Jump to content

Silva

Moderador
  • Content Count

    17,772
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    127

Silva last won the day on September 23

Silva had the most liked content!

1 Follower

About Silva

  • Rank
    #ForaGaliotte

Contact Methods

  • Website URL
    http://

Profile Information

  • Gender
    Masculino

Recent Profile Visitors

28,701 profile views
  1. Essa velharia do gol fora é muita obscena mesmo, se o Palmeiras tivesse vencido na última terça por 2x1, o Galo poderia empatar no saldo de gols fazendo 1x0 no segundo jogo e estaria classificado. Enfim, sei que Abel montará uma estratégia considerando o contexto específico do segundo jogo. Vai dar certo? Não sei. Mas torcerei pela classificação, mesmo que por meio a zero, como sempre.
  2. É chover no molhado, ser repetitivo, mas... Acredito que, com esta fase de contenção, também estamos pagando a conta pelos contratos longos e caros, que eram feitos até pouco tempo por aquele ex-diretor ególatra (para não dizer coisa pior) que tínhamos no clube. Temos TRÊS atacantes de qualidade e/ou comprometimento duvidosos em contratos longos e caros, difíceis de serem vendidos e que travam a capacidade do clube de buscar melhores alternativas para o setor. A prioridade para a próxima gestão é se livrar desses maus contratos, para desonerar em definitivo a folha, e assim irmos atrás das necessárias qualificações para o elenco.
  3. Prefiro começar com Danilo, e colocar o PK apenas no decorrer da partida (na verdade ele e o Wesley).
  4. A eliminação do SP na Libertadores, pra lavar a alma, foi apagada da história. Só vale citar aquele do Paulistão, não ocorreu nenhum grande resultado com méritos antes, e nenhum depois.
  5. . Em jogo das defesas, Abel e Cuca mostraram como pensam futebol de forma diferente Atlético-MG não chutou a gol pela primeira vez no ano. Palmeiras também não acertou finalizações. Resultados iguais conquistados com ideias diferentes. 22/09/2021 07h30 Atualizado há 22 horas O empate entre Palmeiras e Atlético-MG, primeiro duelo das semifinais da Libertadores, foi ruim de ver e terminou não apenas sem gols, mas com os dois times sem conseguir nenhuma finalização correta ao gol adversário. Nem o pênalti para o Atlético-MG, que foi melhor no geral, gerou uma defesa. Hulk chutou na trave. Foi o jogo das defesas. Esperar um duelo aberto numa Libertadores é a mãe da decepção. Pode não ter sido agradável de assistir, mas o futebol vai além do bonito e do feio, do legal e do chato. Abel Ferreira e Cuca conseguiram o mesmo resultado, mas com ideias distintas, o que só mostra como eles pensam futebol de forma totalmente diferente. Cuca é um treinador que pensa futebol a partir da imposição. Ele quer impor um modo de jogar ao adversário, não importa a camisa ou lugar. Para chegar a esse objetivo, ele promove pequenas mudanças, mas mantém um estilo, um modelo de como ir a campo. Contra o Palmeiras, a mudança foi puxar Allan para o lado esquerdo. Toda vez que o Galo tinha a bola, Allan fazia uma linha com a dupla de zaga. Esse movimento teve dupla função: abrir o corredor para que Arana apoiasse e permitir que Nacho e Zaracho pudessem se movimentar por dentro para tocar na bola e cadenciar até achar Hulk e Diego Costa em tabelas curtas. Já Abel é um treinador que se adapta ao adversário. Muda os titulares, o esquema tático e a maneira de atuar para neutralizar os pontos fortes e explorar os pontos fracos do outro lado. Sabendo desse forte do Galo, o português alterou a função de Rony no jogo: ele tinha que acompanhar Arana até o fim. A intenção era que Marcos Rocha ficasse perto dos zagueiros para deixar a linha de defesa sempre estruturada e pronta para marcar Hulk e Diego Costa. Uma superioridade numérica: quatro naquele setor, contra dois do Galo. Além disso, esse sistema permitia que Dudu, Veiga e Luiz Adriano pudessem se mover mais entre a defesa do Atlético-MG. Eles pressionavam a bola, ou seja, marcavam quem tocava a bola e corriam o tempo todo sem posição fixa. Felipe Melo entrou para adicionar proteção na área e fazer com que o pelotão de frente pudesse marcar à frente. Na imagem, você vê como a defesa do Palmeiras fica imóvel enquanto o meio pressiona os criadores do Galo, que ficam distantes de Hulk. O resultado disso foi 66% de posse de bola para o Galo no primeiro tempo, e nenhum chute a gol. De chance mesmo, só o pênalti que Hulk perdeu. No segundo tempo, mesma coisa: Galo com a bola, sem conseguir entrar. Foi a primeira vez que o Atlético-MG não chutou a gol desde Campinense 0x0 Atlético-MG, pela Copa do Brasil de 2020. E foi a primeira vez nos últimos quinze jogos que o Galo passa em branco. Não jogamos, nem o adversário. Concentramos nosso bloco no corredor central. É o que fazem grandes equipes para bloquear equipes que tem forma de jogar de atrair. Os atentos sabem como o Atlético faz gol e vínhamos de uma série de jogos sofrendo gols. — Abel Ferreira, em entrevista após o jogo O Galo também teve muitos méritos sem a bola. Defesa menos vazada da Libertadores, o time novamente impôs uma defesa extremamente sólida, com destaque para os momentos de transição defensiva (ou seja, os segundos após perder a posse de bola). Com cinco interceptações, Nathan Silva foi fundamental para brecar os contra-ataques puxados por Rony. E o sistema de encaixes individuais novamente funcionou bem e anulou o principal jogador do mandante. Allan foi o melhor do jogo: foi ele quem marcou Dudu, o grande criador de jogadas do outro lado. Como o Galo joga com encaixes individuais, Abel queria que Dudu caísse pela direita, para atrair Arana e abrir espaço para Rony. Só que Allan cobriu aquele setor e marcou esses deslocamentos de Dudu, o que o afastou de uma zona mais próxima do gol, pronta para dar um passe a algum atacante. Os encaixes do Galo congelaram o Palmeiras, que apresentou novamente problemas quando tem a bola. O Palmeiras gosta da velocidade e você tem que tomar cuidado. Nós, mesmo propondo jogo, não oferecemos contra-ataques. — Cuca, em entrevista após o jogo O futebol vai além do bonito e do feio, do agradável e do chato. Até jogos que não são lá tão legais de ver podem ter coisas interessantes de analisar, como Atlético e Palmeiras tiveram. O Atlético-MG é favorito por ter mais elenco, decidir em casa e ainda com torcida. O Palmeiras não perde fora de casa na Libertadores há 14 jogos. Sinceramente, tudo pode acontecer na volta. Por Por Leonardo Miranda | Em GE
  6. Deola, ex-goleiro que faz drift de ré... É terminantemente proibido ofttopic neste maravilhoso tópico. Por favor, se quer paquerar, baixe o Tinder. #pas
  7. Este é o tópico Falando de Palmeiras. Aqui só se fala do Alviverde, para tratar de outros assuntos, utilizem os espaços adequados. Obs: o tópico será fechado e outro inaugurado quando atingir um número de páginas que possa atrasar o fórum. Pessoal, se atentem ao Regulamento por favor: VI - DAS INFRAÇÕESEstará sujeito a uma das punições supracitadas, o usuário que: ...3 - postar assunto em fórum inadequado;...5 - floodar, ou seja, realizar postagem inconveniente ou insistente de conteúdo inútil ou alheio ao assunto tratado;...9 - insistir em assuntos ultrapassados, negociações frustradas, teorias sem fundamento, informações de fonte desconhecida e divagações genéricas;
  8. Não tenho dúvidas, se o Palmeiras fosse pra "trocação" ontem, como muitos desejavam, contra esse time do Atlético MG, teríamos sido eliminados mesmo antes de jogar o segundo jogo. O jogo não foi bonito, nem o "melhor" time fez uma boa apresentação, no saldo geral, o que temos é a boa possibilidade de fazer melhor jogo e conquistar a classificação na próxima semana.
  9. Perfeito, Gunther. E mais, quero ver uma temporada sob o já multicampeão Abel, quando houver uma nova diretoria, quando tivermos melhor possibilidades de qualificar o elenco adequadamente.
  10. Stranieri, Você acompanha o trabalho do Gallardo, ou apenas as notícias do que dá certo, ou seja, dos títulos? Tipo, me pergunto o que aconteceria se ele tivesse perdido aqui o título da maneira que perdeu para o FlaMERDA em 2019, após cagar em substituições, e eliminado para o Palmeiras em 2021, e poucos meses depois para o Atlético, também com ajuda de algumas de suas decisões, na mesma competição. Se alguns palmeirenses não querem dar sobrevida (uma ou duas temporadas inteiras?) a um técnico que há pouco menos de 9 meses ganhou Libertadores e Copa do Brasil, não dará a nenhum outro técnico. Pode vir Gallardo, Bielsa, Solskjær, ou seja lá quem for, quando começarem as campanhas do "bota outro", o técnico mais conceituado, que foi aplaudido no início, se torna pardal, sortudo, estagiário etc.
  11. A questão do Avanti não se trata apenas de "contratações", mas de toda a política de gestão do programa. Qual foi a última vez que vocês viram alguma notícia de ação de ativação do Avanti? Que medidas esta diretoria tomou para ampliar o número de sócios que moram em regiões que impossibilitam a frequência desses no estádio Allianz Parque? O Avanti é um filho abandonado por esta diretoria desde muito antes da p%ndemia.
  12. Só faltou dizer que ele tem 19 anos recém-completos, e não 25.
  13. Algo que escrevi no "Falando...": Que o Palmeiras não sabe fazer gestão de contratos, isso sabemos desde Mattos. Jogador que ganha tudo pelo clube, não pode ter contrato renovado por mais 3, 4, 5 anos, principalmente se o cara já passou dos 28. Contrato de cinco anos precisa ser exceção; e não o padrão das aquisições. Olhem só a merda que é se livrar de um jogador caro (salário milionário?) como Luiz Adriano, já trintão, fazendo corpo mole no clube, e com vínculo até JUNHO DE 2023. Olhem o quanto uma âncora dessas agora atrapalha as pretensões do clube de qualificar o elenco, com um jogador recebendo o mesmo ou até menos para jogar na posição e contribuir com o time. --- Ou seja, muito da nossa capacidade de ir ao mercado e trazer opções para qualificar o elenco foi minada por essa péssima gestão de contratos. A manutenção de jogadores que estão nesse time, ou que estão emprestados, estão prejudicando "duplamente" o clube, seja por não produzirem adequadamente em campo, seja por impedir que melhores alternativas a eles próprios cheguem ao clube. Mas isso não é culpa deles (jogadores), é culpa que quem (do Palmeiras) costurou os contratos e de quem os assinou (oras sr. Galiotte...). O ônus sempre fica para o clube, nunca para os responsáveis objetivos pelos danos. E o
  14. Que o Palmeiras não sabe fazer gestão de contratos, isso sabemos desde Mattos. Jogador que ganha tudo pelo clube, não pode ter contrato renovado por mais 3, 4, 5 anos, principalmente se o cara já passou dos 28. Contrato de cinco anos precisa ser exceção; e não o padrão das aquisições. Olhem só a merda que é se livrar de um jogador caro (salário milionário?) como Luiz Adriano, já trintão, fazendo corpo mole no clube, e com vínculo até JUNHO DE 2023. Olhem o quanto uma âncora dessas agora atrapalha as pretensões do clube de qualificar o elenco, com um jogador recebendo o mesmo ou até menos para jogar na posição e contribuir com o time.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.