Fabricio MG

Libertadores 2018 - Análise do grupo do Palmeiras

561 posts neste tópico

Jogos interessantes essa na semana pela Copa Libertadores

Flamengo fora de casa contra o Emelec e o Santos recebendo o sempre retrancado Nacional do Uruguai.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Repito: meu receio quanto ao Boca é que toda mídia cria um aspecto absurdo sobre ele que faz time brasileiro entrar todo cagado contra os caras. Não estou dizendo que o time dos caras é ruim, que o Palmeiras vai passar (ou deveria) por cima, mas sim que supervalorizam demais o time argentino.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

49 minutos atrás, Tongue disse:

Repito: meu receio quanto ao Boca é que toda mídia cria um aspecto absurdo sobre ele que faz time brasileiro entrar todo cagado contra os caras. Não estou dizendo que o time dos caras é ruim, que o Palmeiras vai passar (ou deveria) por cima, mas sim que supervalorizam demais o time argentino.

Aqui msm tem uma boa parte q caga de medo do Boca. Só tenho medo dos favorecimentos para o Boca, e não do time em si. Lgk q tem jogadores q podem decidir o jogo em uma bola, como o Tévez, mas tem q entrar com espírito para ganhar lá e aqui. 

Editado por ticotonto

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Agora, ticotonto disse:

Aqui msm tem uma grande parte q caga de medo do Boca. Só tenho medo dos favorecimentos para o Boca, e não do time em si. Lgk q tem jogadores q pdoem decidir o jogo em uma bola, como o Tévez, mas tem q entrar com espírito para ganhar lá e aqui. 

Exato, isso se ramifica pra torcida, pro time e a cagada está feita.

ticotonto curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Tongue disse:

Repito: meu receio quanto ao Boca é que toda mídia cria um aspecto absurdo sobre ele que faz time brasileiro entrar todo cagado contra os caras. Não estou dizendo que o time dos caras é ruim, que o Palmeiras vai passar (ou deveria) por cima, mas sim que supervalorizam demais o time argentino.

Exato não podemos nunca esquecer o 6x1 de 1994. Não que devemos esperar um placar deste, mas sim não esquecer que é possível.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Agora, luizverde disse:

Exato não podemos nunca esquecer o 6x1 de 1994. Não que devemos esperar um placar deste, mas sim não esquecer que é possível.

Chutamos a bunda deles em Mercosul também. O que fez a fama deles foi Bianchi e Riquelme, mas mesmo com a aposentadoria/saída de ambos pro imaginário brasileiro parecem que continuam os mesmos, seria o equivalente a ir enfrentar o Vasco hoje e achar que jogaríamos com a equipe da virada de 90/00.

Até LaBomboneira é superestimada, era extremamente incomum inclusive o Boca depender de fazer resultado fora pra poder avançar nesse período.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Calma aí, concordaria com tudo que disseram até uns dois anos atrás, o Boca vivia mais da fama de antigamente, mas atualmente eles tem sim um timaço, diria até que o segundo melhor da América (vocês sabem quem é o melhor. Hahahaha), tem grandes jogadores em todas ou quase todas as posições e estão sobrando, realmente sobrando no campeonato argentino.

O respeito pelo time atual deve existir sim, mas acho que somos melhores e podemos vencer lá e aqui

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu não tenho assistido aos jogos do Boca, só vi o primeiro tempo de um jogo deles esses tempos q eles fizeram um gol com 5 minutos numa jogada bem bonito... mas dps pararam tb, jogo normal... até dormi kkk

Parece q vai ter Boca x River hj ou amanhã na Fox.. vale à pena dar uma olhada... se tiver tempo vou assistir...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se os times Brasileiros, em geral, não entrassem em campo se cagando contra o Boca e demais Argentino, ninguém teria receio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 12 de março de 2018 em 01:19, joaokleber77 disse:

Vc tem assistido aos jogos do boca? Sabe se eles têm jogado bem?

Tenho assistido alguns, ao meu ver eles tem um bom time principalmente do meio pra frente. 

Acho o Tevez um excelente jogador para os padrões do continente, o Cardona um bom meia, o tal Pavon não vejo tudo isso, mas se encaixa bem com o modo do time jogar.

Enfim, é um bom time, mas nada que se jogassemos o que temos jogado nos ultImos jogos, principalmente como foi o primeiro tempo contra o SP, não consigamos 2 bons resultados.

palmerasim e joaokleber77 curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
21 horas atrás, Shadow Green disse:

Jogos interessantes essa na semana pela Copa Libertadores

Flamengo fora de casa contra o Emelec e o Santos recebendo o sempre retrancado Nacional do Uruguai.

se o flamengo  perder já era a classificação. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Barros. disse:

Tenho assistido alguns, ao meu ver eles tem um bom time principalmente do meio pra frente. 

Acho o Tevez um excelente jogador para os padrões do continente, o Cardona um bom meia, o tal Pavon não vejo tudo isso, mas se encaixa bem com o modo do time jogar.

Enfim, é um bom time, mas nada que se jogassemos o que temos jogado nos ultImos jogos, principalmente como foi o primeiro tempo contra o SP, não consigamos 2 bons resultados.

Mesmo que Tevez esteja numa fase "romário", de ficar parado esperando bola, é um jogador que decide... 

Acho que temos 2 jogos bons em sequência. Ontem assisti ao primeiro tempo contra o SP e fiquei com a impressão que fomos muito mais fortes na defesa no primeiro tempo e mais criativos no segundo. Contra o Ituano, fomos bem o jogo todo, tanto ofensiva quanto defensivamente. De toda forma, temos 3 jogos antes de enfrentar o Boca... Dá pra ter uma boa ideia se o padrão apresentado nas duas últimas partidas vai ter se solidificado ou se será apenas por fragilidade dos adversários que enfrentamos.

 

Barros. curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Antes da Boca Ladrão tem o Alianza Lima, jogo para passar o trator na fraquíssima equipe peruana. E aí sim embalar de vez na competição. 

Editado por palmeiras1999

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Mais uma do Rodrigo Fragoso

Em derrota no Superclássico, Boca Jrs mostra como pensa um jogo grande

Por
 Rodrigo Fragoso
 -
 15 de Março de 2018

O Boca Juniors é o principal adversário do Palmeiras no Grupo 8 da Copa Libertadores da América. Portanto preparei uma análise do comportamento do time de Guillermo Barros Schelotto no Superclássico que valeu o taça da Supercopa Argentina. O River Plate venceu por 2 a 0 e o jogo trouxe importantes elementos de análise sobre como o Boca se comporta diante de um jogo grande.

O esquema retratado como base para o início de jogo do Boca Juniors é o 4-3-3. Embora seus laterais pareçam presos na última linha observando o esquema no papel, isso não aconteceu. Tanto Fabra quanto Jara têm liberdade para apoiar e buscar até mesmo a linha de fundo do campo de ataque durante toda a partida. Vale destacar que o lateral-direito Jara é o mais qualificado ofensivamente e, por isso, é o que mais avança.

Boca Jrs base

O esquema base utilizado pelo técnico Guillermo Barros Schelotto no início da decisão foi o 4-3-3

Enquanto o jogo estava empatado, o Boca Juniors revezou o 4-3-3 base com a bola e o 3-2-4-1, que tinha Cardona como homem de referência, sem a bola. O esquema de 4 linhas apareceu nos momentos em que o Boca pressionava a saída da equipe do River Plate.

O camisa 10 corria atrás de quem estava com a bola na linha defensiva do River enquanto Jara, Nandez, Tevez e Pavon impediam um passe para os homens de meio-campo, forçando a bola longa.

Boca antes dos 20 mins com Jara avançado

Para travar a saída de bola do River Plate, cinco homens chegaram a marcar a saída de bola

Depois de levar o gol, a equipe do Boca Juniors passou a atuar no 3-4-3, liberando bastante seus laterais. O esquema deu também a liberdade para Perez avançar em determinado momento da jogada para ampliar o número de atacantes na jogada, formando rapidamente um 3-3-4, apenas em momentos determinantes de conclusão de jogada (uma enfiada de bola para finalização ou um cruzamento para a aréa). Enquanto isso, Tevez e Cardona se revezavam no centro e na direita.

Boca precisando do gol

Em desvantagem no placar, o Boca Juniors passou a utilizar o 3-4-3 para furar o bloqueio do River Plate

Quando atacava pela direita, Jara chegava até a linha de fundo e o Boca surgia com Cardona, Tevez, Perez e Pavón na grande área. Fabra e Nandez fechavam o meio-campo.

Boca atacando pela direita

Enquanto Jara avança, Fabra recompõe o meio-campo com Nandez

Quando atacava pela esquerda, Fabra chegava até a linha de fundo e o Boca surgia com os mesmos Cardona, Tevez, Perez e Pavón na grande área. Jara e Nandez fechavam o meio-campo.

Boca atacando pela esquerda

Enquanto Fabra avança, Jara recompõe o meio-campo com Nandez

OS PERIGOS DO BOCA NO SUPERCLÁSSICO

  • Vale destacar que embora Tevez seja um jogador diferenciado e já acumule três gols em oito jogos nesse ano, ele não foi destaque na decisão contra o River Plate. Os momentos de maior perigo do Boca no jogo envolveram jogadas tramadas por Pavón pela esquerda e construídas por Jara pela direita.

CARDONA DAS BOLAS PARADAS

  • Fazer faltas próximas da área diante do Boca também não é uma boa ideia, tendo em vista que Cardona é o homem das bolas paradas e cruza muito bem. O Boca Juniors quase chegou ao gol três vezes em bolas levantadas na área pelo camisa 10.

É claro que apenas um jogo é pouco para definir como uma equipe se comporta, mas um Boca Juniors x River Plate traz muito do que essas equipes preparam para uma partida considerada histórica e fundamental para a sequência de um trabalho, principalmente se vale taça. O Boca ficou atrás do placar durante 70 minutos e, por isso, foi possível analisar como a equipe se comporta diante de um resultado adverso em um duelo importante para a temporada.

http://nossopalestra.com.br/em-derrota-no-superclassico-boca-jrs-mostra-como-pensa-um-jogo-grande/

Editado por MarcosAlves
SEP_Mascara e joaokleber77 curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Morro de medo do Boca sim e admito. Falou em boca, me vem à cabeça Ubaldo Aquino. Me vem aquele pênalti vergonhoso no Fernando que o sujeito não marcou. Até os gambás os caras já garfaram. São o "Corinthians da América do Sul" no quesito arbitragem.

9:03 pênalti no Fernando

Editado por nandal

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, MarcosAlves disse:

Mais uma do Rodrigo Fragoso

Em derrota no Superclássico, Boca Jrs mostra como pensa um jogo grande

Por
 Rodrigo Fragoso
 -
 15 de Março de 2018

O Boca Juniors é o principal adversário do Palmeiras no Grupo 8 da Copa Libertadores da América. Portanto preparei uma análise do comportamento do time de Guillermo Barros Schelotto no Superclássico que valeu o taça da Supercopa Argentina. O River Plate venceu por 2 a 0 e o jogo trouxe importantes elementos de análise sobre como o Boca se comporta diante de um jogo grande.

O esquema retratado como base para o início de jogo do Boca Juniors é o 4-3-3. Embora seus laterais pareçam presos na última linha observando o esquema no papel, isso não aconteceu. Tanto Fabra quanto Jara têm liberdade para apoiar e buscar até mesmo a linha de fundo do campo de ataque durante toda a partida. Vale destacar que o lateral-direito Jara é o mais qualificado ofensivamente e, por isso, é o que mais avança.

Boca Jrs base

O esquema base utilizado pelo técnico Guillermo Barros Schelotto no início da decisão foi o 4-3-3

Enquanto o jogo estava empatado, o Boca Juniors revezou o 4-3-3 base com a bola e o 3-2-4-1, que tinha Cardona como homem de referência, sem a bola. O esquema de 4 linhas apareceu nos momentos em que o Boca pressionava a saída da equipe do River Plate.

O camisa 10 corria atrás de quem estava com a bola na linha defensiva do River enquanto Jara, Nandez, Tevez e Pavon impediam um passe para os homens de meio-campo, forçando a bola longa.

Boca antes dos 20 mins com Jara avançado

Para travar a saída de bola do River Plate, cinco homens chegaram a marcar a saída de bola

Depois de levar o gol, a equipe do Boca Juniors passou a atuar no 3-4-3, liberando bastante seus laterais. O esquema deu também a liberdade para Perez avançar em determinado momento da jogada para ampliar o número de atacantes na jogada, formando rapidamente um 3-3-4, apenas em momentos determinantes de conclusão de jogada (uma enfiada de bola para finalização ou um cruzamento para a aréa). Enquanto isso, Tevez e Cardona se revezavam no centro e na direita.

Boca precisando do gol

Em desvantagem no placar, o Boca Juniors passou a utilizar o 3-4-3 para furar o bloqueio do River Plate

Quando atacava pela direita, Jara chegava até a linha de fundo e o Boca surgia com Cardona, Tevez, Perez e Pavón na grande área. Fabra e Nandez fechavam o meio-campo.

Boca atacando pela direita

Enquanto Jara avança, Fabra recompõe o meio-campo com Nandez

Quando atacava pela esquerda, Fabra chegava até a linha de fundo e o Boca surgia com os mesmos Cardona, Tevez, Perez e Pavón na grande área. Jara e Nandez fechavam o meio-campo.

Boca atacando pela esquerda

Enquanto Fabra avança, Jara recompõe o meio-campo com Nandez

OS PERIGOS DO BOCA NO SUPERCLÁSSICO

  • Vale destacar que embora Tevez seja um jogador diferenciado e já acumule três gols em oito jogos nesse ano, ele não foi destaque na decisão contra o River Plate. Os momentos de maior perigo do Boca no jogo envolveram jogadas tramadas por Pavón pela esquerda e construídas por Jara pela direita.

CARDONA DAS BOLAS PARADAS

  • Fazer faltas próximas da área diante do Boca também não é uma boa ideia, tendo em vista que Cardona é o homem das bolas paradas e cruza muito bem. O Boca Juniors quase chegou ao gol três vezes em bolas levantadas na área pelo camisa 10.

É claro que apenas um jogo é pouco para definir como uma equipe se comporta, mas um Boca Juniors x River Plate traz muito do que essas equipes preparam para uma partida considerada histórica e fundamental para a sequência de um trabalho, principalmente se vale taça. O Boca ficou atrás do placar durante 70 minutos e, por isso, foi possível analisar como a equipe se comporta diante de um resultado adverso em um duelo importante para a temporada.

http://nossopalestra.com.br/em-derrota-no-superclassico-boca-jrs-mostra-como-pensa-um-jogo-grande/

Gosto das análise dele... conseguem ser simples, claro e objetivo... fica fácil de entender...

O q chama a atenção é essa variedade de variações táticas q os times argentinos possuem... aqui vc só vc 4-3-3, 4-1-4-1, 4-2-3-1... difícil não sair algo assim atualmente...

Claro q só isso não define nada, mas qdo um time bom tecnicamente consegue se utilizar disso, dificulta mto para o adversário...

MarcosAlves curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

18579964_343732136044507_602151916946220

 

 

A ansiedade está grande , mas resistirei

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O boca só venceu o Palmeiras 3 vezes, sendo duas em amistosos. Não é esse bixo papão todo, se entrarmos pilhados temos condições de vencer lá e aqui 

Caiser Soze curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
18 horas atrás, Fabricio MG disse:

18579964_343732136044507_602151916946220

 

 

A ansiedade está grande , mas resistirei

 

Espero que não pegue pilha por isso. Mas tá bom já da brincadeira, acho que já perdeu a graça. Esse é um fórum palmeirense

MONTE VERDE e Caiser Soze curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.