BMarinho

Membro
  • Total de itens

    352
  • Registro em

  • Última visita

Sobre BMarinho

  • Rank
    Categoria Profissional
  • Data de Nascimento 23-12-1985

Profile Information

  • Gênero
    Male
  • Localização
    Barueri

Últimos Visitantes

198 visualizações
  1. Eu penso exatamente a mesma coisa. Acreditar que reunir um grupo de bons jogadores, e eles sozinho vão se organizar e vencer as coisas magicamente, é coisa de boleiro brasileiro, que acha que futebol profissional é pelada de rua, e técnico é o cara cheio de teoria e tática que só serve para atrapalhar o talento. A "ótima geração Belga" é um exemplo bem claro disso, cheia de bons valores dentro de campo, mas sempre com técnicos abaixo do potencial da equipe, talvez um dia que encontrarem um profissional mais capacitado, antes que a geração se acabe, ele vão fazer melhor campanha em copa do mundo, e eurocopa. A Grécia campeã da Euro em 2004 é um bom exemplo contrário, de como uma boa organização dentro de campo,com alguém que siba fazer isso, é algo que pode rivalizar com o puro talento como a seleção de Portugal do Felipão tinha. Pra mim, o Valentim é um baita cara, e torço muito, mas muito para que ele faça um trabalho acima da média nesse final de brasileiro ai, e quem sabe por méritos táticos, convença que deve ser o treinador para o ano que vem, eu hoje não apostaria as fichas nele, nesse jogo contra o Atletico GO, ele deu muito bons sinais, fiquei até feliz pelo que ele esboçou, ansioso para ver o comportamente e atuação diante de equipes mais qualificadas como será, dependendo, mil vezes ele, do que pagar rios de dinheiro pra Mano, Abelão, ou quem quer que seja desse nível.
  2. Eu tava comentando a mesma coisa com um amigo palestrino hoje, e acho que final do ano se o Cuca continuar ai disponível, o Rueda roda, e o Cuca assume o cheirinho, espero que isso não aconteça, Galo também espero que ele não vá, que pare nos bambis, ou vá pra China, sei lá, mas especificamente Galo e Cheirinho, eu tenho receio dele ir.
  3. Eu penso exatamente a mesma coisa, nem que o cara seja um monge budista consegue manter foco com tanta coisa, o caso Felipe Melo pra mim é emblemático de como o Cuca ficou vendido nesse retorno, seus erros e culpas dentro de campo, acho que ninguém vai negar e fechar os olhos, lógico que existiram, e contribuíram para esse desgaste e saída, agora fechar os olhos para o que o rodeou também, e achar que ali é tudo robô lidando no dia-a-dia, vejo como inocência.
  4. É olhando as opções pra técnico assim tabuladas, que agente pensa: FODE*** Sinceramente, é meio moeda pro alto, e quem sair tá bom já que o nivel não muda quase nada....kkkkkkkkkkkk Gallardo eu acompanhei pouco no River, já li algumas coisas que ele fez um trabalho de reestruturação no River e contou com o auxilio do Francescoli na diretoria, mas fica sempre aquela questão de jogador brasileiro meio "vagabundão" com técnico argentino e vice versa. Como jogador ele tinha personalidade bem forte, chegar aqui e pegar um grupo desse ai, teria que ter muito mas muito respaldo da diretoria. Mano é um cara mais experiente, mas sinceramente, por estilo de jogo, ele e Jair, num primeiro momento não me fazem muito sentido, sei lá, não adianta criar esperança que o cara com um elenco mais qualificado vai abrir mão de suas idéias, conceitos e forma como enxerga futebol, principalmente Mano, construiu sua carreira com as idéias dele de organização defensiva, transição rápida e direta, jogadores contibuindo muito na fase defensiva, todos sem exceção, é utopia pensar que do nada ele vai abrir mão disso e passar a praticar futebol ofensivo porque está no Palmeiras, seria até burrice dele se meter a fazer o que não sabe, e cair por idéia dos outros. Pra mim ele e Jair seriam caras para aceitar a forma como pensam, entender isso desde o inicio e dar muito, mas muito respaldo tanto nós torcedores quanto a diretoria, essa acima de tudo. Roger eu gosto das idéias de jogo, é um cara mais preocupado em ter sim a organização defensiva, mas antes de tudo ter a bola e jogar com ela, não ser apenas reativo, a questão é que essa ofensividade tem um custo, principalmente pegar um campeonato paulista com aqueles times pequenos do interior em melhor momento fisico, fechado até a alma e jogando por uma bola, vai durar quanto tempo após a primeira derrota? vai ter apoio e compreensão da diretoria num possivel momento de pressão? ou vai ser a mesma coisa do EB? Os outros eu nem levo em consideração, pra mim Luxa, Abel, Renato Gaucho................ nossa....... chega a embrulhar o estômago. Valentim pra mim é interino, apenas e tão somente, eu nem me preocuparia em avaliar esse final de Brasileiro, seja positivo ou negativo, porque pra mim além de não dar tempo nenhum pra ele mostrar nada, esse momento é a mesma coisa que poker com feijão, sem pressão psicológica muito forte, sem grandes cenários, quando chega na real, com grana em jogo, os vencedores do poker com feijão levam tempo pra se adaptar. E ele ainda tenho um certo receio por conta da experiência no Red Bull, uma que taticamente o time não mostrava nada de relevante, outra que quando deu zica, ao invés de seguir a carreira como treinador, insistir e tentar buscar alguma outra oportunidade e evoluir, ele preferiu retornar a zona de conforto, até que pegue algum time e mostre alguma coisa, eu não apostaria fichas nele não.
  5. Cara, Cuca ontem pelo visto já queria entregar o cargo, ou já sabia de algo, sei lá eu, porque nas substituições foi péssimo. Galera reclama do Deyverson, que ontem deu passe, participava da construção voltando para servir de apoio e dentro das suas limitações cumpriu papel, mas depois que o Borja entrou, por mais que haja sim o mérito do Bahia, a bola simplesmente parou de ser trabalhada na frente, não foi que passou a ser trabalhada em menor quantidade, esse tipo de jogada simplesmente sumiu, e olha que ele não entrou aos 45' do segundo tempo pra ter essa desculpa. Eu não sou muito favorável a criticar jogador que está se adaptando, que não se encaixa direito no estilo da equipe/treinador, mas sinceramente, ontem o Borja me deixou bem pouco confiante que vamos encontrar um técnico no Brasil capaz de entender seu jogo, e fazê-lo render, e mesmo se vale a pena criar todo um estilo para que um jogador que nem o Borja faça alguma coisa. Moises é muito bom jogador, já mostrou que tem bola para ser um dos pilares do time, mas hoje, nesse momento especificamente, pra mim ele merece um banco, parece que se empolgou com a camisa 10, e todo lance precisa ser de efeito, sempre um drible à mais, um passe longo que tenta "quebrar linhas" e nem sempre é das melhores opçoes do momento, e por ai vai, mesma coisa Dudu, pra mim, baita jogador, ídolo sim do clube, e outro pilar sobre o qual um futuro time deve ser constuído, mas a necessidade de enfeitar e resolver todo lance sozinho/ com beleza plastica, já tá exagerada, como Cuca rodou, Mattos precisa dar uma cobrada nessa galera, e trazer eles de volta a realidade, são muito bons jogadores, são nossa espinha dorsal, mas precisam de um choque de realidade. Thiago Santos, sinceramente, pra galera que adora "a opção defensiva que ele oferece" ontem foi mais uma mostra que sozinho ele não adianta de nada, pelo contrário, em time frágil defensivamente ele acaba mais exposto, e ofensivamente, é um dos piores volantes que já tive oportunidade de ver em campo, qualidade de passe zero, multiplicada por zero, bola chega no pé e sai quadrada, mesmo que seja num passe pra trás de meio metro, se nosso próximo técnico não for um cara defensivo que nem o Mano, ou alguém tão retranqueiro quanto, que adore esse tipo de jogador, eu o disponibilizaria em transferência para não correr o risco de alguém o escalar.
  6. É o que falo da esperança.... quando Cuca foi embora e trouxeram o EB, o erro tinha sido não deixar o Valentim "continuar" o trabalho do Cuca, quando o EB estava naquele momento cai não cai, para alguns a esperança era caso Cuca não voltasse, trazer o Valentim..... e agora, voltamos ao Valentim...... E assim vamos de esperança em esperança, Valentim, Jair Ventura, sem parar para avaliar: o que esses caras mostram de estilo/modelo em campo? o que eles apresentam que se encaixa no que precisamos? não tenho absolutamente nada contra apostas, pelo contrário, entre um Abel Braga e o Valentim, eu prefiro mil vezes que o Valentim tente alguma coisa, ou que o Jair seja contratado, mas desde que cientes da forma como esses caras vêem o futebol, pensam na organização da equipe, e encaram as coisas. Jair que tem mais argumentos nesse momento do que o Valentim, justamente pela questão de já ter um trabalho em andamento, pra galera que reclama do Cuca pedir marcação a seus atacantes, precisa antes entender o que ele pensa de futebol, e suas referências: Jair Ventura - Ideias Esse grupo, com esses atletas,atende o que ele enxerga de futebol? temos jogadores operários que aceitam o sacrificio em nome do coletivo? Ou será preciso uma reformulação e peças que se encaixam no que ele entende de futebol? caso essa seja a linha, a diretoria irá bancar seu estilo e insistir na aposta, ou fazer o mesmo que foi feito com o EB nas primeiras oscilações? Valentim, é um caso a parte, não temos qualquer referência concreta do que ele pode fazer a não ser pela própria esperança, ou aposta da diretoria com base no que ela mesmo vê no dia a dia, e que ai encaixaria na mesma necessidade de respaldo do Jair que não foi o caso com o EB, pelo que (não) mostrou no Red Bull, inclsive com tempo de preparação para isso, eu não apostaria todas as fichas no Valentim, sem ter muita mas muita certeza de que ele está abolutamente pronto para encarar o desafio e ao mesmo tempo mercer o respaldo,utilizar esses jogos finais de brasileiro, a não ser que de uma hora pra outra o time vire o Barcelona do Guardiola, eu acho absolutamente frágil tirar qualquer conclusão sobre o trabalho do Valentim, pra mim se encaixaria no caso do Jorginho, que por um trabalho em condição parecida, virou a esperança da época, e a não ser pela "Barcelusa", pouco seria lembrado por qualquer trabalho.
  7. Pois é Silva, pra mim depois da reintegração e perda de força na queda de braço Cuca x Melo, acho que o Cuca já entregou as pontas .... Parabéns aos envolvidos e agora certeza que começamos muito bem a temporada de 2018. Será que o Felipe Melo já aceita encerrar a carreira e virar o técnico ? Já que ele queria tanto escalar o time.... Quem sabe. Concordo Fênix, incrível como a eterna esperança Valentim ronda o clube. Que ele consiga nos classificar aí, faça a vontade dos jogadores que parece ser o mais importante nesse grupo atual, e tenhamos uma temporada boa ano que vem, mas pra mim, Valentim é uma tremenda de uma fria, assim como Jair Ventura, e mano.... Bom , não precisa falar nada, é o Mano Menezes.... A princípio minha visão também é exatamente essa, Barca afundou.
  8. Pra mim, Felipe Melo encaixaria bem, longe do Palmeiras, ficaria muito feliz se ele fosse embora e nunca mais voltasse. Pela forma como jogamos, não sei até que ponto ele não vai acabar exposto e tendo de correr atrás de atacantes mais rápidos, mas, se o Cuca que tá lá treinando no dia-a-dia, e buscando alternativas, acha um opção, vamo que vamo.
  9. Exatamente Gabriel, impressionante como hoje esse artigo parece um negócio tão obvio, mesmo que ainda hoje alguns ainda insistam no camisa 10 mágico. Esse site é fantástico pra quem gosta de tática, hoje eles reduziram muito a quantidade de análises, embora mantenham o acervo histórico. Na copa de 2010 eles fizeram uma cobertura fantástica, praticamente de todos os jogos eu ia louco pra ler e ver se o que eu tinha visto em campo, pelo menos 0,001% era o que eles tinham visto, análises fantásticas de tudo, e artigos sobre tática ainda melhores, cheguei neles por meio de citações do mestre Jonathan Wilson e David Wiinner, dois caras que pra mim pelos livros "Inverting the Pyramid" e principalmente o Brilliant Orange do Winner são referencias absolutas.
  10. Penso exatamente a mesma coisa, camisa 10, armador, craque, o criativo ou seja lá o nome que se dê para esse jogador que era o condutor do time, deixou a algum tempo de fazer sentido pela mudança da dinamica de jogo, um cara desse lá no meio com a mão na cintura esperando a bola chegar pra ele conduzir e dar o passe magistral,é bem complicado de aguentar, até pelas questões de evolução fisica, velocidade de jogo, capacidade das equipes em se recompor e fechar melhor espaços,etc. Esse artigo aqui dá uma boa idéia dessa evolução: Trequartista, enganche, classic no 10, struggle Ele até cita uma comparação que o grande mestre Jonathan Wilson faz do Riquelme, o "ultimo dos moicanos" com o "10 moderno" que nessa época ai surgia representado pelo Modric, um jogador muito mais participativo em todas as fases de jogo, tanto defensiva quanto ofensiva, Kroos outro dessa linha,etc.
  11. Blog do Fragoso : Palmeiras x Sardinhas Pra galera que ainda não viu nada no Cuca, que acha que ele não tem feito muito, denovo uma analise do setorista do Palmeiras, assim como contra o Coritiba, a idéia de ataque, transição ofensiva e defensiva, e aproximação pra troca de passe, presente na exibição do time. Eu respeito a opinião da galera contra o Cuca, não o considero imune a críticas, muito menos acima do Palmeiras, mas minha visão é que é complicado um cara que tá na estrada aí a um bom tempo, e independente de resultados ajudou a ou construiu alguns dos melhores times recentes no futebol brasileiro como o Goiás, as meninas, Botafogo que praticava um futebol bonito pra caramba mas sofria com abalos psicológicos, Atletico MG onde ele inclusive soube encaixar um Ronaldinho em fim de carreira muito bem e fazê-lo brilhar em campo, com nosso Palmeiras, fez um primeiro turno brilhante de brasileiro 2016, com futebol bem praticado e depois nos garantiu o titulo fechando a casa, e mesmo assim conseguiu criar condições para que um menino fora de série como o Gabriel Jesus encontrasse seu melhor futebol na posição que ele deveria estar(ao contrário de Oswaldo e Marcelo Oliveira), isso depois de assumir uma baita bronca com um time também com expectativas vindo em momento ruim com o MO, bateu no peito, assimiu derrotas e problemas e foi pra cima, de uma hora pra outra por uma temporada(que nem foi completa também por vontade dele em ir embora) ruim, virar o maior culpado por tudo, ter sua cabeça exigida, ser perseguido, criticado além da conta e até mesmo ter um "estagiário" nesse momento como o Jair Ventura, ser cogitado para o seu lugar. Lógico que o Jair pode sim vir a ser o melhor técnico do Brasil, mas existe um longo processo de sequencia de trabalho e amadurecimento dele pra isso, e hoje, eu não tenho dúvidas que nós temos o melhor técnico do Brasil no comando.
  12. Pois é, pra galera que curte número de gols e limita essa condição na avaliação de um atacante, acho que esse link aqui: Death of Poacher ajuda a abrir um pouco o raio de avaliação ou pelo menos "conforta" aponta um culpado pelo sumiço do finalizador nato: a evolução natural do jogo. "are in the side as much for their hold-up play as their goalscoring ability. It’s simply not enough to be a goalscorer any more, you have to contribute to the team’s overall game." "Fowler’s lack of fitness has played a part in his decline, but the truth is that he is simply a player left behind by the pace, movement and intelligence needed in the modern footballing game " Deyverson tem sim limitações, pra caramba, ninguém é cego de ver que o cara não é o maior finalizador da história, mas em termos de jogo coletivo que parece ser a aposta do Cuca nesse momento, ele tem se encaixado melhor que o Borja, seja por dificuldade de adptação ou qualquer outro fator que o Colombiano esteja enfrentando.
  13. Bruno, com a licença de utilizar esse post do seu trecho para colocar minha opinião sobre essa questão do Deyverson x Borja, eu penso exatamente isso que você colocou, não sei se era a primeira opção da lista do Cuca, como ele ou Mattos chegaram nesse nome, mas o estilo de jogo do Deyverson, fazia todo sentido de encaixe no modelo que o Cuca vem adotando, dentro de suas possibilidades,e limitações ele é um cara que sabe muito bem receber a bola, proteger e dar um toque para os companheiros, sabe se posicionar abrindo na ponta quando o time avança pelo meio para não so tentar atrair marcação, mas também servir de opção de passe e escora para a progressão do companheiro, sabe fazer pivô pelo alto e por baixo, e sem a bola, consegue recuar para participar da construção de jogadas e se movimentar muito bem entre as linhas do adversário tentando abrir espaço, é um cara muito bom em jogo coletivo, e vejo como uma tentativa do Cuca implementar um estilo de jogo rápido e de apoio direto na frente como ele fez no primeiro jogo do campeonato do ano passado contra o Atletico PR, com o Barrios na ocasião servindo como esse "centro avante coletivo". O que acredito eu o Cuca nem ninguém contava é que o Deyverson ia ficar marcado por uma questão de penalti não batido, e que por mais que lute, e tente fazer seu arroz com feijão ali bem feito, esse penalti não batido, tenha o marcado de vez. O cara não é o Ibrahimovic, não é um Romário, longe muito longe de ser um Evair, mas dentro de suas limitações e dentro do modelo que o Cuca vem implementando, faz sua função bem feita, é aquela história se avaliarmos um peixe por sua capacidade de voar, ele será sempre um fracassado, galera as vezes junta penalti não batido, falta de gols, e forma a visão de que o cara é um inútil, esquece de avaliar o time, a forma de jogo, o que é pedido a ele, e por aí vai, se fecharmos a visão e reduzirmos a avaliação de um centro avante "apenas" pelo número de gols marcados, negligenciando toda a transformação que o próprio jogo vem sofrendo, vamos sempre acreditar nas balelas da imprensa que os técnicos agora só querem atacantes que saibam marcar o adversário, e que jogadores como o Deyveson são um lixo.
  14. Sim, sei bem o tipo de exigencia que nós temos de encarar é uma área de alta exigência financeiramente recompensadora, mas muito exigente mesmo....kkkkkkkkkk Nem fala dessa questão de aprender na marra, eu fui fazendo essa evolução que as emrpesas colocam como "natural", fui de programador, pra analista, ai depois virei scrum master e nos ultimos anos Product Owner, e em cada uma dessas funções a necessidade de aprendizado e evolução rápida era uma constante, trabalhei nos ultmos anos em uma empresa Francesa, não sei se é cultura do povo francês em si, ou da empresa em questão, mas eles eram menos adeptos do "faz tudo" em favor de ter especialistas mesmo, ainda que em equipes agéis, em janeiro do ano passado depois que meu filho nasceu, eu mergulhado em projetos, praticamente não via ele, saia de casa cedo e voltava tarde, reunião e mais reunião, parei pra reavaliar a vida, colocar as coisas na balança e e priorizar outras coisas. E essa questão é bem delicada mesmo, em todas as áreas, eu não sei se é uma questão de cultura americana só, vejo essa capacidade de resolução de problemas, raciocinio e ideias,e ser muito "self-made" que os americanos tanto falam, como um pré requisito pra tudo na vida mesmo, e uma caracteristica que diferencia os profissionais, inclusive no futebol, você pega por exemplo Cruyff, e seus discípulos como Guardiola, um Bielsa da vida, Mourinho, Van Gaal, esses caras tem um estilo único, não abrem mão de suas convicções, implantam suas idéias e filosofia, quando o clube aposta neles, sabe que o pacote todo vem junto, Ibrahimovic por exemplo no Barça do Guardiola sofreu pra caramba, não encaixava no que o Guardiola via de futebol, rodou. Vejo essa questão do Cuca(sem entrar no mérito de querer comparar ele com esses caras que citei) assim, o clube apostou no retorno dele, sabia o que ele entregava e seu estilo, e aos poucos ele está implementando um novo estilo de jogo, colocando em prática suas idéias, temos a opção de cortar isso agora, ir atrás de um novo estilo, e iniciar um novo trabalho, ou apostar mais uma vez no trabalho do Cuca, dar condições para que ele implemente suas idéias e seguir em frente.
  15. Leo, você tocou num ponto, que esse sim, eu questiono o Cuca, e não questiono no sentido de querer que o cara seja demitido, que tem panela,nada disso, apenas entender a opção: Moises. Moises sem dúvida é um dos pilares do nosso time, e o planejamento tático para 2018 creio eu, tem de ser elaborado pensando nele como uma das peças fundamentais, mas nesse momento, vendo ele em campo, me passa a impressão que estamos o forçando demais em função daquele retorno brilhante que teve em termos de desempenho individual no jogo contra o Barcelona. Meio com ele, Tche Tche e Jean, tem entregado dentro do que o Cuca parece planejar, a movimentação, troca de posição e ritmo de jogo que ele espera evoluir, mas até certo ponto do jogo, e quando normalmente o Moises cansa, e o Jean também, a opção tem racaído sempre em colocar o Thiago Santos e segurar, nesse ponto acho que ele poderia sim buscar algum tipo de alternativa dentro do que espera com Guerra(que até tentou contra o Santos, mas justamente naquele jogo parecia não ser o melhor dos cenários pra ele), Bruno Henrique, Veiga ou Hyoran, o Veiga principalmente, nos tempos do EB, chegou a atuar como um homem interno de meio campo, e não fez feio não, adaptar Hyoran que tem caracteristica de organizador, sei lá, são jogadores com caracteristicas que parecem não quebrar necessariamente sua idéia de jogo, principalmente Bruno Henrique e Veiga, mas também Guerra e Hyoran. Ele até abriu mão um pouco da velocidade a todo custo com Keno e Roger Guedes pelos lados em todo jogo a todo momento, e tem buscado alternativas de movimentação com William e Dudu pelos lados, quando a coisa dá uma apertada ou o time adversário sobe as linhas ele aposta no Roger pra explorar o espaço, mas achei bacana essa evolução,e esse novo trabalho que aos poucos ele está montando, enfim, penso como você, manter o Cuca, permitir que ele monte elenco e desenvolva o jogo, aí sim poderíamos ter uma avaliação com mais argumentos e propriedade.