IPB

Bem-vindo, visitante ( Entrar | Registrar )

Perfil
Foto do membro
Avaliação
 
Opções
Opções
Quem sou eu
Palmeiras Todo Dia não escreveu sobre ele(a).
Informações pessoais
Palmeiras Todo Dia
Categoria Junior
Idade não informada
Sexo não informado
Localização não informada
Nascimento não informado
Interesses
Sem informação
Estatísticas
Cadastrado em: 23-March 10
Visualizações: 4,203*
Última atividade: 31st July 2016 - 12:39 AM
Horário local: Jan 23 2017, 05:44 AM
30 posts (0 posts por dia)
Contatos
AIM Sem informação
Yahoo Sem informação
ICQ Sem informação
MSN Sem informação
* As visualizações do perfil são atualizadas de hora em hora

Palmeiras Todo Dia

Administrador


Tópicos
Posts
Comentários
Amigos
Meu Conteúdo
31 Jul 2016
Caro Fernando,

Permita-nos chamá-lo pelo primeiro nome. Afinal, somos íntimos há três anos, desde que você chegou ao clube, com a desconfiança de muitos, para ocupar a posição de um ídolo santificado por nós. E se firmou de tal forma que muitos aqui já o consideram santo também.

E, sabe como é! Santo é Santo, sempre será lembrado! Se precisamos de ajuda, basta uma prece que ele aparece para nos salvar. E por quantas vezes você salvou nossa meta!!! Inúmeras, centenas de vezes! E, com isso, conquistou seu espaço no coração de cada Palmeirense.

E, nada mais justo, que sua santificação fosse reconhecida para envergar a camisa da seleção, assim como nosso outro santo protetor que, um dia, também a vestiu... e venceu!

Mas, quis o destino que esse sonho não se realizasse. No auge de sua forma, no melhor de sua carreira, mais uma contusão, mais uma frustração...

Mas, os santos tem poderes superiores aos dos simples mortais! Santos ressurgem! Ressuscitam! Renascem!

Então, Fernando, sabemos o quanto te dói tudo o que está acontecendo, muito menos pela dor no braço, mas a dor no coração. Por isso, sinta-se acolhido por 16 milhões de devotos, que também se uniram em orações e força quando nosso São Marcos se machucou. Sinta-se amparado pelos seus amigos que treinam com você todos os dias! Temos certeza que a cada jogo, eles se desdobrarão em campo para honrar o teu exemplo. Sinta-se bem representado pelos teus reservas, teus amigos de lutas diárias, que também honrarão teu posto.

Nós estaremos aqui, sempre! Nas arquibancadas da vida, em frente às TV’s ou com os ouvidos colados nos rádios ou com os olhos ligados nos placares da internet. Se nossa missão é torcer, torceremos de forma redobrada pela sua plena recuperação. E torceremos para que seu espírito esteja em cada defesa de Wagner ou Jailson, que teu exemplo esteja com cada homem de zaga, que tua força esteja com nosso meio de campo e que a tua garra esteja com nossos atacantes... E assim será, Fernando! Final do ano nos veremos no Allianz Parque, com você abençoando nosso título.

Melhoras, São Fernando!!! Estaremos contigo sempre!!!


Texto de J.M. Neto, moderador do PTD
19 Jul 2016
"Um editor de jornal é alguém que separa o joio do trigo – e publica o joio."
(Adlai Stevenson)


O Palmeiras terminou mais uma rodada, a décima quinta, como líder do Campeonato Brasileiro de 2016. Com a vitória no Beira Rio, que não vinha desde 1997, aumentou a distância que o separa dos segundo e terceiro colocados. Quebrou um incômodo tabu; venceu, com autoridade, num terreno historicamente inóspito. Fernando Prass não trabalhou – e bem poderia, como um dia fez seu maior antecessor, pedir um copo de café para tornar tolerável o frio de Porto Alegre.

A liderança incontestável do Palmeiras, é curioso observar, tem provocado reações diversas fora do Palestra Itália: reconhecimento dos rivais, surtos coletivos de histeria, elogios, desdém. O Palmeiras, embora isso jamais seja admitido publicamente, provoca, como nenhum outro clube, interesse. O Palmeiras é “polêmico”. A magnis maxima. O campeão de 2015 tem um título “incontestável”; o Palmeiras, jogando mais bola, tem uma liderança sempre questionada, sempre duvidosa.

Entre os motivos, os mais diversos – desde o famigerado “ainda é cedo” até exames mal feitos da tabela. Sim, houve quem dissesse que o Palmeiras havia assumido e mantido a liderança porque havia enfrentado, em sequência, Santa Cruz e América-MG (em casa), Cruzeiro (fora) e Figueirense (em casa). “Isso provoca uma distorção”, “o time enfrentou adversários mais fáceis e fez mais jogos em casa que o Inter, por exemplo”, bradou-se. Estávamos, então, na nona rodada. Não foi dito, porém, que a “distorção” provocada pela tabela só veio corrigir uma distorção anterior. O “recorte” feito pelo jornalista começou na nona e terminou na décima segunda rodada. Faltou dizer que nas oito anteriores o Internacional havia feito cinco jogos em casa e três fora; faltou dizer, também, que o Palmeiras havia enfrentado, em sequência, Fluminense, São Paulo, Grêmio, Flamengo e Corinthians. Cinco pedreiras. Dois clássicos num intervalo de duas rodadas. Faltou dizer que a “distorção” atual corrige uma passada e será corrigida por outra futura (na sequência do próprio Palmeiras, Sport fora de casa, Santos, Internacional e Atlético-MG). Faltou dizer que essas tabelas “segmentadas” e que essas “distorções” fazem parte dos caminhos de todos os times e, portanto, não podem, logicamente, beneficiar uns em relação a outros.

Voltemos ao Beira Rio. Depois da vitória incontestável, dessas típicas de campeões (assim esperamos) e, pelas chances de gol, menor do que poderia – e deveria – ter sido, ganhou as manchetes uma nova polêmica: um pênalti de Zé Roberto não assinalado pelo árbitro. Repetiu-se a jogada incontáveis vezes, pelo lado direito, pelo esquerdo, por cima, por baixo, por trás, pela frente e pela diagonal. Sobre a vitória e o futebol apresentado, alguma nota. Viveu-se um “replay” do que foi o dia 13 de junho, segunda-feira, dia seguinte ao Derby vencido por 1x0, quando na imprensa não se falou de outra coisa além da “polêmica” (porque bastante discutível) falta de Felipe em Fernando Prass no último lance da partida. O silêncio sobre o impedimento de Felipe na jogada foi constrangedor e ensurdecedor. O rival do dia, especialmente por seu técnico, lamentava o “erro” que havia “mexido no placar” quando, na verdade, devia ter ido – se é que não foi, longe das câmeras – do Allianz Parque a Itaquera de joelhos pela goleada que só não levou por centímetros que, em muitas jogadas, determinaram a saída e não a entrada da bola na meta. O impedimento foi enterrado para sempre. Do impedimento não se fala.

Também (quase) não se fala do gol mal anulado de Gabriel Jesus na derrota por 2x1 contra a Ponte Preta em Campinas; não se fala da expulsão injusta de Cuca nesse mesmo jogo (do ponto, sim, e não há problema nisso, já que o treinador errou, mas não é demais recordar que a suspensão era injusta); pouco se falou da falta em Dudu que originou o gol da derrota no Morumbi diante do São Paulo; o primeiro gol do Grêmio no Pacaembu, o gol mais impedido validado no campeonato, anotado no nariz do auxiliar, ficou ofuscado pela virada heroica do Palmeiras; o pênalti mais claro não marcado no campeonato, diante do Flamengo, ficou ofuscado pelo pênalti bizarro de Martins e pela vitória alviverde no jogo; do gol irregular, novamente por impedimento, que garantiu o empate do Coritiba no último lance do jogo no Couto Pereira e arrancou dois pontos do Palmeiras, nada se falou; o gol impedido de Grafite no Allianz Parque foi soterrado pelos três gols do então novo líder; o pênalti em Edu Dracena no último lance na derrota no Mineirão diante do Cruzeiro nem entrou na pauta; o segundo pênalti mais claro do campeonato, não anotado diante do Santos quando o jogo ainda estava um a zero a favor do Palmeiras, já no segundo tempo, também passou longe de ser assunto no rádio, na TV ou na internet.

O polêmico pênalti de Zé Roberto ganhou mais espaço que aquele concedido a todos esses erros somados. A fructibus eorum cognoscetis eos. Dessa vez, ainda se foi além. Questionado sobre o lance, Cuca lembrou que sequer houve reclamação considerável dentro do estádio. Deu a opinião dele, porque questionado. “Uma aula de hipocrisia” daquele cujo critério “só pode ter a cara de pau como conteúdo”, daquele que é “o mesmo que, suspenso, usou o ponto eletrônico” (e vai ser julgado pelo uso do ponto na injusta suspensão), cravou um blogueiro, quem ainda completou: “ganhar de qualquer jeito está sempre em primeiro lugar”.

Ignoramos a afirmação segundo a qual “Cuca é ótimo em reclamar” – o técnico líder do campeonato pouco ou nada falou diante de todos esses erros de que seu time foi vítima; adotou, na verdade, uma postura bem diferente, por exemplo, daquela adotada pelo atual técnico da seleção em seu ex-clube, que, é de conhecimento notório, sofre bem menos com os erros de arbitragem do que o Palmeiras, e dessa postura pouco se falava. Destacamos, sim, a última frase - precisa, o retrato do Palmeiras de Cuca, caro blogueiro: ganha de qualquer jeito, mesmo com essa enxurrada de erros de arbitragem contra si, e segue sempre em primeiro lugar. E, ao que tudo indica, se nenhum erro for maior que o futebol do time, como foi aquele contra o Fluminense em 2009, como eram todos os erros quando o time, frágil, foi rebaixado para a segunda divisão, será o primeiro colocado até a trigésima oitava rodada.

Ab auditione mala non timebit. O homem honrado não teme murmúrios. O Palmeirense não teme murmúrios. O Palmeirense não teme a seletividade.

Por fim, torcida Palmeirense, não é demais sublinharmos que, mesmo num ambiente repleto de “clubismo”, como é o ambiente da imprensa esportiva no Brasil, entre os bons e os maus jornalistas, entre os torcedores, diplomados ou não, que empunham um microfone, entre os blogueiros, mais e menos conhecidos, e entre os próprios jogadores e torcedores colorados, que pouco reclamaram do lance, houve uma certeza manifestada em olhares de soslaio, a mesma certeza que manifestamos, entre nós, em olhares de confiança e cumplicidade: a presença de Fernando Prass, o goleiro da seleção olímpica, o melhor goleiro em atividade no país, transforma “probabilidade” em apenas “possibilidade” de gol quando um batedor ajeita a bola na marca do pênalti. É, sim, uma monstruosidade; a ordem regular da natureza se altera de tal modo que cravar que “ali era o empate colorado” chega a soar temerário, como soavam afirmações dessa natureza quando entre as traves estava Marcos. Dessa certeza, que todos tinham e ninguém admite, também não vai se falar.

Palmeiras Todo Dia
O Site Oficial do Torcedor Palmeirense

Texto de Gabriel Augusto e Marcello Barbosa
14 Nov 2015
A morte de um cidadão com a camisa do Santos há poucos dias foi creditada à "torcedores Palmeirenses" pelo simples fato do assassino estar vestindo uma camisa verde, conforme registrou a câmera de segurança do local onde o crime aconteceu.

UOL Esporte
Taxista agredido por palmeirenses em um posto de SP morre

ESPN Brasil
Torcedor do Santos agredido a pauladas por suposto palmeirense morre em São Paulo

Terra
Morre torcedor do Santos agredido por palmeirense em SP

IG
Supostos torcedores do Palmeiras foram filmados agredindo Gerson Ferreira de Lima com um pedaço de pau, no domingo

Gazeta Esportiva
Torcedor do Santos morre em ataque: palmeirenses são suspeitos


Sem qualquer tipo de apuração, o que contraria os princípios básicos do jornalismo, os veículos acima (e outros) não se importaram em eventualmente criar um clima de tensão entre as torcidas, que se encontrarão nas finais da Copa do Brasil. A irresponsabilidade foi proporcional ao amadorismo cometido em associar um crime bárbaro à uma torcida inteira por causa de uma simples cor de camisa.

Passado quase uma semana do crime, os suspeitos foram presos e o caso elucidado. A motivação não teve como pano de fundo o futebol. Quanto a camisa verde que o assassino vestia, era exatamente essa:


Imagem: Reprodução

Além do coitado assassinado covardemente com uma paulada na cabeça, morreu também o profissionalismo e a credibilidade dos veículos que quiseram desempenhar o papel de polícia sem ao menos ter competência para exercer o jornalismo.

Nossas condolências;

Palmeiras Todo Dia
O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!
29 Oct 2015
Um Palmeiras estagnado incomoda muita gente.
Um Palmeiras forte incomoda muito mais.

Os ataques ao Verdão, finalista com méritos da Copa do Brasil, se intensificaram nas últimas semanas, seja pelo futebol fraco que de fato o time tem apresentado, mas que alguns maldosos hipervalorizam, ou por supostos erros de arbitragem cometidos a nosso favor, algo que soa como uma verdadeira ofensa aos nossos ouvidos, visto que somos rotineiramente assaltados pelo apito, inclusive nos jogos que alguns jornalistas falam que fomos ajudados, casos dos duelos contra Internacional e Fluminense (nos dois jogos em ambos confrontos).

O mau-caratismo de alguns analistas beira o absurdo de brigar com imagens e até mesmo com a regra, mas repudiamos tais atitudes não pela opinião desses profissionais, que são insignificantes, e sim pelo prejuízo técnico que pode vir a nos causar, uma vez que os ataques são feitos em programas de TV e de rádio, veículos de grande alcance. Uma mentira dita várias vezes, aos ouvidos de pessoas suscetíveis, vira verdade. Quem garante que os árbitros dos nossos próximos jogos não compensarão os supostos erros cometidos a nosso favor?

A campanha para desmerecer nossa classificação à final da Copa do Brasil, que já estava em curso, se intensificou, e as armas utilizadas por nossos inimigos são as mais sujas e rasteiras possíveis, como manipulação de informação e distorção de fatos. A torcida Palmeirense, porém, representada neste espaço pelo PTD, sempre estará a postos para defender o clube e com a arma mais letal de todas: a VERDADE.

Palmeiras Todo Dia
O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!
3 May 2015
Perder uma decisão de campeonato é frustrante para qualquer torcedor, mais ainda para o Palmeirense, que viveu anos recentes difíceis, mas que também sabe como é bom ser campeão.

Não ter levantado o título do Paulistão, porém, desta vez não representa um fim, e sim um meio, pois agora temos um time que será capaz de tirar uma lição do vice-campeonato. O sentimento de frustração é "abafado" com uma perspectiva positiva, desta vez baseada em fatos, não em mera ilusão.

Se ainda não temos um esquema tático 100% consolidado, algo normal para uma equipe formada apenas há 4 meses, sabemos que temos jogadores capazes de tornar o time ainda mais forte. Alguns obstáculos superados durante o próprio Paulistão é que nos trazem essa certeza.

Durante o estadual voltamos a vencer clássicos, eliminamos o "time da Champions League" na casa deles e nos tornamos quase imbatíveis como mandantes. Apesar do nível técnico do campeonato, isso não é pouco.

Não é o momento de caça às bruxas ou de cobranças exageradas, como alguns fazem por exemplo com Dudu; o atacante perdeu o pênalti e foi expulso, mas disputou um excelente Campeonato Brasileiro em 2014 pelo Grêmio, não a toa foi disputado a tapa por nossos principais rivais. Ele, assim como outros que ainda não mostraram 100% de seu potencial, serão muito importantes no restante da temporada.

O momento é de apoio e de confiança, e da parte do Palmeiras Todo Dia isso não faltará.

Sábado começa o Brasileirão. O adversário será o Atlético-MG. Bora lotar o Allianz Parque?

Palmeiras Todo Dia
O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!
Últimos visitantes


13 Jan 2017 - 12:05


9 Jan 2017 - 14:44


1 Jan 2017 - 15:12


31 Dec 2016 - 1:21


30 Dec 2016 - 9:19

Comentários
Outros usuários não deixaram comentários para Palmeiras Todo Dia.

Amigos
Não há amigos para mostrar.
 
Versão Simples Horário: 23rd January 2017 - 03:44 AM
Fórum Palmeiras Todo Dia - Design by: IPB Skin & Free Proxy