Vini.Palestra

Membro
  • Total de itens

    1.421
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Vini.Palestra

  • Rank
    Categoria Estrela
  • Data de Nascimento 22-04-1992

Contact Methods

  • Website URL
    www.viverdemar.com
  • Facebook
    facebook.com/vinimiranda22

Profile Information

  • Gênero
    Masculino
  • Localização
    Juiz de Fora

Últimos Visitantes

5.106 visualizações
  1. Hyoran realmente tem ido bem. E entra sempre com "fome", isso é bom pro time não amolecer. Sobre o Borja, o time tem jogado cada vez mais do jeito que o favorece. Natural que suba de produção e ganhe mais confiança marcando gols. Pena que no seu melhor momento vai desfalcar o time em, pelo menos, oito jogos. Agora, acho que essa "saudade" que vai bater pode ser bom pra apagar um pouco do filme que ficou do 2017 ruim dele. E se mantiver essa média, vai ficar em torno dos 40 gols no ano. Quem no Brasil entrega isso e fazendo gols em clássicos, mata-mata e libertadores? Tá bom demais.
  2. Cara, se sentir HUMILHADO por perder da forma como o time vem perdendo, sinceramente, o seu termômetro sentimental está descalibrado. O Palmeiras não sentou a bunda dentro da área e foi amassado em todos esses jogos pra se sentir humilhado. Se teve um time que se propôs a atacar e ganhar jogando melhor fomos nós. Perdemos sempre jogando pra frente com eles sempre especulando uma expulsão, um contra-golpe. Se sentir humilhado com isso? Sério? Sinta raiva, pelo menos. Se tu fosse vascaíno ainda dava pra se sentir humilhado. Quem segura o Roger Machado é o trabalho dele. Time forte, com resultados expressivos em alguns momentos, mas que vem sofrendo com UM tipo de jogo. O que o sccp e times pequenos fazem, de retranca forte. Não é um trabalho impecável nem a prova de falhas, mas é bom. Que time joga tentando por a bola no chão e criar e tem melhores resultados que o nosso? E na real, por mais que alguns torcedores se sintam humilhados, agora é hora de engolir o EGO e para de se basear em sentimento pra tomar decisões. Quanto mais emocional uma decisão, pior é o resultado. E isso não tem a ver com santificar o treinador. Enquanto não entender que tudo tem um processo, vai rodar pros caras o tempo todo. Porque eles estão lá, mantendo o mesmo esquema desde 2012. São SEIS ANOS e não seis meses. Aí meu amigo, até o Romero joga bola.
  3. Isso vai depender do sentido de lento. Os caras dos 100m rasos são extremamente musculosos pois dependem da potência para ganhar o máximo de velocidade possível num curto espaço de tempo. Logo, sua resistência acaba sendo bem menor. Essa velocidade do atleta é devida da explosão e força da passada, sempre em linha reta. Só que no futebol os movimentos são bem mais complexos do que "apenas" a corrida. Tem mudança de direção, agilidade de movimentos laterais, alta repetição de movimentos com potência máxima, etc. É nisso que, muitas vezes, o atleta sofre. Basta ver o caso do Robinho, que exagerou no ganho de massa e ficou muito mais "engessado", perdeu aquela "malemolencia''que tinha na época de Santos.
  4. Não concordo nem discordo, mas tenho dúvida: É informação ou opinião?
  5. Tem que se levar em consideração que o Alianza Lima não ganha um jogo de Libertadores há 11 jogos. Que está numa fase terrível e que fez seu único gol de pênalti. Dito isso, a atuação de ontem justifica-se por: - Quem jogou, entrou com muita fome de bola pra garantir uma vaga entre os titulares e por mais minutos em campo. Que o diga o profeta e o Hyoran! - TS, Moisés e Tche Tche são os meiocampistas mais intensos do elenco. Logo, é natural que o time consiga pressionar mais e roubar mais bolas no campo de ataque. Bruno Henrique e Melo jogam mais posicionados, enquanto Lucas Lima é mais adepto do cerca e condução de bola. A característica dos jogadores ontem é muito diferente dos "titulares". - Hyoran é um meia que joga aberto. Keno é um ponta driblador. Também é natural que o time então drible menos e tabele mais. Também porque Moisés é um cara que gosta de soltar de primeira a bola. Novamente, a característica de quem entrou em campo encaixou com os espaços que o alianza deixou. O que fica de lição? - Dudu na esquerda pode ter um posicionamento como o de Hyoran, menos agudo e mais "cerebral". E Hyoran pode ter mais minutos em campo. - Lucas Lima precisa aumentar a intensidade de jogo ou Moisés vai - literalmente - atropelar. - Pro time conseguir pressionar de forma mais eficaz, a intensidade dos volantes é muito importante. Assim como o posicionamento do Borja, afundando os zagueiros e dando mais campo pra quem joga no meio.
  6. Andres Sanchez tentando azedar nosso caldo de novo: “O que eu acho que o Palmeiras tinha que aprender era que não adianta pagar 1 milhão e meio de reais por mês e 50 mil reais por jogo para o Goulart. Isso que perde o campeonato. Não falei por mal quando disse que queria o Dudu, só acho que o capitão não pode ganhar R$ 400 mil quando outro ganhar R$ 1 milhão e R$ 25/30 mil por jogo, só para entrar. Acho isso injusto com ele. Seria mesma coisa que o Rodriguinho ganhar 10x o que ganha o Balbuena”, relatou Andrés. Completamente perturbado, ainda provocou sobre uma possível contratação do Gil pelo Palmeiras: “Com essa oferta que eles estão dando para o Gil agora, o Gil não vem. Não tenho banco por trás de mim, mas eu estou na briga. Não é só você querer, tem que pensar em enfraquecer o seu adversário também. Se o Gil estiver disponível para vir ao Brasil, Palmeiras vai ter que aumentar a oferta”.
  7. Eu acho mais do que normal e acontece com todos os times. Se o ataque é no lado do rocha, o ponta tem sim que voltar pra evitar que o lateral adversário faça o 1-2 ou voltar para dobrar a marcação no atacante. E a tendência é essa, futebol total. Atacam todos, defendem todos. Então, do mesmo jeito que o Marcos Rocha ataca com força, o ponta tem que ajudar na fase defensiva e os zagueiros precisam saber acelerar o passe. Óbvio que nem todos os jogadores farão isso no futebol br. Mas os que fazem se destacam. Também não acho que perde tanto o contragolpe. Principalmente quando o time é bem treinado e os jogadores entendem o momento que tem que voltar e quando podem "sobrar". Quanto ao cansaço, correr sem a bola cansa muito mais. Então quanto mais rápido recupera, melhor é.
  8. O Bruno Henrique ao entrar no lugar do Tche Tche alterou o esquema e deu mais liberdade para o Melo participar mais do campo de ataque. Sinceramente, acho absolutamente normal um lateral, por melhor que seja, "sofrer" com um atacante bom de bola. É muito mais difícil marcar. E o jogo do Boca foi bem centralizado no Pavón. Então, tentando 10,12 vezes, em algumas ele vai passar mesmo. E nem sempre a cobertura vai ser obrigação do Felipe Melo. No modelo de jogo atual, quem faz a dobra pelos lados é o ponta enquanto os dois volantes jogam lado a lado protegendo a área e procurando a segunda bola ou afundando na área em jogada aérea. E o Marcos Rocha, quando subiu, também deu um "baile" no Pavón se formos olhar por essa perspectiva.
  9. Nada como um bom marketing com os "organizados" e fama de "jogador raiz". O que me deixa triste é que sempre achamos que é a minoria. Mas isso mostra com tá longe de ser as menores parcelas da população. Agora, com ele dentro de campo, tem bola no pé. A falta de intensidade deixa a desejar na parte de marcação, principalmente nos finais dos jogos. O problema é que com a bola que ele pode jogar, não tem como ser poupado. Jogador assim ou é peça-chave em modelo de jogo ou dá problema.
  10. Sinceramente, pelo que li do artigo que fala sobre interferência externa, nem precisaria da leitura labial, pois deixa claro que NENHUM contato com gente de fora é permitido. E é isso que CLARAMENTE ocorre. Que o cara tenha perguntado quanto falta pra acabar, mas é contra o regulamento.
  11. Cara, jogar poker numa noite da semana anterior a uma decisão tem ZERO influência no desempenho do cara no dia do jogo. Não tem nem o que lembrar ou cornetar, o cara não virou a madrugada, não perdeu treino e não há nenhuma evidência de bebedeira no evento.
  12. Fazer estrago é beemm relativo. O Cuca foi parte de um sistema. Tem parcela de contribuição por ter falhado? Com certeza. Fez discórdia no time? Não. Ele simplesmente optou por não usar alguns jogadores até pra não queimar eles e abrir espaço pra outros que se encaixassem. Sobre os jogadores que foram "queimados": Jean passou o ano com problemas graves no joelho, tanto que operou esse ano e ainda nem jogou. Borja não se adaptava nem ao futebol brasileiro, muito menos ao estilo de jogo do Cuca. Tche Tche jogou abaixo de 2016 com TODOS os 4 treinadores do ano passado pra cá. E Felipe Melo, esse ano, pra mim é o 2º melhor do Paulista, mas ano passado ele mesmo se queimou. Não tem um argumento que mostre que o Cuca foi só um motivador do elenco. E quem em 2016 era craque? Maior ídolo daquele elenco NAQUELA época era o Prass. E único craque que saiu dali foi o Jesus.
  13. Cara, discordo e muito do seu post. Muito mesmo. Na mesma proporção dos erros do Cuca em 2017 hahaha. Mas isso não me tira o respeito por ele. Errou e pagou o preço. Mas os próprios jogadores que foram muito bem em 16 "sumiram" em 17. E hoje é fácil virar e falar que o Cuca não resolve nada e que aquele time seria campeão com qualquer um. Não era, tanto que quando o próprio Cuca afirmou isso muita gente duvidou. Agora, sobre o elenco, antes do título, praticamente TODOS os jogadores do elenco sofriam com alguns "poréns". Com Gabriel Jesus, foi ele quem teve peito de bancar nomes experientes e por o garoto de 9. Com TT e Moisés foi ele quem apostou numa dupla sem "cão de guarda" e os melhores momentos da vida do Roger Guedes foi com ele. Ou seja, foi muito mais do que apenas um motivador do elenco. E se não era um primor de toque de bola, era muito mais lúcido do que nos tempos de Marcelo Oliveira. Ali sim era um futebol sem nexo. Se não tivéssemos um técnico de verdade estaríamos há 24 anos na fila. Hoje tá muito fácil vir malhar o Cuca e falar que ele foi culpado do nosso 17. O cara tá em baixa, último trabalho ruim. Agora, se pega outro time e ganha, muda totalmente o nível das avaliações.
  14. Não vejo como birra e muito menos como preconceito contra o jogador. Acho muito simplista qualificar dessa forma. O único tipo de treinador que "se vira" com as peças que tem é aquele que não tem nome pra se impor e pedir os reforços que julga necessário. O erro não foi do Cuca, mas de se contratar um treinador onde duas peças-chaves do elenco não se encaixavam no modelo de jogo dele. Ele tentou fazer o dele e pediu reforços pra ter um time "dele". Isso acontece com Guardiola, com Ernesto Valverde, com Zidane, com Dorival, Renato Gaúcho e qualquer outro treinador. Dessa vez acertaram em cheio no treinador e, naturalmente, outros nomes que se davam bem naquele estilo de jogo perderam espaço.
  15. Alguma estimativa de quantas pessoas estavam ali na região?