marsan.marco

Membro
  • Total de itens

    406
  • Registro em

  • Última visita

Sobre marsan.marco

  • Rank
    Categoria Profissional
  • Data de Nascimento 03-12-1966

Contact Methods

  • Website URL
    http://

Profile Information

  • Gênero
    Male
  • Localização
    Jundiaí/SP
  • Interesses
    Palmeiras, esportes em geral, ciência e ficção científica, teologia...

Últimos Visitantes

2.021 visualizações
  1. Gosto da regra que existia no passado e que ainda vale no futsal: em jogos de mata-mata não conta saldo de gols. Vitórias por qualquer placar têm o mesmo peso. Fazendo algumas adaptações, se um time perder a primeira por 2x0 e vencer a segunda por 1x0, vai para a prorrogação. Aí tem vantagem do empate quem teve o melhor saldo de gols no confronto. Se os saldos estiverem zerados, novo empate na prorrogação leva para os pênaltis. Vantagens disso? Um time que tomar um gol fora de casa pode partir para o ataque sem medo de tomar uma goleada. Um time que golear no primeiro jogo não pode simplesmente sentar em cima do resultado no jogo de volta. Acho que a retranca e o anti-jogo tenderiam a diminuir. Há desvantagens também, mas talvez valha a pena um teste.
  2. Quando um atacante aparece cara a cara com o goleiro e faz o gol, nunca podemos dizer que o goleiro "falhou". Porém quando o atacante sai cara a cara com o goleiro e não faz o gol, geralmente é mérito do goleiro, que fechou bem os ângulos e obrigou o atacante a correr mais riscos na finalização. Com o Prass de hoje, este segundo caso nunca ocorre, pois ele não dificulta a vida do atacante. É só dar a cavadinha e tocar por cima. Ele sempre cai para trás antes da finalização. Não é exatamente uma falha, mas é uma deficiência técnica. Não dá para colocar a derrota nas costas dele, mas ele poderia ter feito mais. Contudo, considerando que o time todo pouco produziu, não dá para culpar um ou outro.
  3. Acho que não podemos misturar as coisas. Dizer que o Prass não está bem hoje não significa tirar os méritos de tudo o que ele já fez. A idade e a contusão recente estão sim atrapalhando seu desempenho. Ontem, no segundo gol, ele estava deitado antes do atacante bater para o gol. Na hora que o garoto arma o chute nosso goleiro já está caindo, como tem feito sempre desde que voltou da contusão. Percebi isso claramente. É só tocar por cima, nem precisa escolher lado. Há um ditado muito antigo que diz que todo grande time começa por um grande goleiro. Prass, neste momento da sua carreira, não é mais um grande goleiro no nível que precisamos. E repito, para que fique bem claro: isso não desmerece o que ele já fez por nós. O fato é que, num esporte profissional de alto rendimento, todos precisam saber o momento de parar. Não fico contente em dizer isso, mas acho que o Prass jamais retornará à mesma forma de quando foi convocado para a seleção olímpica. Hoje é um goleiro de razoável para bom, mas precisamos mais que isso. Edit.: Outro detalhe importante. Observem a expressão de dor do Prass toda vez que ele salta para buscar uma bola no alto e cai sobre o braço. Ele claramente sente o cotovelo toda vez que há algum impacto. Não dá mais.
  4. Considerando que FM só tenta alcançar a bola porque o atacante está ali, se deslocando em direção a ela e se preparando para a finalização, então está configurada a participação na jogada. Se o atacante não fosse em direção à bola, o defensor não tentaria fazer o corte. Portanto, impedimento bem marcado. Porém fomos beneficiados no primeiro e no quinto gols, ambos irregulares. Agora que o campeonato está decidido, acredito que aparecerão alguns erros a nosso favor em todas as rodadas restantes. Assim conseguirão "equilibrar" as estatísticas de erros contra e a favor.
  5. Bem, ainda acho que o domínio do espaço apresentado pelo Flamengo foi ilusório, infrutífero. Quantas vezes conseguiram penetrar na nossa defesa? A melhor chance deles foi a pixotada do Luan, que quase fez contra. Nossa cobertura foi muito boa. No mano a mano ganhamos quase todas. Tivemos saídas rápidas para o ataque e só não fizemos mais gols por falha no passe final. Estivemos mais próximos do terceiro gol do que eles do primeiro. Mas entendo e respeito a opinião dos colegas. Como dizia um famoso personagem, esse tipo de análise é uma faca de dois legumes. Quando perdemos, também temos a tendência de achar que nosso time é ruim, que não jogamos nada ,etc. É difícil reconhecer os méritos do adversário.
  6. O Flamengo não jogou nada ou o Palmeiras controlou os espaços e não deixou o Flamengo jogar?
  7. Por mais que me esforce, não consigo encontrar uma única razão técnica ou tática que justifique a contratação de Weverton.
  8. Senti falta de alguns nomes na lista: Fernando Diniz, Vagner Mancini, Zé Ricardo, Leonardo, Givanildo... Já que pode ser qualquer um, pode ser qualquer um. Do jeito que a coisa anda, acho que a melhor saída seria procurar um medium que fosse capaz de incorporar Oswaldo Brandão, Don Filpo Nuñes, Telê Santana, Cláudio Coutinho, Vicente Feola... O fato é que o futebol mudou e nossos técnicos não evoluíram. Dizemos que os técnicos brasileiros são todos iguais. Mas todo ano algum é campeão, nos estaduais, na Copa do Brasil, no brasileiro, etc. Isso significa que no fundo o que faz a diferença não é a qualidade técnica ou a visão tática do treinador (todos são iguais). O que conta mesmo é a combinação imponderável de elementos certos, na hora certa, no lugar certo.
  9. Concordo que Bruno e a arbitragem ajudaram. Discordo que Felipão não tenha sido o principal responsável. E salve a democracia.
  10. Isso! E rebaixou o time no mesmo ano!
  11. Detalhe importante é que o auxiliar que não marcou o impedimento foi o mesmo que livrou a cara do Gabriel na "invasão" de campo.
  12. A Cesar o que é de Cesar. Foi pênalti no Jô assim como havia sido no Keno contra o Cruzeiro. O que podemos reclamar sobre esses lances é a falta de critério. Quanto ao gol impedido do Romero e da não expulsão do Gabriel ao "invadir" o campo sem autorização, não há desculpas.
  13. Kkkkk. Nem lembrava que o Bizu tinha feito algum gol jogando pelo Palmeiras. Mas lembro muito dele, tanto que batizei meu shih-tzu de Bizzu. Minha primeira lembrança foi Palmeiras 4x0 Corínthians, pelo segundo turno do Campeonato Paulista de 1974. Eu estava jogando bola com meu tio no quintal de casa e meu pai ouvindo o jogo pelo rádio. Cada vez que saia um gol, ele saia na porta e anunciava: "Gol do Palmeiras". Lembro que lá pelo terceiro ou quarto gol, respondi: "De novo?". Edit.: Pensando bem, aquela partida foi 4x1, e não 4x0. A data era 15/12/1974.
  14. Isso é para confundir a defesa adversária.
  15. Vi agora no site: o cartão dá direito a comprar uma camisa oficial por 118,80 a cada 12 meses. Então a camisa sai por 84 + 118 = 202. É comum aparecerem promoções mais vantajosas. Eu mesmo comprei a camisa 1 por menos que isso. Para quem já tem outro cartão, acho que não vale a pena.