Eduardo Luiz

Administrador
  • Total de itens

    12.453
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Eduardo Luiz

Contact Methods

  • Website URL
    http://www.palmeirastododia.com

Profile Information

  • Gênero
    Male

Últimos Visitantes

59.964 visualizações
  1. O tópico será aberto às 18h50.
  2. O tópico será aberto às 18h50.
  3. Rodada 31, jogo no Allianz Parque.
  4. "Nunca entenderemos o que se passa pela cabeça de um jogador de futebol. O diálogo seguinte reproduz textualmente o que citamos acima: "- Qual a sua preferência, Cuca ou Alberto?". Continua no site... http://www.verdao.net/ver_coluna.php?c=1067&id=658
  5. Valeu, pessoal. O Vicari é um dos poucos que se salvam na ESPN, ele debate numa boa. E a resposta não foi pra ele, e sim pra matéria ridícula do site. Outros veículos noticiaram essa questão das datas, mas só a ESPN fez sensacionalismo.
  6. Ficha técnica: Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura, Rafael Thyere, Bruno Rodrigo e Bruno Cortez; Michel, Cristian, Everton, Luan e Michael Arroyo; Jael Técnico: Renato Gaúcho Palmeiras: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Bruno Henrique, Tchê Tchê e Moisés; Keno, Borja e Dudu Técnico: Alberto Valentim Local: Arena Grêmio, Porto Alegre (RS) Data: 22/10/2017, domingo Horário: 17h (de Brasília) Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG-FIFA) Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG-FIFA) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)
  7. Como o jornalista Diego Garcia, da ESPN Brasil, não dignificou a profissão ao averiguar os fatos antes de publicar a matéria extremamente sensacionalista sobre a possibilidade da WTorre "impedir o Palmeiras de usar o Allianz Parque em 300 dias ao longo de 2018", o PTD rebate abaixo (em verde) cada ponto do texto. "O Palmeiras pode ficar cerca de 300 dias sem poder utilizar o Allianz Parque ao longo do ano de 2018. Tudo por conta da WTorre, que notificou o clube sobre as datas que pretende utilizar o estádio na próxima temporada, segundo apurou o ESPN.com.br. Por temporada, cada time brasileiro faz no máximo 40 jogos como mandante. Em 2017, contando um amistoso, o Palmeiras terá disputado 34 jogos em casa, sendo 29 no Allianz Parque e 5 no Pacaembu, ou seja, seguindo a linha de raciocínio da ESPN, a WTorre terá "impedido" o Palmeiras de usar o Allianz Parque por 336 dias. A construtora avisou o Palmeiras oficialmente de que pode solicitar pelo Allianz à disposição quase 300 dias durante todo o ano de 2018, de olho na promoção de shows e atividades corporativas. Por contrato, a construtora deve avisar ao clube previamente as datas que pretende fazer eventos na arena (nem todos acabam confirmados). Isso possibilita ao Palmeiras "negociar" com federações e confederações confecções de tabelas, minimizando assim a possibilidade de não jogar na arena. Ocorre que, para cada evento promovido, a WTorre precisa também de vários dias para montagem e desmontagem dos equipamentos, preparação do estádio e outros pontos de organização que precisam estar nos conformes durante cada show. De fato exige uma logística, mas apenas para grandes shows, e geralmente na fase de montagem dos palcos. A desmontagem é feita rapidamente. Em 2017 o Palmeiras chegou a jogar na arena 4 dias depois de um grande show. Outro ponto omitido pela matéria: a maioria absoluta dos eventos realizados no Allianz Parque são "pequenos", como casamentos, festas de aniversários ou ações corporativas. Por força de contrato, o Palmeiras não pode fazer muito contra a vontade da construtora. E o problema não é apenas atuar longe de seu estádio, onde costuma ter bastante força, e sim quanto o clube vai perder em termos de bilheteria. Palmeiras e WTorre firmaram um contrato, portanto não cabe a nenhuma parte "ir contra a vontade" de um ou de outro, e sim cumprir o que foi assinado. Quando um grande evento coincide com uma data de jogo, a construtora deve bancar o aluguel do estádio escolhido pelo Palmeiras e pagar uma multa de 50% do valor da renda bruta. Para se ter uma ideia, em 24 jogos em seu estádio apenas em 2017, o Palmeiras já arrecadou R$ 50 milhões em bilheteria no Allianz Parque, o que dá uma média de mais que R$ 2 milhões por confronto, em números brutos. A média de pagantes no local é de 32 mil pessoas por duelo. Esse ano, foram quatro jogos no Pacaembu, com R$ 3,5 milhões de renda e média de 25,9 mil pessoas por partida - foram 32,5 mil pessoas. Contando um amistoso, o Palmeiras já disputou 25 jogos no Allianz Parque em 2017, com R$ 51 milhões de renda bruta, o que dá R$ 2,04 milhões por jogo. É a maior arrecadação do futebol brasileiro. No Pacaembu, considerando a multa prevista em contrato, a média ficaria em R$ 1,3 milhão por jogo. De fato um decréscimo se comparado à média do Allianz Parque, mas superior ao valor obtido por 95% dos outros clubes em seus estádios. Hoje mesmo, pela 29ª rodada do Brasileirão 2017, por exemplo, o clube atua no Pacaembu por conta de show do cantor John Mayer no Allianz. O adversário será a Ponte Preta, às 20h. Se a WTorre realmente tirar o Palmeiras do Allianz por cerca 300 dias - distribuídos ao longo dos 12 meses do ano -, a equipe paulista atuaria aproximadamente 10 vezes apenas em seu próprio estádio durante toda a próxima temporada." Essa possibilidade não existe. O repórter, talvez por orientação de seus superiores, ou apenas seguindo a linha editorial da empresa, de criar polêmica onde não existe a troco de ibope, escreveu uma matéria extremamente sensacionalista, omitindo a realidade dos fatos e o mais grave: tentando manipulá-los. O site da ESPN foi o único a abordar o tema desta maneira, deixando claro que a intenção não era informar. O Palmeiras Todo Dia seguirá a postos para rebater outras situações como essa.
  8. Dudu tem de ser tratado pela diretoria como inegociável.
  9. "O filósofo Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) disse certa vez: "Na juventude deve-se acumular [sabedoria]. Na velhice fazer uso [dela]". Ontem, no "Allianz", residência de todos os esmeraldinos, um velho de "75" anos fez uso desta máxima e arrebatou os corações de mais de "45.000" pessoas. Intuitivamente, "James Paul McCartney" lembrou a cada alviverde que o talento deste "cavaleiro de Liverpool", um "beatle", só poderia apresentar-se em palco vencedor. Palco este que já presenciou duas conquistas memoráveis e não nos furtará de outras, em futuro próximo. Basta acreditarmos que o "grande Palmeiras" é maior que o capricho de seus asseclas e que ele não pode respirar sua mesmice técnica. É chegada a hora de reinventar a "Sociedade". Continua no site... http://www.verdao.net/ver_coluna.php?c=1066&id=658