Nicholas Santos

Membro
  • Total de itens

    321
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Nicholas Santos

  • Rank
    Categoria Profissional
  • Data de Nascimento 22-03-1995

Contact Methods

  • Website URL
    http://

Profile Information

  • Gênero
    Masculino

Últimos Visitantes

5.797 visualizações
  1. Desaprovação do Mauro Cezar. Do jeito que ele fala tanto disso, deve ser critério de desempate no brasileiro.
  2. O cartão do Mayke eu achei burrice mesmo. O Dudu já tinha enrolado e deixado pra ele bater a falta, ai ele vai e demora um tempão pra bater. É pedir pra tomar amarelo.
  3. Eu acho que faz sentido. Diferente do que aconteceu nesse jogo, na maioria das vezes é o time eliminado que começa a confusão, já que uma possível punição só viria na próxima temporada. Desse modo eu acho que acaba inibindo esse tipo de confusão, já que tem o perigo da suspensão prejudicar no brasileiro.
  4. Falando desse jeito até parece que o Palmeiras joga e deixa jogar. Não, a retranca de lá é a mesma daqui! No jogo contra o Colo-Colo, o Palmeiras dominou o jogo todo com a bola no pé não foi? Ou o time se fechou e fez gol no contra-ataque? Palmeiras joga igualzinho o Cruzeiro, só que o Cruzeiro tem um contra ataque bem melhor e o Dedé na zaga.
  5. VAR não serve pra esse tipo de falta, só seria acionado se fosse pênalti.
  6. Guerra não! Esse ai é um morto!
  7. Ponte Preta 1 x 0 São Paulo (03/07/2016) https://www.gazetaesportiva.com/times/sao-paulo/juiz-diz-que-gravidade-de-ferimento-levou-a-expulsao-dematheus-reis/ Pivô de uma polêmica na derrota do São Paulo por 1 a 0 para a Ponte Preta, neste domingo, o árbitro Vinícius Furlan justificou a expulsão do lateral tricolor Matheus Reis com base na “gravidade do ferimento no atleta atingido”. O lance, ocorrido aos sete minutos do primeiro tempo, revoltou os jogadores e a comissão técnica da equipe paulistana. Furlan havia mostrado o cartão amarelo para Matheus Reis, mas voltou atrás na decisão ao ser chamado pelo quarto árbitro e ouvir as reclamações do técnico da Ponte Preta, Eduardo Baptista. Segundo o árbitro, o lateral foi “expulso por dar uma entrada com força excessiva na canela de seu adversário de número 10, Sr. Matheus Sousa de Jesus”. “Informo que inicialmente interpretei como jogada temerária, mostrando o cartão amarelo. Após conferir a gravidade do ferimento no atleta atingido, corroborando com a opinião do quarto árbitro, revoguei a decisão inicial, cancelando o cartão amarelo, e mostrando o cartão vermelho direto”, acrescentou Furlan na súmula. O cartão vermelho levou o técnico Edgardo Bauza a entrar no gramado para reclamar com Furlan. O treinador, que insinuou que o árbitro estava “louco”, também foi expulso. Ele, no entanto, se recusou a cumprir a ordem do juiz e só foi para os vestiários minutos depois. O Patón ainda passou por dentro do campo de jogo ao abandonar o banco de reservas. “Aos 10 minutos de jogo, expulsei o treinador do São paulo, Sr. Edgardo Bauza, por invadir o campo contestando com gestos e palavras (não compreendidas) a expulsão”, diz a súmula. “O mesmo (sic) não se dirigiu aos vestiários, alegando não ter sido expulso. Na paralisação seguinte, informei novamente a expulsão. O referido senhor saiu apenas em outra paralisação, atravessando por dentro do campo de jogo”. Irritado com a atuação de Furlan, o São Paulo marcou uma reunião com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e com representantes da Comissão de Arbitragem para as 11h30 (de Brasília) desta segunda-feira. O encontro acontecerá na sede da entidade, no Rio de Janeiro. O clube afirmou que pediu uma reunião “não só pelo jogo de hoje, mas para discutir critérios, qualidade e a arbitragem de um modo geral”. “Nós não queremos ser beneficiados, queremos os mesmos critérios”, justificou o diretor de futebol do Tricolor, José Jacobson Neto.
  8. Simples, lembram da excursão no Panamá? Pois é, como os dois únicos jogadores que hablan estavam indisponíveis (Borja na copa e o Guerra machucado ficou no Brasil), tiveram que trazer alguém pra participar da entrevista do jogo aberto de lá.
  9. O próprio Keno disse que foi o Cuca que indicou ele: "A gente sabe que vivemos de resultados. O Cuca é excelente treinador, ele que me trouxe para cá. Não estava dando certo com ele. A diretoria tomou uma atitude e vamos seguir em frente, porque o Palmeiras segue", explicou Keno. https://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2017/10/15/destaque-keno-diz-que-nao-teve-lesao-e-exalta-cuca-ele-me-contratou.htm
  10. Também me preocupa bastante como vai ser o trabalho do Felipão aqui devido essa passagem pelo Grêmio. Mas ele saiu depois da segunda rodada do BR15, então o fato do time ter ficado no Z4 quando ele saiu não representava quase nada naquela fase do campeonato.
  11. O Palmeiras não pagou as luvas ao Scarpa: "Até agora, Scarpa embolsou apenas o primeiro mês de salário no "Verdão", mais o valor proporcional dos dias trabalhados no segundo mês, até que a Justiça cassou a liminar e o impediu de seguir momentaneamente em ação pela equipe palestrina. O Palmeiras, por sua vez, impôs prazo de carência de 60 dias para iniciar o pagamento das luvas e comissões que, com salários, somarão aproximadamente 6 milhões de euros (R$ 25,61 milhões, na cotação atual) em três anos. Como antes desses dois meses a Justiça obrigou Scarpa a se afastar do "Verdão" e voltar ao Fluminense, porém, o time alviverde não chegou a depositar a quantia mais elevada acertada na assinatura do contrato." Fonte: http://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/4339077/palmeiras-ainda-nao-pagou-luvas-a-gustavo-scarpa
  12. Keno nem saiu ainda e já começaram a menosprezar o cara. A torcida merece muita coisa que acontece com o clube.
  13. O Lucas Lima só fez um gol de falta durante o tempo que passou no santos, talvez ele não seja tão bom cobrador de faltas quanto pensamos...
  14. Qual o sentido de comparar um zagueiro com um meia-atacante?