Felipe_Monte

Membro
  • Total de itens

    39
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Felipe_Monte

  • Rank
    Categoria Iniciante
  • Data de Nascimento 01-11-1990

Profile Information

  • Gênero
    Male
  1. Segue uma notícia do site do Cruzeiro assim que ele foi contratado contando um pouco mais sobre a carreira: http://www.cruzeiro.com.br/index.php?section=conteudo&id=11119 Nos dois últimos anos, foi bi-campeão da Copa do Brasil pelo Grêmio (2016) e Cruzeiro (2017). Palmeiras (2018) ...?
  2. 1001? Só porque eu fui ver o filme do Pelé.
  3. Não é o Twitter, mas o Instagram dele e não é fake, acontece que nas respostas não aparece o símbolo de verificado. https://www.instagram.com/p/BcGHWYZHbVE/
  4. Postar aqui um comentário meu sobre ele no tópico de Especulações: Parece que a vinda do Weverton é iminente, então eu resolvi ver alguns vídeos dele em momentos distintos na carreira - alguns mais antigos e outros recentes - para ter uma noção das suas características e vi que: 1 - Não é um goleiro lento, possui certa agilidade na recuperação e não tem medo de dividir, mas em geral ele corre até próximo ao atacante e espera a conclusão da jogada, ficando de joelhos com os braços abertos. 2 - Possui boa impulsão mas tem o hábito de ficar adiantado. 3 - Não costuma segurar a bola e vive dando rebote para o meio da área, sério, em todos os vídeos que vi ele faz muito isso, não importa se o chute é fraco ou forte, com exceção daqueles nos cantos e no ângulo, dai ele espalma pra escanteio. 4 - Usa pouco os pés (embora isso seja acessório), seja em defesas quanto em fazer algum lançamento/jogada, é um estilo diferente do Prass, por exemplo, que costuma defender com a coxa/canela/pé quando a bola vem meio baixa, o Weverton sempre usa o braço. 5 - Não é muito bom em saídas pelo alto, quando não está espalmando pra frente (não longe, mas pro meio da área), as vezes perde o tempo da jogada (caça-borboleta). 6 - Defende pênaltis.
  5. Digamos que é um erro comparar a postura e parte das críticas da torcida entre 2014 e 2017 por se tratarem de contextos totalmente diferentes. Naquele ano, o clube passava por uma drástica sangria, desde o ano anterior sem patrocínio master, atraso em salários, cotas adiantadas, fluxo de caia reduzido, pagamentos atrasados, perfil de contratações com base em empréstimos de jogadores em baixa ou apostas, lentidão nas negociações, trocas de técnicos, sem estádio, programa sócio-torcedor pouco atrativo e inexplorado, marca desprestigiada etc; reunindo vários indícios de que seria mais um ano sem títulos e pouco competitivo, o que acabou não só se concretizando como ainda correu o risco até a última rodada de ser rebaixado pela terceira vez, logo, as críticas eram totalmente justificáveis e compatíveis com a realidade daquele momento. Em 2017, o clube manteve praticamente a base campeã do ano anterior, contratou os dois melhores jogadores campeões da Copa Libertadores além de outros que eram disputados por outros clubes - sendo alguns deles campeões -, salários em dia, fluxo de caixa alto, patrocínio com maior investimento do país, programa sócio-torcedor equivalendo a um patrocínio master, receitas com estádio, marca prestigiada no mercado, infra-estrutura a nível europeu etc; condições suficientes para disputar e com grandes expectativas de vencer algum campeonato e o que acabou acontecendo foi o time não ter sabido usar tudo isso ao seu favor, onde durante o ano não conseguiu possuir um padrão tático definido, vários jogadores destaques do ano passado passando a ter uma má fase coletiva com atuações pífias, partidas ruins com péssimos resultados, eliminação no Paulista tomando goleada da Ponte Preta, outra goleada jogando em casa contra o Cruzeiro (sendo eliminado posteriormente em BH), partidas sofríveis na Libertadores, transformando cada jogo em um martírio, perda de jogos para equipes inferiores e vários clássicos no Campeonato Brasileiro, a ponto de ser vice não por totais méritos mas também contando com a incompetência das outras equipes. Portanto, a insatisfação ou indignação pela equipe também é justificável - ainda que tenha sido vice campeã - porque o rendimento (que também deve ser considerado) durante o ano foi muito abaixo do que poderia ter sido, levando em conta todos esses fatores e a forma como foi eliminado nas outras competições, ambas as posturas se justificam pelo contexto em que estão inseridas, se há algo contraditório é o próprio Palmeiras se auto-sabotar e ter subutilizado o seu potencial este ano.
  6. Pra cima deles!
  7. Sem comparações com os nossos goleiros e suas personalidades, o Santos parece ter dois goleiros confiáveis, ao menos o Wladimir demonstrou potencial e fechou o gol nos poucos jogos que substituiu o Vanderlei. Agora com relação aos nossos, o Vinicius foi bem naquela partida contra o Santos, mesmo que tenhamos perdido, e o Fuzato estava até sendo convocado para a seleção sub-20 e também foi chamado para participar dos treinos na Seleção Olímpica junto com o Prass ano passado, além de se tornar Campeão Paulista sub-20 hoje. Promissor, bem promissor.
  8. Com esse tanto de Lima no time, é fazer aquela Limonada e azedar pros rivais!
  9. Digamos que o ano comprometeu a imagem de alguns zagueiros, por terem ficado (mais) expostos diante da ausência ou efetividade de um padrão tático, mas não são ruins como aparenta(ra)m, somando a isso, é pouco tempo de clube para avaliarmos melhor o seu rendimento. Pelas características dos nossos zagueiros, uma formação com três pro ano que vem poderia ser uma opção: alguns deles atuam melhor do lado direito (Mina, Dracena), outro pelo lado esquerdo (Juninho), Luan joga dos dois lados, assim como o Thiago Martins (que talvez esteja abaixo somente do Mina e disputaria com o Dracena ou jogaria com este centralizado), não estou contando com o Antonio Carlos porque parece que não vai permanecer, mas das poucas partidas que jogou, não comprometeu em nenhuma. Ps: estava me esquecendo do Emerson, que dizem ser promissor e também vai estar com o grupo desde o início. Pro ano que vem vai ser interessante ver esses caras jogando o que sabem, ao menos a perspectiva é essa, ainda mais com o Centro de Excelência na Pré-temporada, todos vão estar no mesmo ritmo de preparação.
  10. Nada mais justo, e o mesmo deve(ria) ocorrer com o Prass. Por isso o Palmeiras se destaca, Zé veio praticamente em fim de (uma bela) carreira e ainda jogou muito, a ponto de ter sido destaque da equipe e ter sido coroado com títulos, mas não somente isso, se identificou muito com o clube, e a levar pelo seu caráter, ética e profissionalismo, não foi mera coincidência ter optado pelo Palmeiras (e vice-versa), que mais exemplos assim continuem existindo no futebol.
  11. É isso.
  12. Adotar um modelo permanente (independente da formação) pode limitar a forma de jogar da equipe (apesar de os jogadores não ficarem "estanques" em suas posições no decorrer do jogo), além de torna-la previsível em um espaço de tempo menor do que com uma variação de esquema tático, uma certa flexibilidade pode ser o melhor caminho em se tratando de competições diferentes como um campeonato por pontos corridos e outro por eliminação. Tomando como base nosso próprio elenco, eu gostei da forma como o Cuca usou o 4-3-3 ano passado tanto quanto arriscou um 3-5-2 em uma partida ou outra partida e talvez devesse ter explorado um pouco sem abdicar da outra formação, no papel nosso elenco possui uma capacidade maior de variação em relação aos demais e devemos explorar isso. No Paulista poderia ser um 4-4-2 e no Campeonato Brasileiro um 3-5-2 para jogos fora de casa devido ao desgaste da competição, protegeria a zaga e desafogaria os atacantes e alas etc.
  13. Não, esse é o Tiago (sem "h") Pagnussat que já estava no elenco deles e que veio do Atlético-MG.
  14. Algo que me pergunto é se a queda brusca de rendimento neste ano de vários jogadores do elenco campeão do ano passado teria a ver com a troca dos membros do Departamento Médico em Janeiro.