Paulo Adriano

Palmeiras x Globo: Assina ou não assina?

2,041 posts in this topic

Outra coisa que toparia a briga tbm.

 

Em qualquer proposta que tiver, cláusula obrigatória a constar no contrato, seria chamar o estádio pelo VERDADEIRO NOME. (Allianz Parque)

Prutton and clluiz like this

Share this post


Link to post
Share on other sites
26 minutos atrás, aninha.lu disse:

tem várias coisas q influenciam esses contratos. Da onde a RGT tira a grana para pagar tudo isso? Dos anunciantes... vc acha q os anunciantes estão felizes de nao ter um dos principais times do país nesse contrato?

eu falo isso pq eu sei que tem MUITA empresa cercando a RGT com esse questionamento. Fora todas as outras alternativas que o mercado tem apresentado (DAZN, por exemplo) e a própria mudança de investimento em mídia e a depreciação do futebol brasileiro x mundial, pode ter um impacto significativo.

Vc tá olhando apenas a assinaturas e a visibilidade dos jogos. Mas a briga vai MUITO além disso e tem, em sua essência, investimento de MÍDIA envolvido.

Aninha

Anunciantes o peso é grande na tv aberta que engloba um universo maior telespectadores e eu cito isso em todos os meu posts....na tV aberta eles têm opção de 19 jogos pra passar revezando com vários grandes...pouco importa a aberta...a preocupação da RGT e com PPV....nenhum anunciante deixar de pagar cota de aberta quando um grande cai e você não tem mais acesso aquele mercado.

Receita de aberta - Publicidade

Receita da Fechada + Valor recebido pelo Pacote STV + Publicidade pequena

PPV - é basicamente assinatura o universo é muito restrito + publicidade irrisória

Eu fiz até umas contas meio malucas que e RGT poderia perder uns 300 a 500 milhões juntos os 3 segmentos (Publicidade 10% desconto + 10% desconto em torcedores rivais + 180 mil assinaturas estimadas).....mas isso não é certo...depende de como vão reagir os anunciantes...torcedores de outros times e os torcedores do Palmeiras....se o baque da RGT for Fraco, o Palmeiras vai ter que mendigar pra assinar ano que vem por uma valor menor que o desse ano tendo ficado já 1 ano sem receber

A única certeza que eu tenho desse caso e que o Palmeiras perder pelo menos 150 milhões em receita esse ano e RGT veremos quanto vai perder...Vai depender de várias fatores

Todos os meus posts deixo claro....e perda do Palmeiras é liquida e certa e da RGT é variável pode ser Gigante ou meio insignificante veremos como mercado em vários nichos vão reagir...pelo que ando lendo nem adesão de cancelamento do PPV será tão massiva assim....imagina os outros nichos....100% de cancelamento de Palmeirenses já faria um estrago,,,mas não e isso que tenho lido

Eu só acho que o Palmeiras vai acabar assinando e vai ser esse ano

Edited by Luciano Borgognoni

Share this post


Link to post
Share on other sites
Agora, clluiz disse:

É uma pena que o Palmeiras esteja sozinho nessa briga. Se um time está conseguindo fazer esse estrago imagina uns 4 ou 5? Ia botar abaixo o consórcio RGT-Gambá-Mulambos.

É o que me enche de orgulho.

 

Por outro lado e a demonstração da falência do Futebol Brasileiro. A dependência financeira que os clubes tem com a emissora é absurda. Ninguem consegue abrir mão de migalhas. Entendo o motivo, mas não achoque deveriam manter as calças arreadas.

Olha o Cruzeiro por exemplo, cheio de pompa, contratações e mais contratações. Meteu uma banca desgraçada pra cima dos Mulambos no caso Arrascaeta. Onde na verdade tudo foi teatro para jogar o jogo. Apelou para orgulho mulambo (Burro pra kct digassi di passagi) para lucrar mais.

E pasmem, segundo reportagens recentes, não houve lucro, essa venda em 2019 foi contabilizada em 2018 para cobrir o rombo nas finanças.

clluiz likes this

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 minutos atrás, Luciano Borgognoni disse:

Aninha

Anunciantes o peso é grande na tv aberta que engloba um universo maior telespectadores e eu cito isso em todos os meu posts....na tV aberta eles têm opção de 19 jogos pra passar revezando com vários grandes...pouco importa a aberta...a preocupação da RGT e com PPV....nenhum anunciante deixar de pagar cota de aberta quando um grande cai e você não tem mais acesso aquele mercado.

Receita de aberta - Publicidade

Receita da Fechada + Valor recebido pelo Pacote STV + Publicidade pequena

PPV - é basicamente assinatura o universo é muito restrito + publicidade irrisória

Eu fiz até umas contas meio malucas que e RGT poderia perder uns 300 a 500 milhões juntos os 3 segmentos (Publicidade 10% desconto + 10% desconto em torcedores rivais + 180 mil assinaturas estimadas).....mas isso não é certo...depende de como vão reagir os anunciantes...torcedores de outros times e os torcedores do Palmeiras....se o baque da RGT for Fraco, o Palmeiras vai ter que mendigar pra assinar ano que vem por uma valor menor que o desse ano tendo ficado já 1 ano sem receber

A única certeza que eu tenho desse caso e que o Palmeiras perder pelo menos 150 milhões em receita esse ano e RGT veremos quanto vai perder...Vai depender de várias fatores

Todos os meus posts deixo claro....e perda do Palmeiras é liquida e certa e da RGT é variável pode ser Gigante ou meio insignificante veremos como mercado em vários nichos vão reagir...pelo que ando lendo nem adesão de cancelamento do PPV será tão massiva assim....imagina os outros nichos....100% de cancelamento de Palmeirenses já faria um estrago,,,mas não e isso que tenho lido

Eu só acho que o Palmeiras vai acabar assinando e vai ser esse ano

vc tá pensando em anunciante pontual. Estou falando das grandes empresas que patrocinam o CAMPEONATO como um todo. Essas são as que estão movimentando grande parte de todo esse contexto. Falo isso com propriedade pois trabalho para uma delas e, toda vez q vou lá, o pessoal zoa q o Palmeiras tá causando e prejudicando o andamento desse tipo de contrato.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vou postar outra vez um Artigo de 2016 de como são geradas as receitas de TV com futebol em seus vários segmentos...dados com certeza estão desatualizado mas da pra ter uma noção

https://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2016/03/07/veja-quanto-dinheiro-a-RGT-ganha-com-o-brasileiro/

TV Aberta

São seis as cotas de publicidade do futebol da RGT. Cada uma foi negociada por R$ 245,7 milhões, o que leva o ganho anual a R$ 1,474 bilhão. Esse valor cresceu 83% em cinco anos, muito acima da inflação. Há outras 11 cotas participação vendidas a patrocinadores grandes como a Nissan, cujos valores não são revelados. Ou seja, só com o montante obtido com TV Aberta a emissora praticamente iguala o valor investido anualmente no futebol. Fora isso, com os direitos sobre os jogos, a RGT alavanca a audiência de outros programas exibidos antes ou depois do futebol. Mais do que isso, ao marcar as partidas para as 22 horas, horário que não agrada torcedores, ela evita concorrência a seus programas mais nobres como novelas ou Jornal Nacional.

TV Fechada

O STV é o canal esportivo de maior audiência na TV Fechada, sendo o terceiro mais assistido no geral atrás apenas de dois infantis. A maior renda que gera é a taxa paga por operadoras como Net e Sky. Esse valor não é revelado. Mas, em um processo no Cade, a Rede TV, SBT e Record apontaram que cada assinante paga R$ 20,00 por mês pelo pacote de canais Globosat. O colunista Ricardo Feltrin, do UOL, apontou que esse valor seria de R$ 12,50

De qualquer maneira, considerado o valor menor, a RGT ganhou em torno de R$ 3 bilhões de taxas por seus canais, já que são 20 milhões de assinantes de TV a cabo. Outros R$ 3 bilhões são gerados em anunciantes, elevando a renda da emissora a R$ 6 bilhões em TV fechada.

O STV é uma peça chave nesta equação visto que é o de maior audiência. E o Brasileiro é a competição mais importante da grade da emissora

Pay-per-view

O pacote de jogos pagos da RGT tornou-se um negócio muito lucrativo desde 2008. Sua divisão de receitas, no entanto, continua igual com a maior fatia indo para a emissora. São cerca de 2 milhões de assinantes. Cada um deles paga em média em torno de R$ 600,00 por ano. Isso eleva os ganhos do ppv a R$ 1,2 bilhão com os pacotes. Pelos contratos com os clubes, a emissora fica com 62% do total, enquanto as agremiações dividem 38%. Há uma cota mínima de R$ 500 milhões para os times, isto é, 41% do total estimado arrecadado. Ou seja, um percentual muito próximo do que efetivamente os times têm direito. Com a cota mínima, sobra para a RGT R$ 700 milhões do ppv

Outros direitos

A RGT tem outros contratos com os clubes para cessão de direitos internacionais, placas de publicidade, direitos de internet. São valores menores se comparados às três mídias acima, mas, neste modelo, a emissora atua como intermediadora em todos os negócios em vez deles serem feitos diretamente pelos clubes. No caso dos direitos internacionais, por exemplo, o Brasileiro é pouco vendido no exterior, o que gera reclamação dos clubes

Faturamento total No ano de 2014, a RGT declarou receitas líquidas de R$ 16 bilhões em todas as suas operações. Consideradas as três principais mídias, TV Fechada, Pay-Per-view e Aberta, a emissora consegue um valor certamente superior a R$ 3 bilhões com o futebol. Ou seja, o futebol representa pelo menos 20% do faturamento da RGT em uma estimativa conservadora

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se for verdade, gambás e mulambos devem chorar de dar birra pra mamãe platinada.

 

Edited by Papaléguas

Share this post


Link to post
Share on other sites

A única informação que tem aí é de possível acordo, de resto os valores não explicam nem mostram nada que possa ser tirado, de bom ou não. Se for somente fixo de PPV, pelos valores divulgados dos outros, seria ótimo. Entretanto, se tiver TV aberta no meio, já não parece ser um ótimo negocio. Enfim, é só um valor sem maior explicação, aguardo detalhes.

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 minutos atrás, car4ng0 disse:

A única informação que tem aí é de possível acordo, de resto os valores não explicam nem mostram nada que possa ser tirado, de bom ou não. Se for somente fixo de PPV, pelos valores divulgados dos outros, seria ótimo. Entretanto, se tiver TV aberta no meio, já não parece ser um ótimo negocio. Enfim, é só um valor sem maior explicação, aguardo detalhes.

povo ta chutando demais 118 milhões referente a o que? PPV + Luvas + Aberta

Ultimamente parece esqueceram de todas essas frentes...só ficam chutando PPV todo dia

car4ng0 likes this

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 minutos atrás, Luciano Borgognoni disse:

povo ta chutando demais 118 milhões referente a o que? PPV + Luvas + Aberta

Ultimamente parece esqueceram de todas essas frentes...só ficam chutando PPV todo dia

Mas a TV aberta já não tem o valor definido? 3 cotas: uma igual para todo mundo, uma pela audiência e uma pelo desempenho?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 minutos atrás, Gabriel disse:

Mas a TV aberta já não tem o valor definido? 3 cotas: uma igual para todo mundo, uma pela audiência e uma pelo desempenho?

 

Definido mesmo não têm da pra estimar.....vai depender da colocação.....de quantas vezes vai passar na aberta (Tanto que Palmeiras está exigindo X jogos da aberta pra fechar)

Têm a questão das luvas....gambás em urubus receberam 120 milhões por 5 anos....são mais 24 milhões por ano

Gambás e Urubus tb vão arrecadar 8 milhões com placas de publicidade outra coisa que o Palmeiras tb está querendo

Não da pra chutas um valor e não falar do que é!

Edited by Luciano Borgognoni

Share this post


Link to post
Share on other sites
35 minutos atrás, Jaimynho disse:

 

Será?

Não faz sentido esse valor, é quase o mesmo dos gambás?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para entender como funciona:

 

Nova distribuição das cotas de TV desafia os clubes do futebol brasileiro

Entrada menor de receita nos primeiros quatro meses de 2019 terá impacto no fluxo de caixa dos times

 
Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2018 | 05h00

 

A nova distribuição das cotas de TV promete ser um desafio para os clubes brasileiros em 2019. A partir da próxima temporada, os valores do acordo com RGT e Turner, além de uma cota fixa, vão levar em consideração jogos transmitidos e desempenho em campo, com uma menor concentração de verba nos primeiros quatro meses. A fatia da bolada será maior em maio, quando começa o Campeonato Brasileiro.

Estudo da EY em parceria com a Grafietti, Cesar Finance & Mgmt Consulting, a que o Estado teve acesso, aponta que o impacto disso no fluxo de caixa dos clubes poderá causas problemas sérios no início do ano.

 

Réver e Emerson Sheik Corinthians e Flamengo são os dois times de maior torcida no Brasil. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
 

"O mínimo é fazer um planejamento financeiro para o ano que vem, só assim vão conseguir honrar compromissos", entende Pedro Daniel, gerente sênior de consultoria para o mercado esportivo da EY. "Quem se antecipou e planejou terá vantagem competitiva interessante no primeiro semestre."

A RGT pagará 40% do montante do ano divididos igualitariamente (R$ 22 milhões por clube), com recebimento de 75% do valor entre janeiro e junho e 25% entre julho e dezembro, mensalmente.

A parcela de audiência (30%) será paga entre maio e dezembro. Por fim, os 30% referentes ao desempenho do time serão pagos em dezembro. A Turner usa fórmula parecida, com uma divisão de 50%, 25% e 25%.

"O Corinthians debateu esta solução e aderiu. Uma vez assinado, o clube não tergiversa com sua palavra. O descasamento do fluxo de recursos, se necessário, poderá ser reequilibrado com operações financeiras usuais no mercado", disse Luis Paulo Rosenberg, diretor de marketing do Corinthians.

Presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, que ainda negocia acordo com a RGT, utiliza argumento similar. "Muitos clubes que não se planejaram vão aos bancos, ao mercado para antecipar receitas, pagar juros sobre isso e, naturalmente, vão receber menos no fim do ano."

Pedro Daniel, no entanto, faz um alerta a esse tipo de expediente, que é uma prática usual na gestão dos clubes. "Não será mais possível usar o contrato como garantia porque você não sabe o valor final dele."

tv_campeonato_brasileiro_projecao_de_cota_2019_720_6.jpg

O Bahia, diz seu dirigente, não será atingido. "O clube está se programando para fazer pagamentos que eram diluídos ao longo do ano. Eles estão sendo projetados para o segundo semestre. É um jogo financeiro que acredito que podemos ser razoavelmente bem-sucedidos, sem alternar nossa política de não antecipar receitas do ano."

O impacto, segundo Pedro Daniel, será ainda maior para os times rebaixados. Dez equipes, segundo o site Infobola, ainda têm chance de cair. Chapecoense, América-MG e Vitória são os mais ameaçados nesse momento. O Paraná já caiu.

"Não existe mais o paraquedas. Vão migrar imediatamente da Série A para a B em termos de contrato", alerta. "Os times não vão conseguir cortar despesas na mesma velocidade que perderão receitas."

Há, claro, o inverso disso, para os times que vão subir. O Fortaleza terá um contrato mais lucrativo na Série A. "É um valor significativo, temos de usar com inteligência, apesar de ser mais do que recebemos na B e menos do que os outros recebem. Temos de montar um grupo competitivo para nos mantermos com as cotas da A. E, caso a gente não permaneça na Série A, não se endividar", diz o presidente do clube cearense, Marcelo Paz. A equipe tem acordo com RGT (TV Aberta) e Turner (TV Fechada).

Apesar do problema de fluxo de caixa nos primeiros meses do ano, quase todos os clubes receberão uma receita maior de TV do que em 2018. Neste aspecto, existe um detalhe importante: pela primeira vez foi firmado acordo à parte para os direitos internacionais e publicidade estática.

A CBF intermediou o contrato com a empresa BRFOOT Mídia S.A. no valor de R$ 550 milhões por quatro anos - R$ 440 milhões de placas e R$ 110 milhões em transmissões.

O contrato prevê o repasse de 50% aos times ainda em 2018 e o restante nas próximas temporadas. A divisão será feita de forma igualitária. Corinthians, Flamengo e Atlético-PR optaram por acordos individuais de publicidade estática. A CBF não quis comentar o acordo.

A RGT também não se posicionou para o Estado. Para Pedro Daniel, a mudança de distribuição das cotas de TV é um movimento natural. "O fluxo impacta no primeiro semestre porque não temos o Brasileirão."

DUAS PERGUNTAS PARA: Elias Albarello, Dir. Exec, Financeiro do São Paulo

1 - A nova distribuição forçará alguma mudança na gestão do São Paulo?

É uma mudança importante uma vez que os recursos estarão mais concentrados no segundo semestre. Por outro lado, como haverá uma antecipação de parte dos valores igualitários no primeiro semestre, o impacto tende a ser reduzido. Os clubes, por sua vez, precisarão ter uma gestão mais ajustada para se adaptarem a essas mudanças.

2 - O modelo agrada?

Nós aprovamos por estar relacionado diretamente com o desempenho esportivo e audiência. A meritocracia vai premiar quem conseguir entregar os melhores resultados, o que é mais justo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Honestamente, eu sei que se fechar será por um valor bem próximo dos mulambos e gambás. O Palmeiras estava fechado para passar o ano sem patrocínio se não tivesse uma oferta convincente. Se mudaram de ideia, é porque a RGT abriu as pernas.

Borine, #Aa51973 and Nelson Verdão like this

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não sei se o athletico fechou se não dobra o valor de jogos etc. Uma questão é o valor que perderá com assinaturas dos palmeirenses e athleticanos e etc. outra é o prejuízo que se dará nas ações na justiça, multas,  e provavelmente redução do valor pago pelos anúncio se você oferece menos que foi estipulado em contrato, pagaram a proporcionalidade isso deve gerar muito prejuízo. Acho que irão fechar por um valor razoável para os dois 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.