuro. Por isso fizemos o centro de excelência, por isso trouxemos jovens como Hyoran, Veiga, Luan, Juninho, Mina... O Palmeiras melhorou seu elenco, e não posso acreditar que melhorar esteja errado. O que acontece é que o Cuca saiu. O Cuca não fez pré-temporada. Quem está destoando no campeonato? Quem vem lá de trás, com tempo, e tenho certeza que nem eles queriam esse tempo. Ano passado, aquela eliminação no Paulista na Vila Belmiro foi uma solução. Se não tivesse aquele tempo, talvez não chegasse a ser campeão brasileiro. Temos que valorizar mérito, bater palma, e é impressionante o que o Corinthians está fazendo, disse isso a pessoas de lá. Melhoramos. Se melhorar é errado, aí não estamos no caminho. Perdemos o Moisés por lesão, o Gabriel tinha que ir, não teve como, fizemos de tudo para ficar. Mas tem essa dificuldade, porque o treino é o jogo. Estou afirmando, treinamento não existiu no Palmeiras porque é jogo atrás de jogo, treinamento é o descanso". 12:03 Mattos: "Não vamos mais contratar esse ano. O Deyverson é nossa última contratação. Era uma necessidade até numérica, saíram quatro e vieram dois. O Borja ainda tem seleção, o Willian é o que mais jogou esse ano, então uma hora tem que parar. O volante foi uma situação atípica, não pensávamos naquele momento, mas quando veio uma dificuldade no joelho do Jean a gente percebeu que precisava de alguma coisa ali. Aliás, sem criar muita expectativa com o Moisés. Estou vendo muitas matérias de que ele está voltando, mas ele faz seis meses da lesão em agosto e não acredito que será liberado antes de seis meses". 12:07 Mattos: "Vou falar um pouco do Borja. Quando eu erro uma contratação eu sofro bastante, mas essa era uma unanimidade. Entre vocês, a torcida, e até entre os jogadores. Cinco, seis me procuraram pedindo para trazer, era o Rei da América. Tem que dar tempo. A característica não é a mesma do Gabriel Jesus, o Cuca está entendendo a maneira de usar, mas está entendendo isso nos jogos. Nos jogos ele vem evoluindo. Tem gente que fala que contratamos por seis meses dele, mas pegamos vídeos e mais vídeos no Cortuluá, Itália, México... Quantos exemplos temos no Brasil de jogador que chegou e ficou até duas temporadas para dar certo e virar ídolo. Vou citar um que começou comigo. Eu contratei o Rodriguinho para o América-MG, ninguém conhecia, ele estava no ABC. Foi para o Corinthians, e quanto tempo demorou? E ele é brasileiro, hein? Essa adaptação para uns é mais fácil porque o estilo do time ajuda. O Borja é um finalizador com explosão muscular, precisa da bola na frente, e não é nosso estilo. Cobrar o Borja por alguns jogos em que a bola nem vai para ele? Em Guayaquil ele não teve chance nenhuma... Talvez o valor tenha chamado atenção. Eu disse algumas vezes que era inviável, eles pediam 26 milhões de euros, o chinês estava lá comigo, e conseguimos trazer por menos da metade disso, com ajuda do nosso patrocinador". 12:08 Mattos: "Quando o Cuca chegou, sem olhar Borja, ele me pediu Richarlison ou Deyverson. Eu falei: 'Você está me dando missões fáceis, né'. O Richarlison a gente tentou, e o Deyverson, depois de dois meses tentando, conseguimos. O normal é o destaque brasileiro ir para a Europa, não o destaque da Europa vir para cá. O Deyverson chegou, tem característica que o Cuca gosta, pode jogar junto com o Borja também. O Cuca é um estrategista de jogo. Ele é criativo e eu quero ele assim. O dia que parar de ser assim não vai trabalhar comigo". 12:13 Mattos: "Fazendo um diagnóstico rápido, é muito simples. A gente sabe que as discussões no futebol hoje são resultado e contratação, mas temos que analisar o todo. O Cuca saiu em dezembro por problema particular e isso quebrou aquele Palmeiras campeão. O Eduardo é outro estilo. Por que não buscaram o estilo do Cuca? Porque não tem, o Cuca é único. E essa quebra trouxe um prejuízo, ainda está fazendo o Palmeiras ter esse prejuízo. Ele não tem tempo para treinar, não conhece todas as características dos jogadores. Ontem ele falou comigo de algo do Guerra que conheceu contra o Corinthians e que provavelmente teria percebido em uma pré-temporada. Não temos obrigação de ser campeão, mas de honrar a camisa do Palmeiras. Os jogadores, todos os funcionários e o Cuca têm obrigação de fazer o melhor. Eu, no dia que não estiver dando meu melhor, não vou mais trabalhar com futebol. Ninguém vai morrer e o Palmeiras não vai acabar se acontecer de não ganhar alguma coisa. O importante é que o Palmeiras em 2018, 2019 e 2020, já afirmo, será bastante competitivo. Quando você é competitivo, você tem mais chance de ganhar. Ninguém sofre mais do que o torcedor, do que o Cuca, do que o presidente, do que eu. Eu não dormi até hoje. Não porque perdeu o jogo, mas porque não conseguimos ajustar o time que podemos ter. Te afirmo que o Cuca também não está dormindo, mas vamos ter que encontrar isso nos jogos, contra o Vitória, contra o Flamengo... Mas como é gostoso ver pressão da mídia, ver pressão de torcida, porque o Palmeiras não é campeão, não está brigando para ser campeão brasileiro. Há pouco tempo era a mesma pressão porque estava na parte debaixo. Há pouco tempo, a Copa do Brasil não precisava existir porque a preocupação era não cair, hoje tem que ganhar". 12:15 Mattos: "Eu até vi a declaração do Cuca e conversei com ele sobre o Brasileirão. Veja bem, o campeonato está equilibrado do Grêmio para baixo. Temos o Brasileiro acontecendo, e temos o Corinthians. Se o Palmeiras ganhar dois jogos, chega em primeiro, no bolo. Mas existe o Corinthians. Eu vi até a matéria que falou que o Corinthians está dando aula no Palmeiras e concordo, é massacrante, mas uma vez na história, isso é inédito, até o Carille falou que não esperava. Não tem uma campanha dessas no mundo. Então a gente aplaude, e é um exemplo importante para o futebol. Falei para o presidente Roberto. Foi campeão em 2015 e era Deus e Roberto. Em 2016 não ganhou, reclamaram que vendeu todo mundo, queriam que saísse. Calma! Se o Corinthians não oscilar, vai ter o campeonato, e vai ter o Corinthians. Para mim é virtual campeão com 13 rodadas". 12:18 Mattos: "Para ser bem sincero, a dor é compartilhada. Eu como gestor posso te afirmar que a maior dor de todas está dentro do seu coração. O palmeirense me conhece, eu sou um cara de muito coração. Tenho razão, ideias, mas estou no esporte e coloco muito coração nisso aqui. Não teve nenhum tipo de conversa sobre isso (silêncio), é a tristeza mesmo. Deixar claro que não tem covarde aqui. Eu represento todos eles, quando um erra lá, eu que erro. Quando o Cuca erra, eu que erro. Quando o Tchê Tchê, o Borja, o Thiago Santos erram, eu que erro. Perguntaram se teve briga, alguma coisa, mas o que teve foi tristeza profunda. E que bom, porque eu nunca tinha visto assim. Não partiu de ninguém (não falar). Estavam tristes, colocaram a cabeça no lugar, e pode ter certeza que vão continuar dando entrevista, explicando o que tiver que explicar, como eu estou aqui hoje". 12:23 Mattos: "Sobre algum bate-boca em estádio, veja bem, a crítica é super tranquila, eu escuto ganhando, perdendo, empatando. 'Mattos, o fulano não está jogando, o time está ruim, o treinador não sei o quê'. Quando começa a ofensa pessoal, à honra, com gestos... Dois, três engraçadinhos que querem chamar os amigos e falar, mandar para aquele lugar, chamar de ladrão, safado, vagabundo... Aí desculpa, né? Se eu chegar para você hoje e falar: 'O texto que você escreveu, acho que você errou'. Você vai agradecer e absorver. Imagina eu falar: 'Você é ladrão, escreveu isso porque ganhou dinheiro'. Você vai me dar um tapa na cara ou me processar. O torcedor no Brasil acha que pagou ingresso e pode tudo. Eu fui torcedor e também achava isso. Mas pode até o limite, né? Outro dia vi uma coisa bisonha. O presidente do Flamengo, que conheço bem, revolucionou o Flamengo, projeto lindo, e mandou uma banana. Alguém foi lá saber o que esse cidadão fez para ele tomar aquela atitude? Aqui é ser humano, não é máquina, não. As pessoas veem na televisão e acha que não estamos no calor, não sofremos na derrota. Ano passado tivemos uma situação dessas em Atibaia, meia dúzia entrou no carro escondido com a faixa 'Não somos palhaços'. No fim, quando a gente levantou o caneco, eles eram palhaços mesmo. O torcedor sabe que tenho coração, trato o Palmeiras como o maior do mundo". 12:23 Mattos: "A manifestação (da organizada, amanhã), da mesma maneira que apoiaram, agora querem cobrar. De forma pacífica, podem fazer o que quiserem. Hoje de manhã conversei com o presidente e a ordem dele é que ninguém vai falar. Parece que querem conversar comigo, mas ele acha que não tem necessidade de falar. Pode cobrar de maneira pacífica. A gente entende". 12:23 Mattos: "Quando liguei para o empresário do Deyverson, ele falou que eu era louco. Eu falei: 'Louco está você de não escutar o Palmeiras'. Com o tio do Mina a mesma coisa. É assim que eu lido". 12:27 Mattos: "A gente tem duas análises. A análise de resultado, que interessa à maioria, e nessa estamos perdendo mais do que deveríamos. E tem a análise da gestão. Falam que a gente gasta muito, mas não chamo de gasto, chamo de investimento. Você investe em uma coisa para ter retorno em outro. Da nossa receita, 56% foram gastos no futebol. Já falei algumas vezes e vou repetir: o projeto Palmeiras é o projeto ideal de clube no Brasil. A gente consegue investir em time forte, consegue ter salário em dia, não antecipar receita e pagar dívida. Daqui oito meses, o Palmeiras não tem mais dívida. Deus ainda iluminou e vieram dois títulos nacionais. O Palmeiras está conseguindo fazer tudo isso ao mesmo tempo. A bola não entrou e está tudo errado? Se a gente for entrar nessa pilha, a gente começa a entender os 7 a 1. Há uma cobrança muito grande por dar sequência, mas essa insanidade faz as pessoas virem aqui na porta, querer quebrar. O Palmeiras tem seu projeto e não abre mão. A possibilidade de vir resultado, cada vez que a gente melhora, aumenta". 12:34 Mattos: "Na política eu não entro. Sinceramente, também não vi crítica (do Mustafá) com meu nome. Vi que falou de 80 jogadores, não sei o quê... Primeiro que tenho um respeito enorme pela figura, uma pessoa que deve ter 40, 50 anos no clube. Não só ele, hoje está o Seraphim aqui, o Jesse, pessoas que aprendi a respeitar. Em 2015, o Palmeiras tinha 90 jogadores. Desses, 9 ou 10 estavam no elenco principal e iriam permanecer. Prass, Nathan, Victor Luis, os gringos... Ou seja, 90 jogadores! Isso dava R$ 3,4 milhões por mês. Foi passando o tempo, e desse valor R$ 2 milhões foram emprestados, o Palmeiras pagando. Hoje, temos 66 jogadores, 31 estão aqui. Dos outros, o Palmeiras paga mensalmente R$ 800 mil. São coisas que o torcedor não quer saber na hora que perde o jogo, mas isso mostra que tem direção, que tem norte, que tem ideias. O Palmeiras saiu de R$ 2 milhões e pouco para R$ 800 mil. A ideia é que no ano que vem não exista ou abaixe mais ainda. A ideia é dar bagagem para João Pedro, Victor Luis, Allione, Matheus Sales, Vitinho... Ou para voltar ou ser ativo no futuro, para troca ou venda". 12:35 Mattos: "Sobre lateral, é até boa a pergunta. Vi uma crítica de que Cuca está inventando o Juninho de lateral-esquerdo. Gente, ele jogou um terço do Brasileiro do ano passado como lateral. Não é invenção, é uma opção mais defensiva de lateral. O Palmeiras tem uma opção mais defensiva, que é o Egídio, e tem o Zé Roberto, se precisa marcar um jogador que vai mais por dentro, como Robinho no Cruzeiro, Everton Ribeiro no Flamengo... E ainda tem o Michel Bastos, que começou a carreira ali. Não dá para acreditar que falem que está faltando lateral. Se, com esses quatro, ainda buscar, aí passa a ser aquela insanidade que vocês falam de que a solução é contratar. Se eles não estão em momento bom, temos que dar confiança a eles. Lateral direita também. O Jean, que é volante, foi eleito o melhor lateral-direito no ano passado. É volante, então aí você vê a carência da posição no Brasil. O Mayke não jogou em Guayquil porque tomou uma porrada contra o Grêmio e estava com o tendão dolorido, nesse último jogo, estava com pancada na bacia. Está evoluindo. Temos ainda o Tchê Tchê, que é lateral-direito, e que o Cuca, pela criatividade, já colocou até de ponta esquerda. E ainda temos o Fabiano, que é opção defensiva. Temos até exagerado, quatro para cada lado. Não estão jogando? Então vamos contratar mais? Não é assim, tem que dar confiança. Para o ano que vem, é outra história. Internamente a gente toma as atitudes que tem que tomar". 12:37 Mattos: "O Palmeiras não era aquele clube que os grandes da Europa olhavam, como vários que podemos citar. O Cruzeiro era impressionante, mesmo quando não estava bem era o dia inteiro ligando gente. O mercado tinha essa visão do Cruzeiro, no Palmeiras não tinha. O Paulo Nobre falava: 'Alexandre, fico vendo os rivais vendendo jogador por não sei quantos milhões, será que a gente consegue?'. Vendemos o Gabriel Jesus, em reais, pelo maior valor do futebol brasileiro. Hoje o pedido de camarote para cara do Bayer, do Bayern, do PSG, do City, do United... O Barcelona é igual irmão. Aliás nos ajudou de novo com o Deyverson. O Levante começou a ver informações de clubes brasileiros, aí o Barcelona ligou e falou que conhece o Alexandre, conhece o clube. O Mina não viria, mas hoje está amando". 12:40 Mattos: "Sobre o Prass, estamos muito focados em ganhar os jogos. Já falei para ele que tudo tem seu tempo. O tempo agora é de ajustar esse time, por isso que não vamos conversar com ele, Egídio, Zé... O tempo agora é focar nos objetivos". 12:40 Mattos: "Hoje tem muita gente olhando, hoje os jogadores são valorizados, tem muita sondagem e algumas propostas oficiais. Neste momento não tem necessidade financeira de vender. Você vende quando encerrou o ciclo ou tem dificuldade financeira, ou quando o cara está louco para ir. O Jesus saiu porque queria ir embora mesmo, tentamos de toda maneira segurar. Meu irmãozinho, mas podia ter ficado um pouco mais. Hoje a gente não pensa em saída de ninguém. Se chegar uma situação que seja irresponsabilidade segurar, temos obrigação de pensar. Como foi o Vitor Hugo. Vendemos por 8 milhões de euros, um zagueiro de 26 anos que foi convocado uma vez para a Seleção. Seria uma irresponsabilidade com o jogador, que já tinha pedido ano passado para ir para a mesma Fiorentina, e com o clube também. Não temos norte nenhum de saídas agora. Se sair, é porque o jogador quer muito ir, e vamos tentar um valor absurdo, ou vai ficar todo mundo aqui". 12:43 Mattos: "O Altamiro é um excepcional profissional, pessoa. Fez um trabalho de excelência aqui dentro, foi fundamental na construção disso que temos com o maior orgulho do mundo. A vida tem ciclos, e ele cumpriu o dele. Aí temos que ter responsabilidade, o cenário dos gastos. O Palmeiras não tem luxo aqui dentro. Aí vem a gestão, a minha responsabilidade, de ter os melhores, sim, mas que trabalhem tendo sua função bem clara. O Altamiro cumpriu o trabalho dele aqui, eu adoro, e se a gente detectar que a saída foi ruim ele volta. Mas nesse momento ele cumpriu o ciclo dele e a gente precisava seguir por outro caminho". 12:43 Mattos: "Quando se fala conselheiros, o Palmeiras tem quase 300. Será que são conselheiros (querendo diretor estatutário) ou aqueles mesmos que ligam para blogueiro? O Maurício falou que não tem pretensão de colocar. Não sou eu que tenho que responder, é o presidente. São conselheiros, o COF, ou os que a gente já conhece?". 12:52 Mattos: "Quando leio, parece que o Maurício tem seis meses de Palmeiras. 'Chegou agora e saiu de férias?'. Primeiro, ele tem um compromisso em Barcelona. Segundo, é uma situação marcada. Para quem não sabe, nos últimos quatro anos, ele foi um vice atuante com o Paulo Nobre. Foram anos desgastantes e ele participou ativamente de tomadas de decisões. O Gabriel Jesus ia para o São Paulo e o Maurício foi fundamental para ele permanecer. Se não fosse o Maurício, ele ia pular o muro. Não tem problema nenhum esse cara pegar a família e fazer uma viagem marcada há mais de um ano. Ele fala comigo todo dia, e também conhece profundamente os profissionais. Estou aqui hoje porque ele renovou comigo e me conhece profundamente. Ele conhece o Cuca profundamente. Ele tem quatro anos e meio de Palmeiras e participou de todos os títulos, as fotos estão aí. A gente conhece o Paulo, né? Quando ele não concorda, ele mina. E ele colocou o Maurício para ser o presidente. Quando a torcida for criticar, lembre que ele participou disso tudo e está participando para caramba, nos passa segurança e confia no que está aqui". 12:52 Mattos: "O que era a categoria de base do Palmeiras? Eu fui contratado para radicalizar o negócio todo. Se o profissional, que é o carro-chefe, já estava em uma situação bem complicada, imagine o que era a base. A base do Palmeiras nunca foi referência nacional, vamos ser sinceros, mas o torcedor pode ter certeza que hoje, o que se faz no profissional, de busca de talentos, dos melhores, é feito diariamente na base também. Isso é ordem minha e muitas vezes eu atuo com o diretor João Paulo e com o Cícero. O sub-15 e o sub-17 são muito fortes por causa desse trabalho. No sub-20, optamos por trazer os melhores dessa idade, o Veiga, o Hyoran... Em 2016 o Palmeiras foi o clube com mais convocações na base do Brasil, isso nunca aconteceu. Esse ano também já é o que mais cede jogadores para a Seleção. Tem oito, nove ou dez funcionários solicitados pela CBF para a base, e isso também não erra corriqueiro aqui. O trabalho é o mesmo do profissional. Só que precisa de um ciclo para esse menino amadurecer e está no nível que a gente precisa aqui. Estou dando uma coletiva porque o Palmeiras não está em primeiro. Esse nível a gente precisa entender. Hoje estou falando aqui e posso não estar mais aqui, mas daqui três, quatro, cinco anos pode sair uma safra impressionante. Mas primeiro a gente tinha que captar, estruturar... E não estamos satisfeitos, não. Quando vou lá ainda fico chateado, quero melhorar aquilo ali. Isso leva tempo de maturação. Em 2015, queríamos no mínimo dois jogadores atuando e tivemos. Em 2016 queríamos pelo menos três e tivemos. Nesse ano ainda não, mas não acabou. Pode ter certeza que a partir de agora, em vez de buscar contratações, vai começar a estabilizar e vocês vão falar que eu estou anormal. Vai começar a vir menos jogador e aparecer alguns talentos. Optamos por recolocar dois jogadores que provavelmente vão estar aqui no fim do ano, o Victor Luis e o João Pedro. Tem outro, o Artur, que está no Londrina. A gente está amadurecendo para cá. O Vitinho a gente tinha opção de colocar em algum clube, o Barcelona é uma parceria muito forte que a gente tem. Se vingar e ficar lá, não tem problema. O que vai vir para o Palmeiras se ele ficar, ele teria que ser titular do Palmeiras e da Seleção". 12:54 Encerrada a coletiva de Alexandre Mattos.