Jump to content

HADZ123

User
  • Content Count

    344
  • Joined

  • Last visited

About HADZ123

  • Rank
    Sub-10

Profile Information

  • Gender
    Masculino

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Eu entendo o que você está falando, de fato ele não teve os desejos atendidos e tem o direito de sair. Dito isso, na minha visão - a acho que na visão de quase ninguém mais - há algo a ser dito sobre o que uma referência do Palmeiras faz em um momento de dificuldade. Alguns dos nossos maiores nomes na história surgiram da dificuldade - o Marcos permanecendo na série B - não ganhando a Libertadores, mas subindo e nos ajudando a nos reerguer; o Prass vindo para o Palmeiras no maior momento de dificuldade - não ganhando a Copa do Brasil, mas estando conosco quando mais precisamos dele; o Paulo Nobre nos ajudando a nos estruturar quando já não tínhamos mais esperança de nos reestruturar, enfim, existe algo a ser dito sobre as pessoas que nos ajudam no momento de dificuldade, acho que é nesse momento que os maiores nomes da história do Palmeiras se moldam. O Gabriel Jesus foi campeão de quase tudo que podia ser, mas ele não passou perrengue conosco, não foi fundamental em um momento difícil. Os momentos bons têm muitos nomes que nos ajudam - esse é o natural. Os bons momentos são construídos coletivamente. Minha opinião é que o Abel tinha tudo pra ser um desses. Não precisava mais ganhar títulos, já fez tudo que poderia fazer em termos de glória. Agora, estamos passando por um momento difícil, não estamos vivendo a maior crise da história do Palmeiras, mas é provavelmente o momento de maior instabilidade na história do futebol brasileiro. Precisamos dele. Infelizmente, caso o Abel opte por sair, vou respeitar a decisão dele - é absolutamente respeitável - e acho que ele já tem páginas muito especiais na nossa história, mas ele está tão perto, tão perto, de entrar em um top 3 de técnicos mais importantes, vai sair agora, em um momento em que estamos passando dificuldades financeiras... Infelizmente, a sensação que ficaria pra mim é que ele estaria percebendo que não tem condições de ganhar um título com facilidade, e prefere sair na alta, ir para algum time da Europa, e a gente que se vire aqui. Acho que é um traço que separa os grandes dos eternos na nossa história. Enfim, acho que ninguém vai compartilhar essa minha opinião, entendo a raiva de muitos com o Galiotte, embora eu considere que ele não está errado em ser conservador nesse momento. Espero apenas que ele seja resiliente, caso o Abel saia, para manter essa política. Não podemos nos desestabilizar financeiramente agora, um ano desportivo ruim dá para engolir, um ano financeiramente ruim agora é para nos sacrificar para os próximos vários anos.
  2. Veiga não foi uma contratação ruim... 4,5 milhões por 50%, se o Palmeiras vender por 1,5 mi de euros já recupera o valor investido - e deu retorno desportivo (além de que vale muito mais do que esse 1,5 mi).
  3. Não entendo absolutamente nada de direito trabalhista - não gosto da área -, mas pelo que li, até a Lei do Passe, havia uma limitação legal sobre o máximo que era possível aplicar de multa pecuniária no contrato de trabalho para atletas, que era de 40%. Quando foi revogada, questionaram inclusive se ainda era possível a aplicação, sendo que os que apoiavam se sustentavam em costumes do contrato de trabalho desportivo. Tem quem argumente até que precisa de convenção coletiva pra ser possível aplicar esse tipo de multa. Não conheço do tema, então não faço ideia de qual a posição correta - mas acho que acima de 40% seria bem complicado aplicar, em qualquer caso. Nossa, como direito trabalhista é chato .
  4. A rigor, não é nem que não podemos investir, é que para investir, existe também uma expectativa de venda de atletas, ou seria necessário aumentar endividamento (jogar pro LP). Se o torcedor não confia na diretoria para trazer atletas de bom nível, não sei se é uma boa ideia vender aqueles que estão rendendo aqui. Em um caso ou em outro, o Abel não teria os seus objetivos atendidos, pq ele quer reforço e não apenas reposição. Se a gente vende um Veiga/Scarpa, tem que trazer alguém para a posição (o que eu acharia bom), e fica difícil fechar a conta em venda de um + contratação de dois. As trocas seriam bem vindas, mas o que se diz é que os nossos jogadores são tão bem pagos que os clubes no Brasil evitam contratar, por conta do salário. Agora, transparência é um problema sério dessa gestão (o mais sério, na minha opinião). Nem aqueles balancetes informam muita coisa, da pra ter uma ideia genérica do que está acontecendo, mas nada muito alem disso. A gestão não comunica o que pensa. Acho inclusive que a recusa de uma série de executivos de futebol quando tentamos contratar sinaliza o que a gestão pensava para os anos de 2020 e 21, era pura contenção de investimentos e reestruturação do clube enquanto isso ainda era realmente viável. Imagino que os dirigentes tenham percebido que teriam que trabalhar com pouco esses anos e preferiram ficar onde estavam do que colocar o nome deles na linha - alem de que teriam um conselho gestor inteiro para controlar a gestão deles.
  5. Nada garante o Palmeiras forte no longo prazo. Precisamente por isso não podemos aceitar entrar numa situação semelhante à de nossos rivais, com dívidas com um prazo de reestruturação maior do que o mandato de um presidente. Esse é precisamente o problema de muitos clubes no Brasil, como os dirigentes não têm performance financeira bem avaliada; quando vão bem, torcedor diz que clube não é banco (vide reclamações do Bandeira de Mello no Flamengo e Romildo Bozan no Grêmio); e as dívidas são tão grandes que um presidente não consegue em um mandato único resolver o problema, salvo raras exceções, os presidentes optam por gestões no curto prazo que podem trazer retorno desportivo naquele momento (ou não), e que quando trazem, são acompanhadas de liquidações do elenco no ano seguinte (Corinthians 2017), e quando não trazem esses retornos desportivos, comprometem os próximos anos dos clubes. É bom sempre lembrar que enquanto muitos falam bem do Paulo Nobre aqui, pedem especificamente que a gestão atual vá na contramão da política de gestão financeira que o próprio Paulo Nobre implementou que evitava ter dívidas que comprometessem as gestões de presidentes futuros, como fez o Belluzzo. Basta ver que contas a pagar a outros clubes no LP na gestão Nobre caiu muito, algo que voltou a subir com o Galiotte e que ele está tentando (tardiamente) corrigir agora.
  6. Apoio (muito) o Abel, quero a continuidade, e não cobro títulos esse ano, mas falta de reforços não justifica queda pra CRB ou dificuldade com times que saíram da série B. O que estamos vendo no Brasil é precisamente o que eu apontei há alguns meses: quem investir em elenco/folha agora, com falta de público nos estádios e receita baixa, vai precisar ganhar pra compensar o que gastou a mais, e poucos times podem ganhar (além de que investir não da certeza de títulos). Seria perfeitamente possível termos comprado Castellanos/Atuesta, eles terem se destacado e estarem também nas olimpíadas/copa América nos desfalcando. SPFC teve que pegar empréstimos de cerca de 150 milhões, que tipicamente é 33% das receitas deles (como que se nós pegássemos 200 milhões em empréstimo), e isso é em parte consequência da política de contratações que eles adotaram pra esse ano. O Flamengo está vendendo o melhor jogador deles. maioria dos clubes batendo índice de endividamento recorde nas suas histórias. O ano demanda sacrifício, quem não está pagando o preço agora vai pagar o preço mais tarde. Poderíamos ser mais criativos, e principalmente, ter mais eficiência nas negociações que tentamos (acho o Barros fraco como diretor), mas ter consciência do momento é necessário se queremos o Palmeiras forte no longo prazo.
  7. Na base, o que tinha mais destaque era o Henri, na minha opinião. Voltou fora de forma, fez três jogos ruins, e a torcida entendeu que é ruim. O Renan é um bom jogador, não é o melhor zagueiro do Brasil, me parece ter boas características para uma linha de três, mas zaga é assim, a menos que você seja muito fora da curva, ter jogadores ruins perto de você piora o seu rendimento. Hoje era Victor Luís, que não tem pé direito e do sabe passar pra trás, Vinicius, que não sabe usar o pé, e Felipe Melo com dificuldade de recomposição e posicionamento. Complicado pra um garoto de 18-19 anos ter que fazer esses três jogarem em bom nível.
  8. Acho que é o Renan com o Victor Luís e Vinicius/Jailson. Não tem linha de passe
  9. Adoro o Abel (e quero que continue o ano inteiro), mas foi muito mal na escalação. Infelizmente, é melhor não ter o Victor Luís e jogar com 10 do que ter o Victor Luis. Atrapalha demais. Eu entendo a ideia dele de jogar com laterais na linha de três, mas se você quer fazer linha alta, o Felipe Melo não pode ser o último homem, vai ser bola nas costas o jogo inteiro. Três-quatro laterais na mesma escalação também é algo que não consigo entender. Deyverson completa a turma. Impossível virar um jogo com essa escalação. Ainda tem quem fale que o Vinicius tem que ser o segundo goleiro, por antipatia com o Jailson (que não merece renovação, mas é melhor do que o Vinicius).
  10. Quais os problemas de gestão nas empresas dela que você se refere? Acho que quanto ao Belluzzo, existe um pouco de carnaval dentro do Palmeiras quanto à sua qualidade como economista, mas na prática, ele é visto como um economista bem ruim no meio (ou alguém relevante entre os heterodoxos, a mesma coisa hehehe - zero polêmica, por favor hahahah). Não me surpreende um mandato ruim.
  11. Acho as próximas gerações muito boas sim… no ano de 2020, o que aconteceu foi que fizemos uma retenção de talento por muitos anos, e quando aproveitamos, aproveitamos todos de uma vez, é natural que quando tivermos uma política de aproveitamento mais constante, passemos a ter um número um pouco menor (2-3) por ano. Esse ano o Renan subiu bem, alguns outros ainda não estão prontos, o Danilo subiu no final do ano passado. Dito isso, em termos de qualidade, acho que continuamos com um nível muito bom na base.
  12. Gosto do Hulk, mas hoje, os argumentos contra a sua contratação estão ainda mais fortes. É um jogador em queda - pode ainda jogar muito, mas está na fase final da carreira -, e que oferece apenas retorno desportivo, em uma posição que temos dois jogadores que foram os responsáveis pelos últimos títulos nossos - Dudu e Rony, goste ou não - e com um que tem boa perspectiva de valorização, mas não tem conseguido jogar, o Veron. Se for para comprar veterano, que seja em posição que temos alguma carência mais importante, como centroavante ou meia (e gosto do Hulk, acho que vai ser um bom jogador pro Atlético e seria um bom jogador aqui). Isso tem sido uma marca do nosso elenco, temos vários nomes para uma posição, e poucos para outras, temos que ter um elenco mais equilibrado. Infelizmente, com o Lucas Lima e Scarpa na meia, é muito difícil contratar mais um jogador com salário alto pra posição, não dá pra investir 30% da folha em uma posição apenas. Gosto do Scarpa, mas talvez esteja na hora de vender, pra poder colocar alguém com mais criação no elenco, temos muita dificuldade com times defensivos. Obs: naturalmente, não falei em vender o Lucas Lima pq não há um time que se interesse nele... Acho até que já está em um ponto que realmente vale a pena chegar a um acordo por uma rescisão, pagando algo pra ele, melhor pra ele e melhor pro Palmeiras. Talvez emprestar pro Junior Barranquilla heheheheeh
  13. Sim, estavam. Previsão era 4as de finais da Copa do Brasil. Não foi uma meta exagerada, convenhamos.
  14. Numa boa, nós não perdemos pro CRB pq não investimos em contratação. Se alguém exige contratação para ganhar do CRB, é melhor repensar, se é necessário contratar para ganhar do CRB com um elenco avaliado em mais que 70 milhões de euros, tem coisa errada. Esse time tem a obrigação de ganhar com facilidade do CRB, e se perder metade do time em convocação, ainda tem obrigação de ganhar do CRB com facilidade. Não tem desculpa. A falta de contratação pode influir negativamente, mas está longe de ser o fator determinante. Acho que a falta de continuidade de técnico dos últimos anos faz com que todo técnico que chega aqui queira testar um jogador que todos nós sabemos que não é capaz de jogar de forma competitiva - Felipe Melo, Victor Luis, Lucas Lima. É natural, eles não viram esses jogadores cometerem 300 erros como nós vimos, vão querer testar, e aí a gente que fica sendo "impaciente", quando na verdade, a política de demitir técnico a cada seis meses nos força a ter que ver os mesmos erros sendo cometidos a cada seis meses. Victor Luis é legal, mas é entre péssimo e horroroso, ou talvez pior. Não tem como jogar, faz mais sentido jogar com 10 do que com o Victor. Felipe Melo é um bom reserva hoje, e pela falta de titulares - um na seleção, outros dois machucados, tinha que jogar, não tinha alternativa. Hoje vimos o que é o time sem os jogadores da base. Espero que o Abel, finalmente, tenha visto isso - que, além disso, apenas me parece ter uma insistência irracional em tirar o Raphael Veiga de cobrança de penalti, mas é o último culpado pelo resultado de hoje.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.