GuilhermeC

Membro
  • Total de itens

    660
  • Registro em

  • Última visita

Sobre GuilhermeC

  • Rank
    Categoria Craque

Últimos Visitantes

4.044 visualizações
  1. Victor Luiz foi o melhor em campo. Foi muito seguro na zaga e desarmou muito, com exceção do lance no final do primeiro tempo. Quieto ofensivamente no primeiro tempo, mas muito perigoso no segundo. Antônio Carlos também foi bem demais. Dominou o jogo aéreo, tirando todas as bolas paradas do Botafogo. Se falhou no primeiro jogo, hoje deu esperança. Tchê-Tchê foi o melhor jogador do meio de campo. No primeiro tempo, foi o único que tentou passes pra frente. Carregou bem a bola, se apresentou bem. Pode ser um pouco mais intenso na marcação. Destaque negativo foi o Dudu. Por mais que a gente entenda o calor, caminhou boa parte do jogo e foi displicente na recomposição e na frente da gol. Felipe Melo tem futebol, mas é angustiante que tente passes de 50 metros a todo momento.
  2. Eu quis dizer (venda do Dudu) menos (compra do Goulart). Se não me engano, estimavam que os chineses queriam 15 milhões de euros por ele (procurei aqui, mas não achei confirmação). Mesmo que conseguíssemos abaixar um pouco esse preço, e levando em consideração a parcela da Crefisa na negociação do Dudu, sairíamos dessa troca com dois ou três milhões na mão. Essa diferença teria que subir pra uns oito, dez milhões.
  3. Substituir Dudu por Goulart? Teríamos só uns milhõezinhos de euros de lucro líquido nessa transição (2 ou 3 milhões de euros, pra lá pra cá) e estaríamos trocando um ídolo por um jogador de nível técnico semelhante, mas sem a mesma identificação e com alguma incerteza sobre o que pode render.
  4. Copinha é foda. O torneio de base mais importante do Brasil tem jogo dia sim, dia não. É tão "democrática" a organização do torneio que eles fazem de tudo pra nivelar os jogos por baixo. Hoje ficou óbvio que os melhores jogadores do Palmeiras estavam mortos, extenuados. Fernando, Aldo, Yan não fizeram nada, mas os moleques não tem nem o corpo completamente desenvolvido e são forçados a jogar com 48 horas de intervalo. Não tem técnica que apareça quando o físico não responde, e é isso que a Copinha promove. É tão importante assim que essa porra termine dia 25? Já que a FPF resiste tanto ao uso da base nas equipes profissionais, porque não aumenta o calendário dessa desgraça? Uns 10 dias já ia fazer muita diferença. Por fim, a minha maior curiosidade para a cobrança de penaltis era ver: será que com a bola parada o Léo Passos consegue guardar? Bixo ruim demais.
  5. Estreia tranquila. É o que se pode esperar com 10 dias de treinamentos.
  6. Quando um ninguém solta no Twitter que o Palmeiras tá pra vender o Dudu, o Allianz Park e a Leila, ninguém dá moral, por motivos lógicos. Quando o mesmo ninguém solta que o Palmeiras tá contratando o Messi, SEGURA A MÁQUINA, EMPOLGOU.
  7. Sei lá, pra mim quem mais precisa jogar no Paulistão é quem tem mais a provar. Atualmente, são Luan, Juninho e Thiago Martins, principalmente os dois primeiros. Não inscrever o Emerson não tem o mesmo peso de deixar Luan ou Juninho de fora, por exemplo. Deixar esses dois de fora seria uma grande pá de areia na carreira desses caras no Palmeiras. Agora eles estão entrando numaa condição ideal, desde o começo do ano, com pressão inicialmente baixa - principalmente o Luan, que tava vindo de lesão ano passado. Se forem mal, já sabemos que não podemos contar com eles. O Paulista é lixo, mas tem clássico, dai já viu. Se nenhum zagueiro se destacar, o Edu pelo menos tem a experiência, a tranquilidade.
  8. Porque acho que Emerson Santos não foi inscrito: 1. Edu Dracena terminou a temporada como titular e, imagino, começaria essa como titular. Mesmo que tenha uma pré-temporada estendida, deve estrear lá pela quinta rodada e, caso os outros zagueiros não respondam, precisamos dele para os clássicos da primeira fase. 2. Luan e Juninho terminaram a temporada em baixa e contestados. Acredito que o Paulistão será o grande teste para eles. Devem mostrar as mesmas qualidades que levaram o Palmeiras a contratar os dois. Se não se recuperarem e não tiverem desempenho melhor, o Palmeiras provavelmente irá atrás de um zagueiro tarimbado e o pior entre os dois pode ser emprestado. 3. Lógica parecida se aplica ao Thiago Martins. Voltou de empréstimo e precisa demonstrar qual posição pode ocupar no elenco. Vai demonstrar capacidade para ser titular ou para ser um reserva confiável ao longo do Brasileirão? Se não, pode ser emprestado para um time em que vá jogar bastante e, com contrato renovado, voltar em outra situação. 4. Antônio Carlos, aparentemente, começou a temporada com moral. Contrato renovado e deve começar o ano como titular. Parece ser uma oportunidade merecida, porque no pouco que jogou ano passado, foi bem. O Emerson tem um contrato de 5 anos e, com certeza, será aproveitado ao longo do ano. Por hierarquia, os jogadores que estavam aqui merecem a prioridade nas chances. Precisamos dar chance para os contestados se recuperarem, até mesmo em moral (principalmente os que custaram dinheiro, Luan e Juninho). Se algum se destacar negativamente, certamente ele estará na lista para as próximas fases.
  9. Nem no FIFA dá pra imaginar o Guerra fazendo a do Tchê-Tchê. Com todo respeito, @nandal, você tá sendo bastante simplista se acha que o maior (aliás, o único, aparentemente) problema do nosso time é o Tchê-Tchê. Sua antipatia pelo jogador é tão grande que é basicamente impossível argumentar sobre esse tema. A conversa fica inócua.
  10. Com o Felipe Melo, bravata é o que não falta mesmo. Agora futebol que é bom...
  11. Sinto falta daquela batida no braço depois de uma bicuda desnecessária pra fora do estádio. Deve ter sido por isso que não fomos bem em 2017.
  12. Cara, o que você acha que aconteceu com o jogador que eu marquei na primeira foto? Que ele evaporou? Ele tá fora da captura na segunda imagem, mas ele está a esquerda do Tchê-Tchê. Ele é um dos jogadores que o Tchê-Tchê tá marcando. O #8, além do Tchê-Tchê, tem outro jogador do Palmeiras por perto (número 20 e alguma coisa), que cortaria qualquer movimento pra frente. O Tchê-Tchê tá marcando o jogador que selecionei na primeira imagem e cortando as possibilidades de movimentos pra trás do #8.
  13. Quem era responsável por bloquear o cruzamento era o Guedes e só ele. O Tchê-Tchê ficou um lugar em que ele podia rapidamente chegar tanto no #8 quanto no jogador do Cruzeiro que ficou mais pra trás. Se o Tchê-Tchê fecha só o #8, o Alisson recua a bola e o jogador do Cruzeiro teria um cruzamento completamente aberto. Se ele fecha só o jogador que ficou pra trás, o #8 fica completamente livre. Ele ficou no meio pra poder agir rapidamente contra os dois. Se o Alisson cruzou, é porque o Guedes nem fez o movimento pra bloquear a bola. A culpa é do Guedes e do Guedes.