Jump to content

Exagerado

User
  • Content Count

    609
  • Joined

  • Last visited

About Exagerado

  • Rank
    Sub-14

Profile Information

  • Gender
    Masculino

Recent Profile Visitors

889 profile views
  1. E se deixar o Alexandre Mattos e oferecer algum cargo ao Paulo Nobre para fiscalização e ajudar na imagem da diretoria. Aliás, o time mesmo causando nojo na torcida e sendo desinteressado brigará pelo G4. Não vivemos terra arrasada como imaginamos. Os próximos passos precisarão ser muito pensados. As cobranças podem ser suficiente para o Alexandre Mattos e o Galliote diminuírem os erros desse ano. O primeiro ponto é recuperar o tesão da torcida em assistir as partidas. Se renovar o elenco é importante, inclusive reduzindo a média de idade e trazendo jogadores que sonham em alcançar conquistas, será essencial trazer um nome de muito impacto. Alguém que provoque reações até maiores do que o Dudu quando chegou. Tem que ir atrás de um jogador como pensamos que seria o Borja. Lógico, terá que ser de verdade, alguém para assumir o protagonismo. Se forem dois, melhor ainda, pois não sobrecarrega apenas um com as expectativas. Enfim, apenas mudar o diretor de futebol não é resposta para a apatia do time. Principalmente que sabemos ser alguém razoável no mercado do futebol.
  2. 1) Falou que vamos de Deyverson na próxima partida. Eu pergunto? Até quando isso? 2) Sem muita lógica terminou criticando as jogadas verticais que trouxeram o Palmeiras até a vice-liderança. Me pareceu uma crítica desnecessária a proposta do antecessor. O Mano tem que se provar com suas qualidades e não apontando supostos defeitos nos outros. Não mostrou ao que veio ainda para dizer que melhorou algo na equipe.
  3. Quase assinei em baixo. Só não concordo com a entrada do LL. Melhor seria Raphael Veiga ao lado do Scarpa. O Willian tem que jogar no lugar do LA que se lesionou e talvez não volte esse ano.
  4. @Siena Assim como você, queria intensamente ver o copo meio cheio. Até refleti para entender o quanto a minha frustração, junto com os demais torcedores, tem sido produto de manipulação. Passamos o ano inteiro sofrendo com a campanha da mídia sobre o time. Talvez, as repetidas provocações possam ter contagiado os próprios jogadores. Não sei, sinceramente. Se descartar a manipulação da mída (ou somar ao argumento), desconfio que o nosso desespero exarcebado pode ser o medo de retornar ao rendimento que tínhamos antes do PN. Hoje sabemos que eramos um time falido e que caminharia ladeira abaixo. Ninguém quer mais. Por isso falamos tanto de renda, compra e venda de jogadores, patrocínio, diversificação de receitas. Faltou pouco para não fecharmos as portas. Pode me dizer se a bonança atual foi consolidada ou será passageira? Apesar das dúvidas, proponho discutir passo a passo as ideias expostas. Todo mundo comemorou. Nem todos aplaudiram. O título apagou os defeitos. O fato é que jogamos muitas partidas em 2018, porém vencemos um fração desses jogos. Existia problemas de elenco que derrubaram o Roger Machado. O Felipão acertou a defesa e propôs um jogo de muita correria, que não agradava aos olhos. Trazia resultado, nada além disso. Contudo, vejo aqui uma contradição: aplaudir o elenco X contratar aonde necessitávamos. Sabíamos nossos defeitos. O próximo passo para a consolidação dependia de mudanças. É verdade que até a manutenção do BH foi pedida. Mas a que custo? Valia tudo para agradar a torcida, a qual sequer teve as informações completas para decidir se era realmente o que pretendia? Exemplo: Do elenco atual salvamos o Dudu (não concordo, mas a maioria sim). Ok. E se a pedida salarial for de R$ 2 MI mensais? Ele fica ou saí? E se a permanência dele significar a impossibilidade de contratar o Hulk? Ou sendo mais realista, o Giuliano que está perdido na arabia. Agora convenhamos: a diretoria já deixou claro que "caga" em cima da opinião dos torcedores. Não dá para dizer que nomes foram pedidos porque a torcida pedia. Eles são responsáveis pelo descontrole nos aumentos de salários, no término ou redução dos contratos de produtividade, em contratos com jogadores em declínio físico por gratidão, contrato de jogadores sem condições físicas por altíssimo salário (Goulart e Ramires) etc. Vamos continuar a discutir culpa. Sou fã declarado do Felipão. Jamais ele poderia ser tratado como foi. Porém, ele é humano e comete erros. Muitos erros. Graves na indicação do Cadu e permanência do Deyverson. E quem não comete? Na gestão de dinheiro é preciso cautela e uma série de procedimentos que protejam seu investimento. Não se gasta tudo com apostas, tampouco deixa o patrimônio estacionado com rendimentos abaixo do mercado. O sucesso financeiro do Palmeiras inflacionou o mercado para nós apenas. Se o Bahia pretende contratar alguém custará X (valor real), sendo o Palmeiras 10X (valor superestimado). O bom gestor tem que brigar para abaixar o preço para X, no máximo 2X. Não basta trazer por 10X e sair dizendo que é foda por ter comprado. Quando isso é possível e quando não é possível? Se eu preciso de um produto único no mercado, sem concorrência, dificilmente poderei barganhar. No máximo decidirei não comprar (manteria o Arthur e não traria o Cadu). Todavia, diante um leque de opções similares, farei escolhas mais consistentes e o vendedor saberá que a chance de eu não comprar é maior, decidindo abaixar a pedida inicial. Muito simples a ideia. A prática revela-se cansativa, pois deve ser antecedida de estudos e pesquisas prévias. O gerente de futebol tem que trabalhar! Se o Felipão ou o Mano pedem o jogador YZ, a diretoria tem que avaliar se a pedida corresponde ao valor real ou superestimado. Alias, antes de tudo, precisa ter o scout do jogador. Se der para comprar muito bem, do contrário avisa o treinador e apresenta uma lista de jogadores similares. No caso do Cadu não era difícil de perceber o erro da negociação. Ele era reserva do nosso antigo jogador, vendido por quase o mesmo valor. Os árabes passaram a perna no Palmeiras, trocando um reserva por um titular. Poxa, se era aposta, por que não repetir a fórmula anterior? Traz por empréstimo e valor de passe definido. Perceba, tem faltando soluções criativas na diretoria de futebol. Nessa semana questionei porque o profissional contratado Mattos não avançou no mercado sulamericano? Outra dúvida: quero um diretor profissional que fica dando desculpas? Renova com os lentos BH e FM pois a torcida pediu. Torra o valor de um BH do Santos, no Cadu para atender o Felipão. Repete a dose, não realizando uma excelente venda, simplesmente porque o jogador acha que vai casar e o treinador também quer mantê-lo no elenco. Veja, os erros cometidos não foram muito diferentes da contratação do Wesley ou do Lincoln pela diretoria amadora que tínhamos. A diretoria de futebol tem que ser proativa, não basta reagir ao pedido deste ou daquele. O que está fazendo o Mattos nesse exato momento? Esperando para ouvir o pedido da torcida ou do treinador? Lembram das críticas que se fez ao Paulo Nobre na época do Allan Kardec? Todo mundo se desesperou, a torcida pedia, visto que a diferença que o levou para o SP era pequena. Quem se lembra do jogador agora? Foi embora, não deixou saudades. A continuação da carreira dele foi um fiasco. De quebra serviu de exemplo aos demais. O recado foi dado pelo PN: "Não venham atrás do dinheiro como se não tivesse dono. Quer ganhar mais vai ter que jogar bola". Pois bem. A economia rendeu a vida do Dudu. Belo negócio. Ninguém questionou a contratação na época. Não se pode ter arrependimentos quanto à isso. Hoje discutimos o valor da contratação, pois o Borja era jogador de uma temporada. Já havia rodado outros lugares sem grande sucesso. Mas não vamos ser comentaristas de partida encerrada né? Sobre o Borja, a diretoria tem que ser cobrada porque ele continua no Palmeiras. Desde 2017 sabemos que ele não tem nível para jogar no Palmeiras. Eu penso que é vaidade. Eles estão a procura de alguém que pelo menos empate o valor superestimado que pagamos. Em outras palavras, fomos enganados pelos colombianos e agora procuramos um trouxa para repassar o engano. É aquele cara que compra um carro usado, percebe que está zicado, mas tenta revender para outro. Assumam a falha, aceitem o prejuízo financeiro. O Borja continuando, derrubará o Palmeiras esportivamente, na maioria das vezes que entrar em campo. Enquanto isso não vamos atrás de outros atacantes que nos ajudem vencer campeonatos. Onde o Palmeiras errou por deixar o Flamengo trazer por empréstimo o Gabigol? Nessa tentativa infrutífera de recuperar o dinheiro, perdemos oportunidades de outros negócios e perdemos em campo. Se aceitarem o erro, poderão recuperar parte do dinheiro com a venda do jogador, dessa vez pelo valor real. No fim das contas, ninguém pagará o preço que pedem no Borja e ele sairá no final do contrato sem qualquer retorno, deixando um rastro de prejuízo. Repito, é vaidade para, em eventual venda, dizer que a maior contratação da nossa história não foi um tiro na água. Muito bom vencer..... E se eu disser que corrigindo os erros poderíamos vencer ainda mais? Estivemos na crista da onda, sem qualquer concorrência, e ainda assim deixamos passar campeonatos que fariam diferença. Quando perdemos, ficou claro que o problema não era em campo apenas. O esporte faz vencedores e perdedores. Isso é normal. Acontece que temos perdido em recorrentes oportunidades, com total apatia e incapacidade de reação e ninguém quer mais isso. Você vai tranquilo para o próximo clássico, por exemplo? Na sua previsão, admite que o Palmeiras chega em condições de vencer o campeonato ao enfrentar o Flamengo? Se afirmativo, aposta na vitória de quem (o jogo vai ser em SP)? Veja, se aceitou que o Palmeiras será competitivo nesses momentos que poderão ser decisivos, então precisa olhar direito para o copo, ele não está cheio. O catado se borra em decisões. Eu cogito outra questão. O esquema do Felipão, apesar de todas as críticas, trazia resultados. Porém era muito intenso, dependendo do físico dos jogadores em grau máximo. Correria insana por 90 minutos. Entretanto, temos um time de veteranos e acho que pesou essa exigência física. Não houve comprometimento dos jogadores durante a parada da Copa América. Voltaram abaixo fisicamente e não foram capazes de responder em campo a intensidade necessária para continuar dando certo. Então, o melhor para jogadores veteranos é manter a posse de bola, com esses toques laterais. Correm menos. Daí a queda do Felipão e a chegada de um treinador que promete cadenciar o jogo. Só uma ideia para os fatos inexplicáveis que se sucederam.
  5. Tenho ideia parecida. Só fico na dúvida em relação a zaga e indicaria o Zé Rafael no lugar do LL, por ter maior presença defensiva. Digo, maior presença em campo, as vezes até esquecemos que o LL está em campo. Lembro desse vídeo de treino. No começo do ano, a TV Palmeiras exibia vários treinos ao vivo. Tinha excelente audiência. Acontece que era triste de ver, muitos erros básicos. Os treinos fechados devem ser para não expor os jogadores ao ridículo. Tanto que o Mano abriu o treino quando chegou, mas logo em seguida fechou. Minha aposta também seria o Tiago Nunes. Talvez, dos nomes brasileiros, seria a melhor e mais realista aposta. Gallardo tem contrato até 2021. Me disseram que recebe 2 MI mensais. Agora, quem quer tacar fogo no puteiro, pede o Cuca. Desde que garanta estar motivado e chegue sorrindo na bagaça. Se sair o Mattos dá. kkkk ---- Edit: Cuca não. Lembrei que ele indicou o Deyverson.
  6. Eu tenho para mim que essa sempre foi a ideia. Passou por aqui apenas pela grana da multa. E já que rachadinha tá na moda, por que não pensar nisso? Concordo. Só para esclarecer, estava me referindo ao trabalho de busca de talentos na America do Sul. Já pensei nisso. O elenco se tornou um problema difícil de resolver. Tem jogador aí no catado que se liberar de graça não saí, pois a média salarial é alta no verdão. Não basta o Palmeiras aceitar proposta ou liberar, o jogador tem que aceitar os salários que serão oferecidos. Em sã consciência, quem no catado merece aumento de salário pelo que apresentou em campo em 2019?
  7. Algumas frases certas (amarelas), outras estão erradas. Acontece que até as frases certas tem o momento exato de serem utilizadas. Não estamos nos afastando da liderança, caindo pela tabela, em razão do esporte. A torcida de um modo geral se contagiou com a falta de confiança do catado. A diferença é que eles recebem salários milionários e a torcida paga a coisa. Simples assim e por isso o sentimento de revolta. Não é apenas resiliência em aceitar o que vem acontecendo. Estamos frustrados em gau máximo. Muitos alertaram no início do ano que seria complicado vencer em 2019. Não pela desconfiança com o elenco, campeão no ano anterior. Parecia tudo bem. O medo era a arbitragem e a guerra com a emissora. O jogos começaram e o marketing negativo veio junto. A mídia tradicional não escondeu o ranço que sente pelo time de porcos e fez campanha deslavada contra. Fomos perdendo torcedores pelo caminho, o Avanti ficou mais caro, o estádio é caro para o público geral. Uma decepção ou outra, mas estávamos aguentando essa guerra de opinião. Tentamos sustentar o discurso vitorioso e que poderia nos trazer resultado. Em maio e junho nos iludimos e achamos que poderíamos ganhar todos os campeonatos. Eu estava insano naquele período. Só faltou fazer pirocoptero no almoço de família, na frente das crianças, em cima do prato da gambazada. A euforia virou desespero. Tudo extremado e regado com a nossa origem latina. Apoiamos, brigamos, defendemos o Palmeiras, a Crefisa e a Puma. Sonhamos. A realidade chegou e não seguramos a pressão. Perdemos a guerra de opinião. A arbitragem ainda quer mais, vide a expulsão do Willian. Entretanto, estamos onde a globosta queria que estivéssemos. Em crise! Não pelo que ela fez. Até nos pagou o que pedimos. Perdemos internamente. Fomos traídos pelo fogo amigo. O descaso ou incapacidade dos jogadores foi revelado pós Copa América. O Felipão limado e critico a forma, não a decisão, pois o Palmeiras é maior. Veio um técnico sem respaldo com a torcida, inimigo histórico e próximo de empresários e do parceiro diretor de futebol. Tragédia total? Não poxa, não existe demérito em brigar pela Libertadores (G4). Sei que sou lunático, mas com calma e tempo, talvez o título. É a camisa do Palmeiras em campo apesar do catado. Já passamos por muita coisa, essa não é nem de longe nossa pior mancha na história. Porém, quero mudanças urgentes, pois 2019, esses últimos meses de agosto e outubro, estão me fazendo sentir desprazer de ver o Palmeiras em campo. Ontem, no segundo gol, ao invés de lamentar a derrota eu disse: "toma seus trouxas". Quando fomos colocados na roda, queria que aquilo não acabasse nunca. Pedi mais acréscimos para ter o prazer de ver o catado ser humilhado. Foram sentimentos muito ruins, não me fez bem. Repito, perdemos a batalha de 2019 e sabíamos o quanto seria difícil. A dúvida que eu tenho é qual o limite da manipulação que sofremos? Confesso, eu não sei.
  8. Vou tentar explicar o que vinha dizendo ao longo da semana. Com esse elenco o Dudu passou a ser negociável também. Pode sair sem problema algum no final do ano. A culpa é exclusiva dele? Não, mas faz parte do problema. Quando se diz que o Dudu deixou de ser incontestável, o recado fica claro para os demais. Todos vocês estão na reta. Qualquer um pode sair. Precisamos renovar esse elenco, pois tem sido muito ruim a sensação de ver certos jogadores em campo. Ontem, quando o Cadu estava entrando pensei: podia ser pior. Podia ser o Deyverson Ao final da partida concluí: Muito ridículo esse Cadu, ele não pode entrar nunca mais. Contudo, apesar da derrota, agradeço por não ter visto o Deyverson em campo. Está nesse nível. Dizíamos: se tem um jogando, queremos o do banco de reservas. Agora mudou, percebemos que dos que estão elenco não queremos ninguém. Nem o Dudu, "a estrela de jogos importantes".
  9. Pensando aqui. Palaia foi buscar o Valdívia. Preço condizente com o futebol sulamericano. Tirone e Frizzo trouxeram o Barcos. Ilustre desconhecido por aqui e jogou bem. Galliote/Mattos - Mina e parou por aí. Eu espero mais de um dirigente profissional. CPI nas últimas contratações é medida urgente. Muito dinheiro envolvido com esses amebas, as motivações para as compras e os preços praticados se tornaram uma caixa preta. Nada se divulga ou comenta, tudo com a benção do Galliote. Transparência zero.
  10. Não escondo de ninguém a decepção com os fatos que antecederam a queda do Felipão. Sem discutir a decisão em si, mas até para demitir alguém precisa de mais respeito. Feita a observação, lembre-se que após a perdida com o Flamengo o Felipão quis cancelar a folga da segunda. Os jogadores ficaram em casa segunda e terça. Diziam que o Felipão propunha mudanças drásticas. Na segunda reuniu toda comissão técnica na casa dele para pensar nessas mudanças. Veio o Mano e manteve as peças e tenta algumas mudanças em campo apenas. Perdemos o time da "mexida radical". Ela poderia ter acontecido e se valido da sequencia boa de partidas que os mesmos citados por vc se aproveitaram para se manterem na equipe. Nunca saberemos. Se não dá para afastar o presidente, vamos começar pelo Mattos. É o primeiro nome da lista de dispensas. Não sem antes uma entrevista garantindo que ele fica. Ciclo encerrado.
  11. Que eles não se importam com a torcida e o Palmeiras sabemos, mas sempre tem as premiações e o status. Na minha opinião ele é nota 6 na média. A proporção seria nota 8 para desarme, interceptações e velocidade, somado com nova 4 por posicionamento em campo e passes. Com média passa de ano. rs Ele fica de sugestão para ser o cachorro louco mesmo. Corre, corre, corre, morde a bola e fica em cima até um companheiro chegar bem pertinho e ele entregar.
  12. Thiago Santos é o da sobra e tem velocidade (comparado aos atuais)
  13. Precisa escolher? O ideal é atrair todos os estilos de torcedores possível. Quanto mais melhor. O sujeito se declarando palmeirense e gastando aqui e ali já soma. O cara se tornar um fanático e viver o Palmeiras também agrega. Portanto, a sobrevivência dos clubes depende do produto que eles oferecem e a roda econômica gira a favor ou contra. Mais títulos, mais torcida e por consequência mais dinheiro. Mais dinheiro, melhores jogadores, mais títulos.
  14. Muito tem se dito sobre esquema de jogo no Palmeiras aqui no fórum. E se tentassem um esquema raiz? O bom e velho 4-4-2! LD: Mayke/Jean (maior consistência defensiva) Defesa: Luan/VH LE: V. Luiz (maior consistência defensiva) Meio - Thiago Santos, Scarpa, Veiga e Zé Rafael (aqui estaria o pulo do gato. Thiago Santos na sobra quebrando tudo, Veiga e Zé Rafael na primeira linha defensiva e Scarpa livre ou cercando). Ataque: Luis Adriano e Dudu (Willian ficaria como substituto imediato do LA, já que ele não está com o físico pleno para todas as partidas e o jogo todo. Seria aquela substituição manjada, feita vez sim, outra sim tb). Liberdade para o Dudu tb. A linha de passe ofensivo, penso eu, melhoraria consideravelmente. Com dois laterais mais defensivos, Dudu e Scarpa seriam exigidos com menos intensidade na marcação, tendo mais fôlego para o ataque. Será que funcionaria?
  15. Tenho para mim que os jogadores do Palmeiras vão se lamentar muito pelo algo mais que deixaram de oferecer pós Copa América. Concordo que a dupla FM e BH não seja funcional pela lentidão. Só não posso esquecer que a mesma dupla venceu um brasileiro e apoio um time que ficou trocentos partidas sem tomar gol e que até os desastres do segundo semestre era com sobras o melhor sistema defensivo do país. Aos poucos estão retornado todas as reclamações individuais que se fazia aos jogadores antes da chegada do Felipão.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.