Child

Membro
  • Total de itens

    301
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Child

  • Rank
    Categoria Profissional
  • Data de Nascimento 09-01-1987

Profile Information

  • Gênero
    Masculino
  • Localização
    Caieiras-SP / Rio de Janeiro

Contact Methods

  • Facebook
    https://www.facebook.com/vinicius.mourabarbati
  1. vai fazer falta, tem tudo para daqui 1 ou 2 anos ser vendido por mais grana para um time maior europeu...Boa sorte Tchê Tchê
  2. Leandro ex moicano foi vendido para o Kashima Antlers, time que estava emprestado. Melhores momentos dele lá: Sei lá, ainda acho que essa cara tinha potencial pra mostrar futebol aqui, melhor que o Deyverson
  3. Acho que esse foi o grande erro na transição de 16 para 17, um grupo ganha um brasileiro depois de 22 anos e na temporada seguinte esse time é todo desmontado. Uma coisa é reforçar e tirar refugos, outra coisa é desarticular o time, a espinha dorsal, como muitos foristas aqui estão falando ao querer tchê tchê, Moisés e outros titulares fora do time de 2018. Concordo
  4. Podemos fazer como muitos times europeus, colocar o melhor goleiro (pra mim o Jailson) como titular da competição principal (Brasileiro, Libertadores) e o segundo (Prass ou Wewerton) jogando as competições, em tese, secundárias (Paulista, Copa do Brasil...) alternando essa ordem de acordo com o desempenho ao longo da temporada. O problema é que mesmo nesse esquema inevitavelmente um goleiro esquentaria banco...por essa razão e também por não fazer questão da vinda do Wewerton, prefiro que ele venha só no meio do ano mesmo
  5. Concordo com suas críticas @Guaraná, faltou na gestão dele a profissionalização do futebol, colocando pessoal qualificado nos diferentes cargos, principalmente na gestão do futebol, o que evitaria ou minimizaria essa quantidade de conflitos que culminaram na perda do título… Ele é um cara teórico, não é um gestor, não tinha essas competências que o Nobre demonstrou ter, só quis fazer um contraponto a visão de que essa gestão dele a pior, pois realmente não acho que foi, o que não é um mérito.. O que seria da arena hoje eu não sei, poderia ter sido entregue todas as cadeiras para a Wtorre, talvez, é uma especulação, assim como não daria para assegurar que teríamos uma arena como temos hoje nas gestões que sucederam o Belluzzo. Enfim...há muitas razões para criticá-lo, não tenho como responder com calma agora, mas vejo também uma raiva ideológica que perpassa essas críticas, distorcendo ou superestimando a parte ruim e subestimando a parte boa da gestão dele..
  6. Eu reconheço as qualidades do Nobre mas nem por isso transformo o Beluzzo em diabo. Em 2009 o Palmeiras foi às quartas da liberta, brigou pelo título do brasileiro, ficamos em 1º boa parte do campeonato, isso depois de quase 1 década de futebol medíocre. Desculpa, mas controlar bastidores não é algo simplista, não é football manager, são seres humanos, instáveis, havia todo um peso de uma década lixo, de forças políticas retrógradas do grupo do Mustafá... como disseram, foi uma gestão "all-in" mesmo, o que não foi bom e teve seu preço, o que concordo que deve ser criticado Quanto a arena, o contrato teve seus pontos subjetivos, não foi o ideal, mas também não temos uma arena odebrecht que drenaria nosso caixa por décadas...numa época em que todos se lambuzaram com os benefícios do BNDES e dinheiro sujo, fizemos uma arena privada, sem dinheiro próprio que, com seu percalços, nos orgulha e capitaliza. Mérito do Nobre por conseguir proteger nossos interesses na justiça, mas também mérito do Belluzzo por viabilizar esse projeto. Seria melhor se a gente continuasse jogando no antigo (saudoso, mas não vantajoso) palestra ? Enfim, não to aqui pra advogar pelo Belluzzo, reconheço seus erros mas também os acertos. Que ele é um economista de centro-esquerda,keynesiano e da Unicamp ele é, agora se é um fracassado, é uma opinião, sei lá...O resto ai é ideológico, nem vou entrar nesse mérito, cada um tem sua visão.
  7. bom argumento... sei que o insucesso futebolístico da gestão dele corroeu nossos recursos, foi terreno fértil pra vinda do Tirone e levou ao consequente rebaixamento, mas também acho que 2009 foi um azar e que a arena que hoje capitaliza o time e nos enche de orgulho foi viabilizada na gestão dele...
  8. Quem viabilizou a nossa arena (Certidão Negativa de Débitos, bateu de frente com o grupo do Mustafá...) ? Pessoal pega no pé do Beluzzo como se ele tivesse sido um péssimo presidente, talvez se tivesse ganhado aquele brasileiro de 2009 provavelmente o tratamento hoje seria diferente. O cara errou, como no caso do Valdivia, mas errou pq queria um Palmeiras grande, no mais vejo muito incômodo em função da visão ideológica dele
  9. Essa do Valdivia depois do Palmeiras ter se salvado do rebaixamento, com ele jogando no sacrifício.
  10. http://globoesporte.globo.com/mg/blogs/especial-blog/torcedor-do-atletico-mineiro/1.html Alguém leu esse comédia do link dizendo que o Vuaden ainda prejudicou o galo? kkk rir pra não chorar, fdp!
  11. Seria muita viagem? http://metro.co.uk/2017/07/11/arsenal-dont...m-loan-6770295/ Acho que o ideal seria um brasileiro que esteja na europa, mas esse Campbell está voltando de empréstimo do Sporting e parece que não será usado pelo Arsenal segundo essa notícia. Segue uns lances recentes dele no Sporting:
  12. Sei não, ele é bom de bola, é criativo, novo e é nosso, pode ter sido inconstante mas sempre demonstrou seu potencial...faria uma avaliação após o brasileiro
  13. Allione está gastando a bola lá no Bahia, titular absoluto http://espn.uol.com.br/noticia/690924_com-...opa-do-nordeste
  14. Pior que esse time desgraçado ainda abriu as pernas para os gambás na final...é um dos times que mais odeio, junto do Manchester United, Corinthians e São Paulo
  15. Bela mensagem, tenho uma visão parecida. Que as famílias, filhos, esposas, mães e pais das vitimas recebam carinho e acolhimento necessários. É difícil após uma tragédia não refletirmos sobre nossa própria vida e valores e, em tempos de ódio e intolerância, que possamos nesse momento triste refletir sobre essas coisas pequenas que cultivamos no intuito de superá-las, prezando pelo bem comum.