1. Palmeiras em debate

    1. Fórum Palmeiras Todo Dia

      Fórum destinado a debates única e exclusivamente sobre o Palmeiras

      744.682
      posts
  2. Dúvidas e Sugestões

    1. Dúvidas, Testes e Sugestões

      Tire suas dúvidas sobre o Fórum ou sobre qualquer outro assunto, faça testes e deixe suas sugestões neste Fórum.

      1.628
      posts
  3. Arquivos

    1. 602.859
      posts
    2. Copa do Mundo 2014

      Fórum provisório para debate da Copa do Mundo

      3.882
      posts
  • Próximos Eventos

  • Últimas postagens

    • A divida cresce com juros TB de uma ano para o outro. Teve quase 30 milhões de juros Bancários pagos em 2017....As operações têm juros....acho que é isso..foram 27 milhões de juros pagos ano passado fora o principal que foi amortizado....só não entendi porque teve tanto juros pagos ano passado em relação da 2016
    • Grande Chester B.  Penso da mesma forma, e ela diz que não quer se candidatar né. Vamos ver
    • Pontos destacáveis da reportagem - No Brasil, o clube é o que mais gasta na remuneração de seus jogadores. Foram R$ 222 milhões despendidos em 2017, soma de salários e direitos de imagem que só o Flamengo ousa chegar perto. - Pra quem perguntava da folha do Pagamento do Futebol Profissional pode ser esse Valor 222/13 = 17 milhões por mês.....Incluindo décimo terceiro salários...não sei se comissão técnica está incluída ai - O Palmeiras é, também, o brasileiro que mais investiu na aquisição de novos atletas. Nisso nem o Flamengo se aproxima. É uma espécie de Chelsea brasileiro. E, tal qual o colega britânico que passou a vencer depois de ter injetados os bilhões do russo Roman Abrahamovic, a performance esportiva alviverde melhorou drasticamente. - Quando se avalia a origem do dinheiro, também se vê uma distribuição saudável das receitas. A televisão correspondeu por um terço do faturamento. A Crefisa e seu patrocínio, o maior do país, também por apenas um terço do total. A torcida, uma linha que agrega as bilheterias do Allianz Parque e o programa de associação, outro terço. Premiações e transferências de jogadores, inconstantes, ajudam, mas representam pouco. - Tudo OK aqui - O dinheiro excedente na operação contribuiu para que mais uma vez o endividamento alviverde fosse reduzido, em 31 de dezembro de 2017, para R$ 284 milhões. A parte “bancária” é um ponto em que o Palmeiras se destaca em relação aos adversários. Os R$ 44 milhões – que já foram quitados no primeiro semestre de 2018 – eram devidos não a bancos, mas ao ex-presidente Paulo Nobre. O Palmeiras não deve nada a instituições financeiras tradicionais com suas altas taxas de juros. A parte fiscal está equacionada e diminui pouco a pouco. O clube está tão confortável em relação ao que deve ao governo, por impostos não pagos em administrações anteriores, que decidiu nem entrar no Profut em 2015, a renegociação mais recente de débitos fiscais de clubes de futebol. Ambas equacionadas pelos próximos anos, as dívidas bancárias e fiscais não são problemas, tanto na análise individual quanto na comparação com outros times. - Tudo OK aqui A estratégia agressiva no mercado do futebol impõe riscos às finanças. Isso fica evidente na análise da dívida do Palmeiras com clubes e empresários de jogadores, decorrente das negociações de atletas profissionais. Esta linha aqui chamada de “outros”, que era de R$ 89 milhões em 2016, subiu para R$ 117 milhões em 2017. Por um motivo lógico. A aquisição de um atleta não é paga à vista - Esses 117 milhões ja eram só do Palmeiras ou ainda temos que acrescentar os 120 da crefisa? Palmeiras precisa começar a amortizar com adiantamento as contratações a prestações tanto da Crefisa como com recurso próprio, visto que aceleraram o pagamento da Divida Bancaria (Paulo Nobre). só lembrando que esses são valores devidos a prestações devem estar distribuídos por alguns anos em parcelas Mais um sinal desse risco de médio prazo está no endividamento trabalhista. Dentro dos R$ 284 milhões devidos no total, R$ 56 milhões correspondem a débitos com jogadores que não receberam e entraram na Justiça para receber o que lhes foi prometido. Só que esse número não esgota esta linha da dívida. A regra contábil manda que o clube insira em seu balanço todas as dívidas de processos cuja perda na Justiça é dada como “provável”. Mas há também processos nos quais o Palmeiras diz que a perda é apenas “possível” – ou seja, ele crê que conseguirá revertê-la. Em 2016, o time tinha deixado R$ 314 milhões fora do seu endividamento trabalhista com a interpretação de dívida “possível”, mas não “provável”. Em 2017, houve um absurdo aumento desta quantia para R$ 503 milhões. Pode ser que o Palmeiras tenha de pagar todo esse dinheiro, pode ser que tenha de pagar apenas parte dele. De qualquer modo, acende-se um sinal de alerta para a administração de Galiotte - Preocupante isso jamais foi falado em nenhum balanço + de 500 milhões divida trabalhista....como os antigos dirigentes eram caloteiros A partir de 2018, com efeito retroativo, o dinheiro emprestado pela Crefisa para contratações precisa ser devolvido com juros. Há dois efeitos decorrentes disso. Aquela dívida bancária, que tinha zerado no momento em que o Palmeiras pagou Paulo Nobre, crescerá no balanço de 2018. O valor vai depender das transferências no decorrer desta temporada e de eventuais pagamentos que o clube possa adiantar. Além disso, outro alicerce alviverde para sanar seu fluxo de caixa diante de tantas contratações foi fragilizado. O clube ainda tem uma patrocinadora fortíssima ao lado, mas o despejo de verba ficou regrado. O clube era dono de 42% dos direitos econômicos do elenco profissional em 2016, em média, e passou a deter 50% desses direitos em 2017. Se a administração ficar apertada com os gastos que assumiu, como alguns indicadores financeiros sugerem que pode acontecer, existe sempre a possibilidade de vender algum jogador para levantar dinheiro - Pouco ainda....vou dar uma checada nesse itêm ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Fiquei um pouco preocupado em uma eventual saída da Crefisa num curto prazo lendo a Reportagem, pois traria um Rombo de 70 milhões mais ou menos tomando como parâmetro o mercado....Receita com TV está estabilizada, pois contratos acabaram de ser assinados e Receita com Torcida já está no talo na minha opinião não têm como aumentar tanto a Receita com avanti e os ingresso pra jogos já estão bem salgados o que da pra fazer nesses itens e diminuir suas despesas, principalmente com avanti que aumentou demais em 2017 Eu sendo o Palmeiras tentaria adiantar os pagamento do Investimentos feitos em atletas com recurso próprios, em segundo amortização de investimentos feito pela Crefisa e Terceiro amortização da Divida Fiscal que não e tão alta Que Galiotte se Reeleja e continuemos com patrocínios por mais 2 ou 3 anos pra quitar esse investimentos caso contrario o bicho pode pegar.....foi muito investimento pra qualificação do elenco, porém não podemos esquecer que apesar dos investimentos no também temos os valores desses ativos que viram receitas e medidas que realizamos as vendas  
    • Hoje dos clubes grandes somente Inter e Palmeiras tem mandato de dois anos. Eu sei,que historicamente desde na época que acompanho, é que no Palmeiras sempre houve resistência de mudança no tempo de mandato de que com 2 anos, se um presidente for muito mal é rápido para vc trocar. Aí vai das pessoas de concordarem ou não com esse ponto de vista.
    • É para beneficiar sim pq seria já para esta eleição e não para a próxima, como seria o normal.