Jump to content

BMarinho

Debate PTD
  • Content Count

    1,780
  • Joined

  • Last visited

About BMarinho

  • Rank
    Profissional
  • Birthday 12/23/1985

Profile Information

  • Gender
    Masculino
  • Location
    Barueri

Recent Profile Visitors

1,099 profile views
  1. Uma coisa que tô achando legal esse ano, é que quando penso: hoje tem jogo do Palmeiras, já penso: pô deixa eu parar pra ver os meninos, como estão se desenvolvendo, deixa ver se o Patrick vai jogar, se o Verón tá evoluindo, como que está o Gabriel Menino, etc, essa questão dos garotos da casa, pra mim é um baita incentivo em ir assistir os jogos diferente um pouco da ultima temporada. Além desse detalhe, o time com o Luxa é nitidamente mais agradável de se assistir, não é um time que entra pra transformar um jogo contra o Mirassol em casa, numa batalha épica vencida com um escanteio aos 95 minutos, o time pode ter suas dificuldades, e problemas de inicio de temporada, mas parece muito mais solto, e disposto a jogar bola ao invés de sofrer. Ontem, o Verón pra mim mostrou que tem sim bastante coisa pra evoluir, mas é um moleque com potencial a ser explorado principalmente em jogadas de contra ataque, é muita velocidade, conforme a carreira vai seguindo, ele vai precisar evoluir mais em termos de quando acelerar, quando não, quando soltar a bola mais rápido ao invés de segurar e dar tempo do adversário fechar espaços, etc, mas bom que é muito novo ainda, tem muita margem de evolução. E Dudu, cara que legal ver esse cara com nossa camisa, é nessas horas que agente para olha e pensa: caramba Dudu já tá (futebolisticamente falando) um bom tempo aqui com nós, é um senhor jogador, é um cara com baita identificação, que legal, que bacana essa história sendo construída, tomara que fique ainda mais tempo, muitos anos. As vezes penso que só vamos ter a real dimensão do que o Dudu representa nessa nossa nova história quando esse momento acabar.
  2. BMarinho

    Palmeiras x Mirassol

    until

    Caramba, ate eu aqui a KMs de distancia do Allianz fiquei com medo de apanhar do GG, bicho ficou puto mesmo... hahhah cara, que escalaçao bonita de se ver do Luxa, o jogo ainda nao encaixou, mas so de voce ver um meio campo com Patrick, Ze Rafael, Lucas Lima , etc sem um volantão cabeça de bagre para jogar contra o “poderoso” Mirassol em casa, ja da um baita alivio.
  3. until

    Como eu gosto desse Patrick de Paula, penso que esse moleque tem muita condicao de se tornar um jogador acima da media, é o estilo de volante que o jeitao do futebol atual pede, dominio de bola, pensa rapido e decide rapido, sabe fazer a bola circular, etc, tomara que esse moleque evolua e cumpra o potencial que mostra.
  4. Primeiro jogo efetivamente que o adversário força nosso time, e o resultado desse tipo de cenário é uma boa lição para o Luxa, depois de hoje ele tem material mais que de sobra para provocar evolução. Red Bull nem fez um jogo assim tão bom, mas diferente da maioria que nos enfrentou, tem capacidade de trocar 3 passes e se movimentar para abrir as linhas, no inicio eles trabalhavam o jogo no meio, sem qualquer pressão dos nossos homens de frente(compactação defensiva não foi executada, jogadores estavam literalmente andando em campo e sem a menor noção/preocupação de se posicionar), e logo depois abriam rapidamente nas laterais que são um ponto evidente para que o adversário possa explorar. Assim que ganharam mais segurança para atacar, o Red Bull também passou a forçar o jogo pelo meio diretamente, não só abrindo pelas pontas, eram 2-3 jogadores entrando na faixa de campo atrás dos nossos volantes para dar opção de passe 1-2 ao Uilliam Correira que coordenava a saída do adversário. A quantidade de chutes que eles deram ao gol, foi um bom retrato desse espaço que criaram, e esse é um ponto importante, que na maioria das vezes "se esquece" na hora de avaliar um jogo, é preciso avaliar adversário, contexto de jogo, atuações dos dois lados, etc, o RB criou espaços, de maneira bem básica com movimentações bem básicas, nada muito elaborado, não foi apenas o Palmeiras que cedeu espaço. No segundo tempo, principalmente depois do 2 gol, como parece ser natural aqui no Brasil, o RB recuou e nos deu terreno para tentar contra atacar, essa estratégia nos favoreceu muito para melhorar um pouco as coisas, mas no geral, a atuação do coletivo foi muito mas muito ruim, e o individual foi junto nesse balaio.
  5. Exatamente são contextos completamente diferentes tirando o fato de ser um volante mais veterano recuado para zagueiro, nao existe qualquer outra semelhança entre o caso Fernandinho e o caso Felipe Melo. O que esta acontecendo é uma aposta do Luxa realmente, e vamos ver no que vai dar se for realmente mantida, e a avaliação deveria ser realmente contra adversarios que exijam o maximo do nosso sistema defensivo, o que não foi o caso ainda, esses jogos em que o adversário é fraco tecnicamente com pouca capacidade tática, ou ambos, servem justamente para tentar evoluir pontos de falha, como o erro no tempo de bola contra as meninas que você citou, e a antecipação que tomou de um moleque de sei la, 20 anos, contra o time americano, esses sao pontos que podem ser avalidos em termos de melhoria e que se ocorrerem contra adversarios mais qualificados, como cheirinho, gremio, river, e uma serie de outros argentinos, podem ser fatais.
  6. Mas nesse caso Marvin, fazendo uma reflexão no seu comentário, mais que a simples troca de posição, seria preciso também comparar todo o contexto além da troca, Fernandinho é um cara ainda com muita capacidade atlética e capacidade de cobrir quase que sozinho boa parte do espaço deixado livre pelos homens à frente dele(a tifo um tempo fez até um video dessa importância do Fernandinho no modelo do City https://www.youtube.com/watch?v=nnyg3yw0KVo), quando o Guardiola o recua para defesa por uma necessidade de lesões, ele não só se adapta muito bem, como consegue dentro do modelo que o Guardiola tanto gosta, ser o homem que faz a transição da bola pelo chão, desde a defesa, conduzir ela e trocar passes realmente, ser o construtor de toda jogada de transição da defesa para o ataque, no estilo do Guardiola. Faria sentido, se aqui o Luxa utilizasse um modelo similar ao que o Pep usa por lá com pressão altissima, linhas lá na frente, laterais por dentro, homens de meio no 4-3-3/4-1-4-1 chegando na frente enquanto os pontas abrem pra alargar o campo o máximo possivel. Aqui Luxa tem optado nesse inicio muito mais por buscar os laterais abrindo o campo, pontas tentando entrar em diagonal, e homem de meio unico armando e entrando na área quando possível, enquanto os dois atrás dele tentam mais equilibrar e chegar para finalização se possível. Nós não temos hoje essa dependência do estilo do Felipe Melo, e nem parece estarmos construindo um modelo que vá criar algo parecido, o recuo do Felipe é uma estratégia ou de gestão do Luxa, ou de criar uma alternativa ao que temos hoje, não necessariamente uma necessidade.
  7. infelizmente eu também acho que isso é estratégia do Luxa, até tinha falado isso outra vez, e pra mim é algo terrível, infelizmente o Luxa macaco velho que é, sabe que essa diretoria não dá o minimo respaldo pra técnico, e que se bater de frente direto, é bem capaz de sobrar pra ele, assim como foi com o Cuca, então ele tá fazendo o "jeitinho brasileiro" para lidar com a situação: ou "vira gênio" por ter reinventado um jogador, ou arranca logo de vez o cara do time com teoricas justificativas, só espero que ele consiga realmente sacar o Felipe Melo do time. Em um tópico que rolou uma vez aqui, entre Gomez, Torugo e Mina, eu já tinha falado que pra mim o Torugo recente é o melhor zagueiro que tivemos, e hoje em plenas condições fisicas e pensando num estilo de jogo de linhas altas, que a velocidade e leitura de jogo dele pode ser essencial, eu vejo ele a milhas a frente do Felipe Melo, fora ser da posição, na disputa com o Gomez eu vejo o Felipe Melo abaixo pela questão de ter de se adaptar ainda a algumas rotinas que pra ele antes não faziam parte, continuo pensando que o melhor dos mundos seria não criar essa disputa, e usar o que os 3 podem oferecer de melhor, talvez num 4-1-4-1 ou mesmo num 3-alguma coisa, mas vamos ver a sequencia, quero ver o time atuando contra algum adversário mais capacitado taticamente ainda pra entender o que efetivamente está sendo construído.
  8. Esse negócio do Felipe Melo é bem complicado, Luxa pra mim tem todo o direito e aliás dever de fazer aquilo que ele acredita, se acha que o Melo pode ser importante na zaga, bacana, tá testando e vamos ver no que vai dar, só precisa assumir a responsabilidade por isso, seja o bônus de ter reinventado um jogador, seja o ônus de ter feito uma escolha ruim que vai comprometer a sequência da equipe e que pode ser potencializada em caso de não dar certo, ele insistir na idéia apenas por ego e para provar para alguém alguma coisa. Pra mim Felipe Melo não é mais zagueiro que o Gustavo Gomez, e principalmente não é mais zagueiro que o Vitor Hugo, e principalmente para um estilo de jogo que em teoria o Luxa diz que vai implantar, a velocidade do Vitor Hugo e capacidade de recuperação, é algo impensável de se abrir mão, pensando desta forma a disputa do Melo seria com o Gomez e não vejo ele levando vantagem nesse momento. Saída de bola, é uma etapa posterior a necessidade primária da defesa conseguir sustentar uma linha alta, é algo desejável mas não necessariamente requerido, isso pode inclusive ser contornado com um ou mais laterais que consigam entrar um pouco mais no jogo da equipe e executar saída, ou um volante mais ágil e com mais capacidade de passe que possa executar a saída baixando para inciar as jogadas, etc. Não faz qualquer sentido pra mim, justificar o recuo do Felipe Melo para qualificar a saída,até porque sua maior característica tem sido bons lançamentos longos que não são exatamente "inciar uma jogada trabalhada desde a defesa" e que ele poderia executar sim jogando no meio campo, e baixando em determinados momentos para executar esse tipo de passe mais longo;
  9. Uma coisa boa de ver esse jogo, além de claro ter mais um jogo para entender nosso estágio de evolução, foi ter a noção de como esse time dos bambis é ruim, santa mãe de Deus, os caras não conseguiam montar uma linha de tabela na ultima parte do campo, é chute lá do meio da rua, o tal do Daniel Alves jogando uma pelada de churrasco tentando conduzir a bola e dar passe sempre com um toquinho nojento na bola, Pablo assasino de ataques, matando tudo quanto é bola dos bambis... ahahahahaha Diniz vai ter muito trabalho, e pelo histórico, tomara que esse ano essas meninas briguem para não cair, se seguir o futebol que apresentaram hoje, esse ano vai ser bem divertido. Sobre nosso time, Lucas Lima realmente pareceu estar no 220, participativo, buscando jogadas, acelerando o jogo, muito legal ver essa atitude, tivemos outro bom destaque individual também com o Ramires tentando mostrar algo, mas coletivamente considerando sempre o contexto de calor e adversário fraquíssimo, não foi uma grande exibição, deu pra ver que as linhas se quebram muito facilmente quando o adversário acelera um pouco as coisas, e principalmente tenta se movimentar com um mínimo de inteligência, foram raros os casos que os bambis conseguiram fazer isso, mas principalmente quando o bola chegou no Hernanes(que nem sequer fez um bom jogo) e ele buscou uma tabela, nosso time se desorientou facilmente. O espaço entre Felipe Melo e Marcos Rocha continua evidente, e bem perigoso, um adversário um pouco melhor capacitado vai explorar esse tipo de coisa com absoluta certeza, Gabriel Menino ainda não tem toda essa noção de posicionamento e cobertura, para ser ele o homem mais fixo e que vai equilibrar as ações e segurar as linhas, num jogo de mais alto nível, pode ter seu preço. Ofensivamente é um estilo de jogo ainda que inicialmente, mais "assistível" que os trabalhos recentes, foi um dia ruim individualmente do Dudu, e temos ainda muita dependência do Dudibres, fosse um dia normal de exibição dele, creio que teríamos feitos pelo menos uns 3 gols nos "soberanos".
  10. Algumas coisas que deu para ter como ponto dessa mini-micro pré temporada: Se o Luxa realmente quer colocar o Felipe Melo como zagueiro, temos que sustentar melhor as laterais, o time com ele na zaga exige uma melhor movimentação coletiva na frente para fechar linhas de passe e penetração e fazer a bola chegar mais "quebrada" na zaga, e principalmente os laterais precisam se posicionar muito bem na cobertura, por instinto, o Melo sai mais para dar combate direto em adversários que entram na sua zona (de marcação e visão), e isso gera muito espaço, uma rotina do tipo: Felipe Melo saiu, laterais fecham mais espaço por dentro(se aproximando do zagueiro que ficou e formando uma linha de 3) e pontas voltam para fechar o espaço por fora seria bem útil nesses casos, Marcos Rocha não é um jogador taticamente capacitado, ele inclusive tem o mesmo instinto de perseguição que o Melo, e ambos com essa mentalidade, pelo mesmo lado podem gerar bastante problemas, oferecer espaço demais ao adversário para atacar. Uma alternativa possível poderia ser uma linha de 3 zagueiros, e Felipe Melo atuando como líbero, ou algo como o Felipão fez, reduzir seu raio de atuação deixando-o mais fixo à frente da zaga, pensar num 4-1-4-1 com Melo sendo o primeiro 1, e colocar na frente deles os meninos da base Patrick de Paula(que me chamou atenção demais, tem muito bons indicativos), ou um misto de alguém mais armador que se solta da linha tipo um Lucas Lima e outro mais de apoio como Bruno Henrique, enfim ir revezando os dois a frente do Melo conforme contexto do jogo, poderia ser algo bem interessante, principalmente pensando em poder subir a linha de zaga, apostando na velocidade do Vitor Hugo e capacidade de leitura do Gomez, aliados a um recuo em determinados momentos do Melo para executar a saída de bola com mais qualidade, e sustentar a execução de um jogo mais ofensivo, contando com certa segurança defensiva, e tentando minimizar o risco do entendimento de jogo dos nossos laterais que não é exatamente seu ponto forte. Em termos de marcação pressão, que pelos treinos e inicio dos jogos, parecia/parece ser algo que o Luxa quer implementar, ainda é preciso elaborar mais a idéia, não só decidir se Melo vai ou não ser zagueiro, para permitir tomar certas decisões de altura de marcação e movimentações, mas também entender melhor os momentos do jogo que geram as iniciativas de pressão, não me pareceu nos jogos que o time tem isso muito claro, as iniciativas pareceram surgir em função do movimento individual de alguns jogadores e no momento da perda da bola lá na frente, apenas e tão somente, além de estar condicionada aos interpretes que estão no momento do jogo(com o time de garotos o time naturalmente pareceu subir um pouco mais e tentar recuperar a bola mais ativamente), e isso por mais que pareça natural não faz tanto sentido, gatilhos de pressão precisam ser bem definidos, e estar na cabeça de todos que estão em campo, independente de quem seja, existe de uma forma geral, a criação de uma relação direta entre preparo fisico e pressão alta, mas na real, a pressão alta é fruto primeiro de muita organização coletiva, definição muito bem estruturada de movimentos individuais que vão potencializar a ação coletiva, definição das chaves que acionam o mecanismo, e claro, a questão física vai tornar ou não a idéia mais ou menos efetiva. Bastou uma organização minima do New York por exemplo, e o adversário conseguiu sair de maneira até simples da pressão, era um giro de corpo, ou um passe no sentido diferente do esperado, e abriam-se enormes zonas de espaço no nosso coletivo, isso pode ser muito bem explorado por adversários mais capacitados. Eu não sei se foi algo ensaiado e planejado para o futuro, mas no ultimo jogo, o time me pareceu no momento defensivo, recuar o máximo de jogadores atrás da linha da bola, centro avante incluso, e deixar o Dudu como homem mais avançado, aparentemente livre de responsabilidades defensivas, e pronto para puxar um contra ataque, tão logo a bola era recuperada, uma tentativa de achar o Dudu no espaço era logo executada, e este quase sempre corria com a bola dominada, se isto realmente form uma estratégia para a temporada, seria interessante casar o meio campo com essa rotina, buscando jogadores com chegada a frente vindos da linha de meio, e principalmente orientar o Dudu a fazer mais vezes o passe da linha de fundo para trás, buscando exatamente a chegada desses homens, além claro da tentativa de passe para o homem de referência na area.
  11. Seu comentário pra mim foi brilhante Tongue, espetacular. Esse lance eu achei na hora muito bizarro, é um jogo de pré temporada, um time aleatório, adversário nem tava fazendo algo fora do normal ou provocando, a entrada do Felipe Melo foi muito fora de sintonia, me pareceu exatamente isso, tem gente que gosta desse estilo maluco, que diz se impor, que intimida adversário, mas pra mim é exatamente isso: ele usa esse tipo de coisa para agradar ainda mais esse grupo de torcedores e ir fazendo aumentando fama e "admiração" com seus seguidores.
  12. until

    Sim, o fisico eu concordo muito, nem é o momento do time estar fazendo uma pressão de 600 por hora num jogo amistoso, o que precisa estar acontecendo sim desde ja é posicionamento, nao da para o jogador adversario dar um passe lateral e isso simplesmente limpar o campo pra ele, e nossa zaga estar enfiada la atras, ou sobe e reduz o campo, ainda que nao correndo a 220 individualmente, mas pelo menos tentando fechar espaços coletivamente, o coletivo desse time ainda nao mudou muita coisa, e as ideias do Luxa ou estao muito escondidas ainda, ou sao bem parecidas com o que já estavamos fazendo. se a maior ideia do Luxa nesse inicio era o Melo de zagueiro, acho que precisamos de mais um pouco de ideias.
  13. until

    Que baita antecipação do zagueiro Felipe Melo!
  14. until

    Sim contra os gambas rolou teste dos garotos saidos das faculdades para draft, e no meio do primeiro tempo o treinador mudou quase o time inteiro. Sim, a escalação deles hoje, em teoria é o que eles tem de mais forte, e nem assim conseguem assustar alguem, o merito de saida organizada deles, tambem passa pela “qualidade” de marcacao do nosso time.
  15. until

    Marcos Rocha e Felipe Melo pelo mesmo lado é teste pro coração, num jogo de verdade isso é risco altíssimo para ser gerenciado. Palmeiras ainda é um time muito desorganizado para saida de bola, jogadores ficam com ela no pe, nao sabem muito bem pra onde tocar, avançam meio inseguros, olhando para os companheiros e fazendo gesto pra aparecer, Luxa tem bastante trabalho ai pela frente. City é fraquíssimo, como tinha falado no jogo dos gambás é um remendo de time, mas mesmo assim consegue sair jogando e fugir da marcação do Palmeiras muito facil.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.